Joachim Löw diz que 7 a 1 é passado e destaca evolução do estilo de jogo alemão

Dois dos maiores campeões mundiais farão um grande jogo na rodada de amistosos internacionais. Nesta terça-feira (27), a tetracampeã Alemanha encara o pentacampeão Brasil no Estádio Olímpico, em Berlim. Será a primeira vez em que as duas seleções se enfrentarão desde o histórico 7 a 1 aplicado pelos alemães sobre os brasileiros na semifinal da Copa do Mundo de 2014 (eles já chegaram a se enfrentar em 2016, mas com as seleções olímpicas pela final da Olimpíada do Rio de Janeiro, vencida pelo Brasil).

E apesar de ser apenas um amistoso, que não carrega nenhum peso em relação à goleada de quatro anos atrás, alguns dos personagens que fizeram parte daquele dia no Mineirão tem sido frequentemente perguntados sobre o assunto. Nesta segunda-feira (26), véspera da partida, foi a vez do tema chegar a Joachim Löw, técnico da Alemanha.

O treinador que está no cargo desde julho de 2006 destacou que não só o Brasil evoluiu, mas também a sua seleção melhorou nos últimos tempos, valorizando mais atributos sempre atribuídos aos brasileiros como a posse de bola e a ofensividade – diferentemente da característica defensiva que marcou a Alemanha por anos. Além disso, ele afirmou que o 7 a 1 foi importante para o povo, mas que para os membros da Die Mannschaft, já virou passado.

Nós também evoluímos. Se tudo fosse como era antes, o Brasil sempre seria o vencedor da Copa do Mundo. Mas não é assim. A Alemanha evoluiu. Do contrário, não teríamos nenhuma chance. Hoje defendemos a criatividade, a alegria de jogo e temos uma clara filosofia”, disse Löw.

Tem mais importância [o 7 a 1] para o povo que para nós. Claro que foi um bom jogo, mas foi um passo apenas para ganhar a Copa do Mundo. No dia seguinte ao jogo, já tiramos isso da cabeça. Depois do 7 a 1 estávamos 100% concentrados na final, ironicamente para jogar contra o maior rival do Brasil”, acrescentou, referindo-se à final da Copa de 2014 contra a Argentina, vencida pelos alemães por 1 a 0.

Löw comandou a Alemanha no 7 a 1 sobre o Brasil, na semifinal da Copa de 2014 (Foto: Patrik Stollarz/AFP via Getty Images)
Löw comandou a Alemanha no 7 a 1 sobre o Brasil, na semifinal da Copa de 2014 (Foto: Patrik Stollarz/AFP)

Falando mais especificamente sobre o amistoso desta terça-feira (27), Löw confirmou as expectativas e anunciou que o goleiro Marc-André Ter Stegen, titular no empate em 1 a 1 com a Espanha na última sexta-feira (23), estará no banco. Com isso, os reservas Bernd Leno e Kevin Trapp jogarão 45 minutos cada. E as mudanças não param por aí: Marvin Plattenhardt substitui Jonas Hector na lateral-esquerda, e Ilkay Gündogan e Leroy Sané devem substituir Sami Khedira e Thomas Müller no meio-campo, respectivamente.

Ter Stegen vai descansar amanhã. Se nada acontecer no meio do caminho, Leno e Trapp jogarão um tempo cada. Ilkay [Gündogan] e Sané vão começar como titulares, e Plattenhardt jogará no lugar de Hector. Sami [Khedira] ainda é uma questão”, afirmou o treinador.

O jogo desta terça-feira é o antepenúltimo da Alemanha antes da Copa do Mundo da Rússia. Os tetracampeões ainda enfrentam a Áustria e a Arábia Saudita no começo de junho, antes de estrearem no Mundial. Eles estão no grupo F da Copa, ao lado de Suécia, México e Coreia do Sul.

VAVEL Logo