Simeone faz tripletta, Fiorentina derrota Napoli e deixa Juventus perto do hepta

Expulsão de Koulibaly logo aos oito minutos deixou azzurri com um a menos, e Viola dominou no Franchi, vencendo por 3 a 0; Juve agora tem quatro pontos de vantagem, com três rodadas para o fim

Fiorentina
3 0
Napoli
Fiorentina: Sportiello; Laurini (Bruno Gaspar, min. 62), Pezzella, Milenkovic, Biraghi; Badelj (Cristóforo, min. 84), Veretout, Benassi; Saponara (Eysseric, min. 75); Chiesa, Simeone. Técnico: Stefano Pioli
Napoli: Reina; Hysaj, Albiol, Koulibaly, Mário Rui; Allan, Jorginho (Tonelli, min. 10), Hamsik (Zielinski, min. 58); Callejón, Insigne, Mertens (Milik, min. 58). Técnico: Maurizio Sarri
Placar: 1-0, min. 34, Simeone. 2-0, min. 62, Simeone. 3-0, min. 90+3, Simeone
ÁRBITRO: Paolo Mazzoleni, auxiliado por Gianluca Vuoto e Fabiano Preti. Amarelo: Laurini, Badelj, Eysseric (FIO); Albiol, Callejón, Milik, Insigne, Mário Rui (NAP). Vermelho: Koulibaly (NAP)
INCIDENCIAS: Partida válida pela 35ª rodada da Serie A Tim 2017-18, no Stadio Artemio Franchi, em Florença, Itália

Com show de Giovanni Simeone, a Fiorentina bateu o Napoli por 3 a 0 e deixou a arquirrival Juventus muito próxima de seu sétimo título seguido na Serie A. O argentino fez os três gols da Viola, que jogou com um a mais desde os oito minutos, quando Koulibaly foi expulso e deixou os visitantes com um a menos. O resultado quebrou uma sequência de 30 jogos dos napolitanos sem perder fora de casa no Italiano. Além disso, a Viola não vencia este rival no Artemio Franchi desde 2009.

A partida teve, logo no início, um evento que condicionou todo o restante do jogo. Logo aos 5, no lançamento longo de Laurini, Simeone partiu para dentro da área, foi derrubado por Koulibaly e o árbitro marcou pênalti. Após a checagem do VAR, a arbitragem deu falta fora da área, mas acabou trocando o cartão amarelo por vermelho ao zagueiro do Napoli. Na cobrança, Biraghi bateu forte, a bola desviou e Reina salvou com as pernas. No rebote, Milenkovic bateu forte, mas o goleiro segurou firme.

Antes com mais posse de bola, o Napoli não conseguiu impor o seu habitual ritmo com um a menos, e teve pouquíssimas chances de gol. Maurizio Sarri tirou Jorginho para a entrada de Tonelli, recompondo a zaga, mas, mesmo mantendo os três atacantes, os azzurri foram pouco perigosos. A primeira etapa só teve uma finalização dos napolitanos, contra 15 da Fiorentina, que teve 52% de posse de bola.

A chance mais perigosa do Napoli foi aos 24. Em cobrança fechada de escanteio, Mário Rui tentou gol olímpico, mas Sportiello estava ligado e salvou. Mas, em uma jogada parecida com o lance da expulsão, a Viola buscou seu gol. Aos 33, em conexão direta de Biraghi, Simeone apareceu por trás da defesa napolitana, partiu para ficar de frente a frente com o goleiro e tocou por baixo de Reina para abrir o placar em Florença: 1 a 0.

Simeone marcou seu 11º, 12º e 13º gols na Serie A 17-18 (Foto:
Simeone marcou seu 11º, 12º e 13º gols na Serie A 17-18 (Foto: Alberto Pizzoli/AFP/Getty Images)

A partir daí, a Fiorentina passou a criar ainda mais chances, e o Napoli não conseguiu argumentos para chegar a assustar Sportiello. Aos 35, Benassi recebeu de Laurini na linha de fundo, cruzou fechado e a bola passou por todo mundo na pequena área, próximo da trave e saiu pela linha de fundo.

Já aos 44, em grande arrancada pelo meio, Saponara invadiu a área, arriscou chute, mas foi travado. Na sequência, Chiesa ficou com o rebote na pequena área, tentou o passe para trás, porém Reina desviou e a zaga napolitana afastou na sequência. Assim, com um a mais e o domínio do jogo, a Viola foi para o intervalo com a vantagem.

O Napoli tentou algo mais na segunda etapa, com as entradas de Milik e Zielinski, mas a Fiorentina continuou tendo o domínio. Mesmo igualando a posse de bola - a Viola terminou com 50,5% -, mas o número de finalizações foi muito superior aos visitantes: 28 a quatro. A chance mais perigosa dos azzurri foi aos 4. Na bola atravessada por Callejón da direita para a área, Mertens chegou batendo de primeira, para defesa segura de Sportiello.

Mas a Fiorentina era sempre o time superior no Franchi. Aos 11, depois do corte de Hysaj, Biraghi ganhou a dividida no alto e Chiesa bateu de bico da entrada da área, mas Reina caiu no canto e deu um tapa para evitar o segundo. Dois minutos depois, Saponara avançou pela esquerda, tocou em velocidade e Chiesa avançou para dentro da área, batendo cruzado e parando em Reina.

Aos 17, em cobrança de escanteio de Veretout, Simeone apareceu no meio da área para finalizar, parou em milagre de Reina, mas apareceu novamente para mandar o rebote para o fundo das redes e fazer 2 a 0 no Franchi. Com uma vantagem ainda maior e um rival desgastado, a Viola passou a desacelerar o ritmo do jogo, administrando o ótimo placar construído.

Porém, continuou chegando perigosamente. Aos 24, Gaspar recebeu de Benassi, passou por Mário Rui e cruzou para Simeone, que antecipou Tonelli e esticou a perna para finalizar, mandando à esquerda do gol. A reta final foi de mais cadência da Viola, contra um Napoli abatido e inofensivo, enquanto o time da casa estava satisfeito com o resultado. Mesmo assim, já aos 48, em contra-ataque puxado pelo meio, Chiesa deu grande assistência para Simeone, que venceu Mário Rui na corrida, saiu dentro da área e tocou na saída de Reina para concretizar sua grande partida: 3 a 0, deixando a Fiorentina viva na luta pela UEL, e os napolitanos mais longe do scudetto.

Com 54 pontos, a Fiorentina ocupa o 9º lugar, três pontos atrás do Milan, que é o 7º, e ocupa a última vaga da Europa League. Já o Napoli é o vice-líder, com 84, quatro a menos que a Juventus, com apenas três partidas para o fim da Serie A.

As duas equipes voltam a campo no próximo domingo (6/5), às 10h. Jogando no Luigi Ferraris, a Fiorentina enfrenta o Genoa, enquanto o Napoli volta para casa, onde joga contra o Torino.