Chivas Guadalajara segura New York Red Bulls e disputará final da Concachampions

Nos EUA, equipes empatam por 0 a 0 e graças ao triunfo por 1 a 0 na ida, os mexicanos avançaram à grande final; adversário será o Toronto FC, que eliminou o América

Chivas Guadalajara segura New York Red Bulls e disputará final da Concachampions
Reprodução: Icon Sportswire/Getty Images
New York Red Bulls
0 0
Chivas Guadalajara
New York Red Bulls: Robles; Murillo, Long, Parker, Lawrence; Davis, Adams; Etienne (Rivas, min. 76), Valot, Royer (Romero Gamarra, min. 58); Wright-Phillips. Técnico: Jesse Marsch.
Chivas Guadalajara: Cota; Brizuela, Salcido, Alanís, Hernández; Pineda, Pérez; Cisneros, Godínez (Zaldívar, min. 90), Pizarro; Pulido. Técnico: Matías Almeyda.
ÁRBITRO: Walter López (GUA). Amarelou Cota (min. 28) e Hernández (min. 88).

Nesta terça-feira (10), New York Red Bulls e Chivas Guadalajara enfrentaram-se em duelo de volta válido pela semifinal da Liga dos Campeões da CONCACAF. O placar manteve-se inalterado, e os mexicanos, que venceram por 1 a 0 na ida, classificaram-se à decisão.

O Chivas jogou recuado, resistindo à pressão estadunidense e seu rigor defensivo foi suficiente para a tão sonhada vaga na final. O solitário gol marcado por Isaác Brizuela na partida de ida, uma semana atrás, foi fundamental na eliminatória. 

Com uma postura extremamente conservadora, a equipe de Matías Almeyda não teve vergonha de atuar com os 11 jogadores atrás da linha do meio-campo, em busca de neutralizar a pressão do New York e sair no contra-ataque, explorando a velocidade de Carlos Cisneros, José Godínez e Rodolfo Pizarro. Apesar disso, os mexicanos não finalizaram nenhuma vez na fria noite nova-iorquina. 

O time mandante, por sua vez, também não foi capaz de levar perigo real ao goleiro Rodolfo Cota. Apenas nos 20 minutos iniciais, em finalizações de Bradley Wright-Phillips e Kemar Lawrence, defendidos por Cota.

Com o andar da partida, o Chivas foi administrando o tempo de um duelo que, no segundo tempo, foi tedioso, por falta de ousadia das equipes - em especial do NY, que precisava vencer.  

Na base do "chuveirinho", o conjunto de Jesse Marsch, que a essa altura já havia perdido o fôlego e cedia muitos espaços, quase fez o gol na bacia das almas. No último lance da partida, após cruzamento de Florian Valot, Tyler Adams desviou de cabeça e Cota salvou o time mexicano. Não havia tempo para mais nada e o árbitro guatemalteco Walter López apitou o final da partida. 

O Chivas Guadalajara, campeão da Concachampions apenas uma vez - logo na primeira edição, em 1962 - volta a uma final do torneio após 11 anos. A última havia sido em 2007, quando perdeu para o Pachuca nos pênaltis.

Seu adversário será o Toronto FC, que após empate por 1 a 1 no Azteca, eliminou o Club América, com 4 a 2 no placar agregado. Esta será a segunda vez em que um time canadense disputa a final da competição - em 2015, o Montreal Impact foi derrotado pelo próprio América.