Copa do Mundo VAVEL: a história do Mundial de 1954

Copa do Mundo VAVEL: a história do Mundial de 1954

renata-guerra
Renata Guerra

A Copa do Mundo FIFA de 1954 foi a quinta edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol, que ocorreu de 16 de junho até 4 de julho. Em comemoração ao 50º aniversário da FIFA, o evento foi sediado na Suíça, onde encontra-se a sede da entidade. A Suíça foi oficialmente selecionado como anfitrião em julho de 1946. Dezesseis seleções nacionais foram qualificadas para participar desta edição.

Esta edição foi a que teve a maior média de gols de todas as copas, com 140 gols em 26 partidas, uma média de 5,38 gols por partida. 

Houve 38 países inscritos, na época foi um recorde. E deles, só a Polônia e a República Popular da China desistiram da competição. Pela primeira vez o Brasil precisou jogar para garantir sua vaga. E ganhou os quatro jogos contra Chile e Paraguai (ida e volta). Junto com o Uruguai (classificado automaticamente por ter sido campeão do mundo em 1950), representou a América do Sul entre os 16 participantes. A Argentina não conseguiu a vaga para o Mundial.

Seleções participantes: Brasil, Iugoslávia, França, México, Hungria, Alemanha Ocidental, Turquia, Coreia do Sul, Uruguai, Áustria, Tchecoslováquia, Escócia, Inglaterra, Suíça, Itália, Bélgica,

Sobre os estádios, apenas um foi construídos para Copa, o St. Jabkob, do FC Basel. Dos outros cinco usados, o Olympique La Pontaise passou por reforma.

FASE DE GRUPOS: PRIMEIRA FASE:

Grupo 1:

1o Brasil, 2o Iugoslávia, 3o França, 4o México. 

Pelo Grupo 1, do Brasil, ocorreu um episódio bastante curioso. Brasil e Iugoslávia venceram seus primeiros compromissos (Brasil 5 a 0 México e Iugoslávia 1 a 0 França) e o empate garantia ambos na fase seguinte. Acontece que os jogadores do Brasil não conheciam o tal regulamento e atacavam insistentemente a meta iugoslava, com os jogadores eslavos fazendo gestos aos brasileiros pelo empate que beneficiaria os dois. Ao final do jogo alguns brasileiros choravam e apenas posteriormente a situação foi esclarecida. Tanto brasileiros como iugoslavos se classificaram à fase seguinte.

Grupo 2: 

1o Hungria, 2o Alemanha Ocidental, 3o Turquia, 4o Coréia do Sul.

A Hungria, pelo Grupo 2, aplicou na 1ª fase duas goleadas históricas, uma sobre a fraca Coreia do Sul por 9-0 e a outra sobre nada mais, nada menos do que a Alemanha Ocidental, 8 a 3. Turquia e Alemanha Ocidental então tiveram que jogar o desempate pois terminaram empatados em pontos. A partida foi vencida pelos alemães com facilidade. O técnico Sepp Herberger colocou o time reserva em campo contra os húngaros, pois assim absorveria melhor uma mais que provável derrota e pouparia seus comandados.

Grupo 3

 1o Uruguai, 2o Áustria, 3o Tchecoslováquia, 4o Escócia.

No grupo 3, Áustria e Uruguai classificaram-se sem problemas. A Celeste Olímpica ganhou da Tchecoslováquia por 2 a 0 e da Escócia por 7 a 0. Uma curiosidade é que, insatisfeito com as intromissões da comissão técnica no seu trabalho, o técnico da Escócia Andy Beattie pediu demissão logo após a derrota para a Áustria, sendo o único técnico a pedir demissão durante uma copa até hoje. A Áustria também passou fácil com 1 a 0 na Escócia e 5 a 0 na Tchecoslováquia.

Grupo 4

 1o Inglaterra, 2o Suíça, 3o Itália, 4o Bélgica

No Grupo D, o time inglês tenta se refazer do desastre de 50, sua estreia em copas. Empata em um jogo espetacular com a Bélgica (4-4) e ganha da Suíça por 2 a 0. Suíça e Itália defrontaram-se duas vezes no grupo. Na primeira partida os helvéticos venceriam por 2 a 1 num jogo muito conturbado e de uma arbitragem bastante controversa do brasileiro Mário Vianna. As equipes se enfrentariam novamente, e no jogo desempate a Suíça vence por 4 a 1.

QUARTAS DE FINAIS: 

Hungria 4 x 2 Brasil: 

O cenário pré-jogo deixava claro que aquela seria uma partida histórica. O Brasil era o atual vice-campeão do mundo. E a Hungria era a grande seleção do momento. A Batalha de Berna foi como ficou conhecida a partida de futebol Hungria 4 x 2 Brasil válida pelas quartas de finais da Copa do Mundo de 1956.

Getty
Getty

A partida iniciou com uma chuva torrencial, e logo aos sete minutos de jogo, os húngaros já ganhavam por 2 x 0, gols de Hidegkuti e Kocsis. Djama Santos descontou, de pênalti, ainda no primeiro tempo. No segundo, Lantos, também de pênalti fez 3 x 1. O Brasil não se abateu, e Julinho Botelho (O melhor do Brasil naquela copa) diminuiu para 3 x 2. O árbitro inglês Arthur Ellis expulsou Nilton Santos e Bozsik aos 26 minutos da segunda etapa, depois dos dois trocarem socos. Aos 43 da etapa final, Kocsis, novamente, fez o 4o gol húngaro, dando números finais a partida. 

Uruguai 4 x 2 Inglaterra:

A Seleção Celeste atropelou os inglês com uma goleada e assim conseguiu a classificação para as semi finais da Copa.

Áustria 7 x 5 Suíça: 

O estádio Olímpico de La Pontaise, em Lausanne, estava lotado, com 35 mil torcedores, que viriam a assistir uma partida que se tornaria singular na história das Copas.

Num cenário que hoje parece impossível de ser repetido, a Suíça abriu 3 a 0 entre os 16 e 19 minutos do primeiro tempo, gols de Ballaman e Huegi (duas vezes). Mas a Áustria, ainda na primeira etapa, entre os 25 e 34 minutos, marcou cinco vezes. Wagner (2x), Körner (2x) e Ocwirk foram os autores dos gols. Antes do intervalo, Ballaman diminuiu para os suíços. Na volta dos vestiários, as duas equipes diminuíram o ritmo e fizeram só três gols. Os austríacos com Wagner e Probst e os suíços com Huegi. Körner ainda perdeu um pênalti.

Alemanha 2 x 0 Iugoslávia:

Ainda com a divisão, a Alemanha Ocidental venceu com facilidade a Iugoslávia. Com um gol no primeiro tempo, marcado por Horvat (contra). E no segundo tempo, no final da partida, Rahn fechou o placar para os alemãs. 

SEMI FINAIS DA COPA DE 54

Alemanha Ocidental 6x1 Áustria

A equipe alemã bateu a austríaca por 6 a 1. Destaque para os irmãos Fritz e Ottmar Walter, que, com passes rápidos, levaram sempre perigo ao gol austríaco.

Hungria 4x2 Uruguai

A Hungria venceu o Uruguai com placar de 4 a 2, no Olympique, pela Fase da Copa do Mundo 1954. Os gols foram marcados por Czibor, Hidegkuti e Kocsis (2), para a Hungria, e por Holberg (2), para o Uruguai.

 

A FINAL: Alemanha Ocidental 3x2 Hungria

Formação da Seleção da Alemanha Ocidental Campeã Mundial de 1954:  Fritz Walter, Toni Turek, Horst Eckel, Helmut Rahn, Ottmar Walter, Werner Liebrich, Jupp Posipal, Hans Schäfer, Werner Kohlmeyer, Karl Mai e Max Morlock

Formação da Seleção da Hungria na Final da Copa 1954: Lóránt, Buzánszky, Hidegkuti, Kocsis, Zakariás, Czibor, Bozsik, Budai, Lantos, Puskás e Grosics.

Em 4 de julho, no estádio Wankdorf, na capital suíça, Berna, Hungria e Alemanha entravam em campo diante de um público de quase 65 mil pessoas, para a grande final. 

O Time Dourado dos húngaros era o favorito, pois vinha de 32 partidas invicto. Começou a chover no dia do jogo, na Alemanha isso é chamado de "Fritz-Walter-Wetter" (tempo de Fritz Walter), pois falava que o capitão da equipe alemã Fritz Walter jogava seu melhor futebol na chuva.

A Hungria começou no estilo arrasador e, aos 4 minutos, Puskas abriu o placar. Aos 8 minutos Czibor fez 2 a 0. Mas o time alemão não se entregou e, aos 17 minutos, o jogo já estava empatado. Aos 39 minutos do segundo tempo, o ponta alemão Rahn fez o gol de uma vitória que ninguém acreditava ser possível. A seleção da Alemanha ficou com o título e a Hungria foi vítima do mesmo favoritismo que tinha derrotado o Brasil em 50.

ARTILHEIRO: Sandor Kocsis

Com 11 gols, o húngaro Sandor Kocsis foi o goleador da competição Bom nas bolas aéreas, ganhou o apelido de "Cabeça de Ouro". Ao lado de Puskas, Bozsik, Hidegkuti e Czibor, formava a base do timaço que marcou época nos anos 50. Nascido em Budapeste, deixou o país em 1956, após a invasão de Budapeste por tropas soviéticas. Passou pelo futebol suíço até chegar ao Barcelona, onde permaneceu até o fim da carreira, aos 37 anos.

O BRASIL NA COPA DE 1954:

A edição de 1954 do torneio, na Suíça, marcou a quinta participação da Seleção Brasileira de Futebol em uma Copa do Mundo. Era e ainda é o único país a participar de todas as edições do torneio da FIFA. 

Foi a primeira vez que a Seleção usou o uniforme com a camisa amarela e o calção azul. Depois da derrota no Mundial de 1950, o uniforme antigo (camisa branca e calção azul usado desde 1919) foi considerado uma das fontes de azar. No Grupo A, a equipe estreou contra o México com goleada de 5 a 0 e empatou por 1 a 1 com a Iugoslávia. Nas quartas, caiu justamente contra o adversário mais temido: a Hungria de Puskas. E a derrota por 4 a 2 fez o time, que tinha craques como Didi, Nilton Santos, Djalma Santos e Castilho, voltar cedo para casa.

 

 

VAVEL Logo
    CHAT