Gullit é indicado ao Hall da Fama Italiano e dispara: "Champions não irá para Itália tão cedo"

Ex-jogador holandês deu declarações sobre o Milan e a Juventus; além dele, foram homenageados na ocasião nomes como Del Piero e Antonio Conte

Gullit é indicado ao Hall da Fama Italiano e dispara: "Champions não irá para Itália tão cedo"
Foto: Claudio Villa/Getty Images

Após ser indicado ao Hall da Fama pela Federação Italiana nesta segunda-feira (9), Ruud Gullit comentou sobre a situação de Milan e Juventus, e aproveitou para dar um palpite sobre quem vencerá a final da Copa da Itália, disputada entre os clubes: "Milan vence!", respondeu. Além dele, personalidades como Antonio Conte e Del Piero também foram homenageados em Florença, na Toscana-ITA.

O ídolo holandês também fez uma reflexão sobre a participação dos times italianos no futebol mundial, usando como parâmetro as ondas do mar. Lembrando dos tempos de glória milanistas – as quais o próprio ex-jogador participou –, e comparando com o atual cenário, onde o time luta para voltar a ser destaque no continente, Gullit procurou acalmar os torcedores: "Os fãs precisam ter paciência, pois o futebol é como uma onda - uma vez você sorri para o céu, e de outra, desmorona." 

Ele ainda elogiou o trabalho da diretoria do clube, e alertou sobre as dificuldades. "O projeto do clube é ambicioso, mas não será fácil voltar a dominar o mundo como nós fizemos", afirmou.

Gullit fez uma analogia sobre uma possível preferência da Uefa em times da Premier League, além de Barcelona e Real Madrid para conquistar a Champions League, e rechaçando equipes italianas – com exceção da Juve. "Não é uma questão apenas de dinheiro, mas também de charme. Embora tenha um clube italiano que saiba trabalhar direito, que é a Juventus. Eles sabem como escolher os jogadores certos, e esse é o segredo para nadar contra a maré", explicou.

O ex-jogador fez história no Milan em duas passagem entre os anos 80 e 90. Por lá, conquistou diversos títulos, entre eles: duas Champions League (1988/89 e 1989/90) e três Serie A (1987/88, 1991/92 e 1992/93).