Após sofrer outra goleada para o City, Wenger destaca falta de confiança do Arsenal

Quatro dias depois de se enfrentarem na final da Copa da Liga Inglesa, Arsenal e Manchester City jogaram de novo nesta quinta-feira (1º), desta vez em partida atrasada da 28ª rodada da Premier League. Mas o que não mudou foi o resultado: os Citizens dominaram e repetiram o 3 a 0 da final da Carabao Cup, mas agora na casa dos Gunners, o Emirates Stadium. O placar elástico do líder do campeonato aumentou ainda mais a pressão sobre os jogadores e, em especial, o técnico Arsène Wenger.

Na coletiva pós-jogo após mais uma derrota, o técnico francês  tocou bastante no ponto da confiança. Segundo ele, o time estava sem muita firmeza após o resultado do último domingo (25 de fevereiro) e encontrou um adversário de qualidade e com a confiança em alta, aproveitando-se dos erros defensivos. O City fez 3 a 0 em apenas 33 minutos com Bernardo Silva, David Silva e Leroy Sané, e apenas administrou até o fim. Wenger também lamentou que seu time perdeu a melhor chance justamente no melhor momento – Pierre-Emerick Aubameyang perdeu um pênalti aos oito minutos do segundo tempo.

Eu senti que foi um jogo de alta intensidade física. Acho que produzimos nossa maior performance física na temporada e o Manchester City também. Fisicamente, os dois times se doaram muito. Eu sabia que o primeiro tempo poderia ser difícil para nós, porque saímos do jogo de domingo com a confiança baixa. Eles vieram com um pensamento muito positivo e por isso tomaram vantagem das fraquezas defensivas que mostramos na primeira etapa. Posso dizer que perdemos para um time que no momento é o melhor do país. A combinação da qualidade com o fato de eles estarem com a confiança alta e nós em baixa foi um grande fator no jogo de hoje. No segundo tempo, voltamos e dominamos bem os primeiros 20 minutos. Precisávamos do pênalti para ganhar força, e aquilo (perder o pênalti) matou o jogo”, disse Wenger.

Quando sua confiança não é a melhor, a primeira coisa que muda é a fluidez do movimento, o lado espontâneo do jogo. Você podia ver isso hoje. Eu não nego a qualidade deles porque eles são um time top, mas estamos em um momento difícil. Infelizmente, isso é parte do futebol. Temos que continuar unidos internamente e focar no próximo jogo para continuar nos esforçando”, acrescentou.

Aubameyang perdeu um pênalti quando o jogo já estava 3 a 0 (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)
Aubameyang perdeu um pênalti quando o jogo já estava 3 a 0 (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)

O treinador também foi perguntado sobre o significado de perder por 6 a 0 para o Manchester City na soma dos dois últimos jogos. Ele não quis entrar diretamente no assunto, ressaltando que as duas partidas foram diferentes, e destacou que o adversário vive um momento bem melhor.

Deixo todas as conclusões para vocês, porque todo jogo é diferente. Depois do jogo de domingo, teríamos que encontrar uma grande reviravolta. Quando eles tomaram vantagem em todas as chances que tiveram no primeiro tempo, sabíamos que seria um grande desafio. Temos que aceitar que no momento, nesses dois jogos, eles foram melhores”, afirmou.

Pressionado no cargo que ocupa desde 1996, Wenger foi perguntado se já encarou alguma situação tão difícil quanto essa nestes quase 22 anos. O francês preferiu evitar comparações: “Eu não sei. Eu deixo a situação em intensidade total. Não comparo com outras que tive antes. Isso é uma parte do meu trabalho, de lidar com as situações, me comprometer completamente e continuar me comprometendo e focado no próximo jogo”.

Por fim, o comandante foi questionado sobre os dois novos reforços do time na última janela de inverno. O atacante Pierre-Emerick Aubameyang e o meia Henrikh Mkhitaryan chegaram com moral após ótimos desempenhos na estreia, em goleada por 5 a 1 sobre o Everton (o primeiro com um gol, o segundo com três assistências), mas caíram de rendimento após aquela partida. Wenger considera isso como algo normal e ainda crê que ambos renderão bem pelo Arsenal.

Eles precisam de algum tempo para se adaptar e as coisas mudam rápido no esporte. Isso é parte do esporte moderno. Você precisa aceitar isso. Todo jogo que você perde hoje significa uma grande pressão. Esses jogadores acabaram de se juntar ao time e estou certo de que eles irão bem”, completou Arsène.

Com a derrota, o Arsenal para nos 45 pontos e segue na sexta posição, a 10 da zona de classificação para a Uefa Champions League. Já o Manchester City foi a 75 pontos e segue folgado na liderança, agora com 16 de vantagem para o vice-líder Manchester United.

VAVEL Logo