Agora na Roma, Perotti aponta que Gian Piero Gasperini, então no Genoa, salvou sua carreira

Agora na Roma, Perotti aponta que Gian Piero Gasperini, então no Genoa, salvou sua carreira

Atacante da Roma explica como treinador da Atalanta salvou a carreira futebolística, que parecia estar em queda

victorSds
Victor Santos

O argentino Diego Perotti, ponta esquerda da Roma, falou nessa segunda feira a respeito de seu antigo treinador, Gian Piero Gasperini, em tempos de Genoa. O jogador que tinha saído de terras espanholas para chegar ao país da bota - chegou ao Genoa em 2014, após a sua saída no Sevilla - contou sobre as dificuldades que passou, o medo que sentia junto a fatores físicos, e que Gasperini, treinador da Genoa na época, lhe auxiliou e foi fundamental no seu amadurecimento. O treinador hoje comanda o time da Atalanta.

"Em Genoa eu tinha Gasperini e foi ele quem salvou minha carreira. Do jeito que ele me treinou, ele me fez sentir paixão pelo futebol novamente. Gasperini não permitia que você parasse, a menos que você estivesse contundido", afirmou Perotti.

O jogador que na sua última temporada pelo Sevilla chegou a ser emprestado ao Boca Juniors - e entrou em campo argentino apenas uma vez - atuou em 28 partidas na sua primeira temporada Gênova, participando diretamente de 10 gols do time, quando marcou quatro e deu seis assistências. Foi sua melhor temporada em tempo de campo desde a temporada 2010/11, quando atuou em 48 ocasiões pelo Sevilla.

"Quando cheguei, por medo, segurei. Mas, porque eu era novo, não conseguia fazer isso, trabalhei muito no meu físico e valeu a pena, era como se eu tivesse reorganizado meu corpo e deixado os meus medos atrás. A mentalidade tem uma enorme influência e, a esse respeito, Gasperini foi um fenômeno. Agora, ao contrário de quando estava em Sevilla ou Boca Juniors, se eu tiver uma batida pequena, não vou correr para o médico" admitiu Perotti.

O jogador também comentou da influência que seu atua técnico, Di Francesco, teve no seu modo de jogar. "Então, Di Francesco na Roma, que mudou minha maneira de jogar um pouco, pedindo-me para que nem sempre abrace a alavanca, mas que procure jogar profundamente e entre as linhas", disse.

Não só apenas treinadores pesaram em sua evolução dentro de campo, Francesco Totti, ídolo da Roma, também teve seu peso na carreira de Perotti.

"Ele é o rei da cidade, brincar com ele era lindo. Mas eu vi as coisas que ele fez no treinamento, e quando ele virou partidas por conta própria. Ele tem uma visão do jogo que não exige muito dele fisicamente, ele pode transformar ou mudar as coisas com uma passagem, com sua visão, ou com um tiro de 30 metros. Ele foi o melhor aqui".

Por fim, o jogador comentou a respeito das chances do Napoli impedir o sexto Scudetto consecutivo da Juventus. Mas não se mostrou confiante na perca da hegemonia do time de Turim.

"Até o jogo que jogamos com Napoli, onde ganhamos 4-2, pensei, mas agora acho que será difícil. Eles têm que aproveitar a energia que a Juventus perderá com a Champions League. Sobretudo, embora isso dependa da Juventus porque eles têm a vantagem, e acho que serão campeões de novo"

Perguntado sobre as chances de título da Roma na temporada atual Perotti afirmou sobre o objetivo do clube: "Temos que pensar em nos qualificar para a próxima Uefa Champios League".

VAVEL Logo

Itália Notícias

há 13 dias
há 13 dias
há 14 dias
há 15 dias
há 16 dias
há 17 dias
há 18 dias
há 18 dias
há 20 dias
há 21 dias
há 21 dias