0-1, min. 2, Pizarro. 1-1, min. 19, Osorio. 1-2, min. 72, Pulido.
No Canadá, Chivas vence Toronto e sai na frente na final da Concachampions

No Canadá, Chivas vence Toronto e sai na frente na final da Concachampions

Sob o comando de Giovinco, Toronto domina a partida, mas desperdiça muitas chances, enquanto o Chivas é letal e marca duas vezes; jogo de volta será na quarta-feira (25)

leonardodomingues
Leonardo Domingues

Apesar do frio, da neve, da grande atuação de Sebastian Giovinco, dos desfalques de Edwin Hernández, Jair Pereira e Rodolfo Cota, o Chivas Guadalajara bateu o Toronto por 2 a 1, em partida de ida válida pela final da Liga dos Campeões da CONCACAF. No estádio BMO Field, cerca de 40 mil pessoas viram os mexicanos saírem na frente na grande final, com gols de Rodolfo Pizarro e Alan Pulido. Enquanto Jonathan Osorio descontou para os donos da casa.

Logo no primeiro minuto, o Rebaño tratou de abrir o marcador. Após grande assistência de Isaác Brizuela, Jesús Godínez enganou toda a defesa canadense e a bola sobrou para Rodolfo Pizarro abrir o placar, definindo de maneira perfeita.

Aos 8', Marky Delgado tentou sair jogando e deixou a bola limpa nos pés de Orbelín Pineda, que tocou para Alan Pulido, mas este viu o goleiro Alex Bono sair do gol e evitar aquele que seria o segundo gol mexicano. 

Mesmo estando atrás no placar, o conjunto local apostava nos contra-ataques, mas esbarrava em Miguel 'Wacho' Jiménez, substituto de Cota, que teve grande atuação. Porém, nem ele foi capaz de evitar o empate canadense. Aos 19, Marco Delgado aproveitou erro de Alejandro Mayorga pela direita, e serviu Jonathan Osorio, que igualou o marcador.

Aos 28 minutos, lance escandaloso: Michael Bradley entraria na área, mas o zagueiro Carlos Salcido agarrou a bola com as duas mãos - fora da área- diga-se -. O árbitro costa-riquenho Ricardo Montero não marcou nada, para desespero dos mandantes.

Um tanto quanto sumido, o astro italiano Sebastian Giovinco decidiu aparecer na partida. Aos 31', cobrou falta que obrigou Jiménez a fazer um milagre. No lance seguinte, tentou surpreender o goleiro, no que seria um gol olímpico. 

Aos 33', jogada maravilhosa dos comandados de Greg Vanney. Em contragolpe fulminante, sete jogadores de linha do Toronto tocaram na bola. A jogada começou nos pés de  Bradley e acabou nos de Jozy Altidore, que após passe de calcanhar do brasileiro Auro, não foi feliz na finalização.

Porém, o Chivas não estava morto ofensivamente, e respondeu com belíssima jogada de Pineda no lance seguinte. Aos 43', Altidore ligou Giovinco na direita, que, com passe de letra sensacional, devolveu para o camisa 17 finalizar, mas Jiménez novamente fez belíssima defesa. E ainda teve tempo para mais uma associação entre os dois: Altidore fez belo pivô para o italiano, mas este finalizou nas mãos do goleiro.

Na segunda etapa, o Toronto seguiu pressionando. No primeiro lance, Giovinco arrancou, driblou três marcadores e tocou para Marky Delgado livre, na entrada da área, finalizar por cima e desperdiçar grande chance.

Aos 50', nova reclamação dos canadenses após Altidore cair na área. Na sequência do lance, Pineda limpou a marcação de Eriq Zavaleta e chutou forte para defesa de Alex Bono. No rebote, por pouco Godínez não marca.

Giovinco, melhor em campo, voltou a assustar aos 57', em nova cobrança de falta. Segundos depois, o zagueiro Drew Moor cabeceou com precisão, mas Jiménez afastou o perigo. Aos 59', Altidore teve sua chance mais clara na partida, mas não contava com desvio providencial de Oswaldo Alanís.

As alterações de Matías 'Pelado' Almeyda deram uma cara mais atrevida ao Chivas. As entradas de Javier 'La Chofis' López, José Macías e Ángel Zaldívar fariam a recompensa chegar a qualquer momento. E foi aos 72 minutos que Alan Pulido colocou em vantagem o Guadalajara, em uma cobrança de falta pela direita, que era pra ser um cruzamento, mas acabou virando um golaço no segundo pau de Bono.

A partir daí, o Toronto cansou e pouco conseguia fazer para empatar a partida. Aos 84, Moor finalizou com muito perigo e a bola quase entrou, mas a falta no experiente Salcido já havia sido assinalada.

A finalíssima será disputada na quarta-feira (25), às 22h30 (horário de Brasília). Para findar a seca internacional que já dura 56 anos, os comandados de Matías Almeyda podem perder até mesmo por 0-1 jogando no Akron, que com certeza será palco de linda festa da torcida mexicana. A vitória do Toronto por 2 a 1 leva a partida para os pênaltis. 

VAVEL Logo
    CHAT