Rivais do Peru na primeira fase pedem liberação de Guerrero para Copa do Mundo

Em solidariedade ao peruano, capitães da França, Dinamarca e Austrália enviaram carta para Fifa; Atacante vai se reunir com presidente da entidade

Rivais do Peru na primeira fase pedem liberação de Guerrero para Copa do Mundo
Jogador foi recebido com festa no Peru (Foto: Ernesto Benavides/AFP)

O atacante Paolo Guerrero ganhou reforços importantes na sua luta para disputar a Copa do Mundo da Rússia. Nesta segunda-feira (21), com o apoio da FIFPro (Federação Internacional dos jogadores de futebol), os capitães das três seleções que vão enfrentar o Peru na fase de grupos enviaram uma carta à Fifa na tentativa de reverter a situação do jogador do Flamengo.

O francês Hugo Lloris, o dinamarquês Simon Kjaer e o australiano Mile Jedinak assinaram o documento que deve ser respondido pela entidade em um prazo de até 48 horas. Na última terça, a FIFPro já havia emitido um comunicado questionando a ampliação da pena do peruano para 14 meses de suspensão por doping e afirmando que a punição do TAS (Tribunal Arbitral do Esporte) desafiava o senso comum.

No entanto, a carta é encarada apenas como um ato de solidariedade ao atleta, já que a Fifa não tem o poder de anistiá-lo e encarar a suspensão é um algo impensável e muito arriscado no momento.

Desde semana passada em seus país, onde foi recebido por uma multidão no aeroporto, Guerrero se reunirá nesta terça-feira (22), com o presidente da FIFA, Gianni Infantino, em Zurich, na Suiça. Junto a ele também estará o presidente da FPF (Federação Peruana de Futebol), Edwin Oviedo.

O encontro acontecerá ás 9h (de Brasília), exatamente 48 horas depois do envio da carta pedindo a liberação do atacante. Deve ser a última tentativa do jogador em busca de sua liberação para a Copa do Mundo, mesmo sabendo a decisão é considerada irreversível pelo TAS.