Técnico Petkovic exalta amistosos da Suíça contra Grécia e Panamá: "Importante trabalhar muito"

Treinador valoriza série de jogos antes da Copa do Mundo e comemora oportunidade dada ao jovem Oberlin, bem como o retorno de Drmic

Suíça está na quarta Copa do Mundo consecutiva da história, sendo sede em 1954 e indo à 11ª participação, garantindo presença ao bater a Irlanda do Norte nos play-offs. Em 2014, caiu nas oitavas de final e foi eliminada pela Argentina, visando repetir ou até mesmo superar o bom desempenho.

Para isso, vai precisar ir bem no Grupo E, ao lado de Brasil, Costa Rica e Sérvia. Antes do Mundial, tem alguns amistosos para disputar e com adversários de níveis semelhantes aos da sua chave. Na próxima sexta-feira (23), visita a Grécia, enquanto que na terça-feira (27) recebe a Costa Rica, em Luzern.

Buscando dar ritmo de jogo aos jogadores e manter o entrosamento, o treinador Vladimir Petkovic reconhece a importância dos confrontos. De acordo com Petkovic, a semana de preparação vai ser fundamental na assimilação do modo de jogar dos times, destacando o comparativo entre os rivais na Copa.

Último jogo de Drmic com a camisa da Suíça foi há cerca de um ano (Foto:
Último jogo de Drmic com a camisa da Suíça foi há cerca de um ano (Foto: Fabrice Coffrini/AFP/Getty Images)

"É importante para nós passarmos uma boa semana juntos, para que possamos trabalhar muito e desfrutar apenas um ou outro minuto de maior descontração. Os gregos tem um estilo de jogo mais próximo ao da Sérvia, já o Panamá é mais comparável à Costa Rica", disse o técnico helvético.

O comandante dos suíços, bósnio de nascença e naturalizado ao país que comanda, exalta a oportunidade dada ao jovem Oberlin, destaque do Basel na última Uefa Champions League. Petkovic, inclusive, celebra o retorno de Drmic, que não atua pelo selecionado há cerca de um ano na vitória diante da Letônia, quando marcou o único gol. A lista com o elenco contou com poucos nomes novos, mantendo a base usada nas Eliminatórias, além de quatro desfalques por lesão.

"Agora eu quero aproveitar essa oportunidade para observar o Oberlin durante os treinamentos com o grupo principal durante essa semana na Grécia. Já o atacante Drmic nunca me desapontou quando jogou e é por isso que esse grupo deverá recompensar seu trabalho. Ao mesmo tempo, ser uma injeção de motivação para ele", encerrou.