Boca Juniors e River Plate duelam em Mendoza pelo título da Supercopa Argentina
Foto: Marcelo Endelli/LatinContent WO

Boca Juniors e River Plate duelam em Mendoza pelo título da Supercopa Argentina

Nas Malvinas Argentinas, rivais, que vivem momentos distintos na temporada, jogam pelo título inédito da Supercopa Argentina

leonardodomingues
Leonardo Domingues
Boca JuniorsRossi; Jara, Goltz, Magallán, Fabra; Nández, Barrios, P. Pérez; Pavón, Tévez e Cardona.
River PlateArmani; Montiel, Maidana, Martínez Quarta, Saracchi; Fernández, Pérez, Ponzio, Martínez; Pratto e Mora.
INCIDENCIASSuperclássico entre Boca Juniors e River Plate, válido pela Supercopa Argentina 2017, no estádio Malvinas Argentinas, em Mendoza

Nesta quarta-feira (14), Boca Juniors e River Plate duelam pela Supercopa Argentina 2018. O Superclássico será disputado às 21h10, no estádio Malvinas Argentinas, em Mendoza. Ambos os clubes tentam conquistar seu primeiro título da competição. Cada um disputou o torneio duas vezes, sendo derrotados nessas oportunidades.

Os clubes vivem momentos um tanto quanto distintos na temporada. Enquanto o Boca lidera com folga a Superliga e está perto do título, o River ocupa a 18ª posição na tabela. Talvez a única semelhança seja o fato de ambos terem empatado na primeira rodada da Libertadores, jogando fora de casa: o River, num 2 a 2 contra o Flamengo; o Boca, num 0 a 0 contra o Alianza Lima.

Nos últimos cinco confrontos entre as equipes em Mendoza, houveram duas vitórias de cada time e um empate. Todos foram de maneira amistosa, pelo possante Torneio de Verão. Destaque para a goleada dos bosteros por 5 a 0, em 31 de janeiro de 2015. Porém, na última partida no estádio, deu River: 1 a 0, com gol de Rodrigo Mora, em 30 de janeiro de 2016.

Próximo do título da Superliga, Boca tenta sua primeira Supercopa

O Boca vem de vitória heroica por 2 a 1, contra o Tigre. (Reprodução: Daniel Jayo/Getty Images)
O Boca vem de vitória heroica por 2 a 1 sobre o Tigre (Reprodução: Daniel Jayo/Getty Images)

Que os comandados de Guillermo Barros Schelotto vivem grande fase, não é novidade para ninguém. Na Superliga 2017/18, o clube é líder com folga: são oito pontos de vantagem para o vice-líder Talleres. Na temporada (contando com a última edição da Copa Argentina), são 17 vitórias, dois empates e quatro derrotas.

Na última janela, fizeram grandes contratações, como o lateral-esquerdo Emmanuel Más (29), ex-San Lorenzo e Trabzonspor, o meia Emanuel Reynoso (22), ex-Talleres e o consagrado atacante Carlos Tévez (34), que estava no chinês Shanghai Shenhua. Com esses e outros grandes nomes, o elenco bostero é uma verdadeira constelação, e por essas e outras, o time é um dos grandes favoritos em todas competições que disputa, como por exemplo, a Copa Libertadores da América.

Mas engana-se quem pensa que o gigante argentino já tem todos os títulos possíveis em sua galeria: o clube nunca conquistou a Supercopa Argentina. Em duas das cinco edições, o clube esteve presente, porém foi vice em ambas. Em 2012, chegou como campeão da Copa Argentina 2011/12, e perdeu para o Arsenal de Sarandí, nos pênaltis. Já na edição de 2015, os Xeneizes, que venceram o Campeonato Argentino e a Copa Argentina na temporada anterior, foram goleados pelo San Lorenzo (que disputou a Supercopa por ter sido vice-campeão da Primera División), por 4 a 0.

Em busca do título inédito, esses são os onze escolhidos de Schelotto para iniciarem o Superclássico: Rossi; Jara, Goltz, Magallán, Fabra; Nández, Barrios, P. Pérez; Pavón, Tévez e Cardona.

Em má fase, River tenta título que salvará emprego de Gallardo

O River também vem de vitória heroica: 1 a 0 contra o Patronato (Foto: Agustin Marcarian/Getty Images)
O River também vem de vitória heroica: 1 a 0 contra o Patronato (Foto: Agustin Marcarian/Getty Images)

Vivendo uma fase completamente distinta de seu maior rival, o River Plate entra em campo nesta quarta em busca de recuperação, e pra isso, nada melhor que um título. E o técnico Marcelo Gallardo, que vive forte pressão pelos lados de Núñez, vê nesse jogo a chance de estabilizar sua situação e manter o emprego.

Fazendo jus ao apelido de Millonarios, a diretoria do River também fez grandes investimentos na última janela. Quatro reforços totalizaram um gasto de quase 86 milhões de reais. E foram eles: o goleiro Franco Armani (31), ex-Atlético Nacional, o volante Bruno Zuculini (24), que defendia o Hellas Verona, o meia Juan Fernando Quintero (25), que estava atuando no Independiente Medellín, e o atacante Lucas Pratto (29), que tem passagens por Vélez Sarsfield, Atlético Mineiro e São Paulo.

Entretanto, mesmo com o forte investimento, o Millo faz uma decepcionante Superliga: ocupa a 18ª posição, com 23 pontos - exatamente 23 pontos atrás do maior rival, e dez atrás do G-5. Faltando somente oito rodadas para o fim do Campeonato Argentino, a maneira do clube conseguir vaga para a Libertadores de 2019 é conquistando a atual edição da própria competição ou vencendo a Copa Argentina. É complicadíssimo classificar-se via Liga.

Assim como o Boca, o River Plate nunca conquistou a Supercopa Argentina. Na edição de 2014, o clube chegou como campeão do Campeonato Argentino, mas foi derrotado pelo Huracán, por 1 a 0. Já na edição de 2016, conquistou a vaga via Copa, e foi goleado por 3 a 0 pelo Lanús.

Os onze titulares de Gallardo para o grande embate desta quarta-feira, são: Armani; Montiel, Maidana, Martínez Quarta, Saracchi; Fernández, Pérez, Ponzio, Martínez; Pratto e Mora.

VAVEL Logo

    Argentina Notícias

    há 7 dias
    há 17 dias
    há 21 dias
    há 23 dias
    há um mês
    há um mês
    há 5 meses
    há 5 meses
    há 5 meses
    há 6 meses
    há 6 meses