Lille joga mal, é derrotado pelo Rennes e amarga zona de rebaixamento
(Foto: Rennes/Divulgação)

Com pouca argumentação futebolística diante de um adversário que teve proposta definida desde os primeiros minutos, os comandados do treinador argentino Marcelo Bielsa voltaram a perder no Campeonato Francês, neste sábado (21), diante do Rennes, em uma partida de cenário esperado levando em conta as características de ambas equipes.

Apesar do jogo ter sido realizado em seus domínios, o SRFC optou por resistir, jogar atrás da linha da bola e contra-atacar a cada recuperação. Sendo assim, a vitória dos bretões veio com um gol do iluminado Benjamin Bourigeaud - contratado na última janela de transferências -, que está apresentando ótimo nível para competir na elite francesa.

Com este resultado, o coletivo gerido pelo veterano Christian Gourcuff, chegou a nove pontos na Ligue 1, estando na 15ª colocação e  se distanciando das últimas posições e dando indícios de que a crise vivida atualmente pode ser superada em pouco tempo. Desta maneira, as especulações presentes ao longo da semana com relação a possível demissão do contestado técnico do Rennes devem ser diminuídas.

Em contrapartida, com um começo de temporada decepcionante, o LOSC demonstrou hoje que as intenções de praticar futebol não condizem com as execuções aquém das expectativas até aqui, somando apenas seis pontos, sem apresentar modelo de jogo e com uma chance tremenda de lutar contra o rebaixamento no decorrer dessa época. Sobretudo com o equilíbrio inesperado neste início de temporada, as possibilidades de vermos clubes tradicionais passando por perrengues é considerável.

Rennes abre o placar cedo e Lille não consegue reagir 

Iniciando o duelo de forma brutal, os mandantes chegaram a vantagem no placar logo nos primeiros minutos: após superar a pressão alta do Lille e conseguir acionar Maouassa na beirada esquerda, o atleta efetuou uma assistência magistral para Bourigeaud tirar o zero do marcador.

Dito isto, conquistando uma superioridade no resultado perante a um começo de partida, as ideias do Rennes foram representadas por marcação posicional, acúmulo de jogadores na primeira linha para impedir avanços do adversário e proposta reativa para transitar nos espaços vazios. 

Com isto, as necessidades de produzir futebol ficaram todas por conta do time visitante, que naturalmente, é adepto de conceitos deste estilo. Porém, sem conciliar saídas fluídas com capacidade individual de seus pontas para acelerar nos terços decisivos do campo, o Lille não encontrou coesão entre seus jogadores ofensivos e esbarrou nas próprias limitações para gerar perigos a meta defendida pelo goleiro tcheco Tomás Koubek.

Neste cenário desfavorável, as variações táticas do LOSC entre 3-3-3-1 e 4-2-3-1, que não aconteceram de forma sinérgica, se transformaram mais em problemas do que soluções, já que a cada tentativa de elaborar o jogo, haviam erros técnicos na criação e contra-ataques eram concebidos ao rival.

Estratégia do Rennes anula visitantes e segura a vitória magra

Na etapa complementar, esta característica relatada permaneceu a mesma durante os quarenta e cinco minutos finais. A mudança mais significativa, foi na fase defensiva do Rennes, que na tese de resistir com mais gente em campo próprio equiparando sua formatação tática a do adversário, conseguiu anular ainda mais as tramas trabalhadas do Lille e assim, não sofreu agressões constantes a sua baliza por parte do sistema ofensivo dos visitantes.

Neste contexto mais vertical, onde a profundidade é utilizada como parâmetro para atacar após reintegrar a posse, o lateral-direito maliano Hamari Traoré teve função fundamental nos moldes táticos do clube da Bretanha e, de maneira incontestável, foi o melhor jogador em campo no pragmático duelo realizado no Roazhon Park.

No mais, os argumentos do LOSC para agredir o rival foram pouquíssimos e limitados, facilitando para promissora defesa do SRFC a cada elaboração. Com a apresentação de hoje, a sensação que ficou do Lille foi de que este time não se trata de uma obra de Marcelo Bielsa, já que em nenhum momento os Dogues reuniram características presentes no trabalho do argentino.

Entre as principais virtudes de seu jogo, o plano associativo, de estratégia apoiada e de gerar superioridade posicional para conseguir amplitude em campo contrário, apenas uma delas ganhou corpo neste início problemático no Lille - a intenção de acumular mais jogadores nas saídas de bola.

Na quarta-feira (25), os dois times entram em campo pela Copa da Liga Francesa. O Rennes encara o Dijon fora de casa e o Lille pega o Valenciennes.

VAVEL Logo