Último tango? Argentina visa manter bom histórico contra Nigéria para evitar eliminação

Último tango? Argentina visa manter bom histórico contra Nigéria para evitar eliminação

Bicampeã mundial quer evitar a todo custo  fracasso  de uma geração recheada de bons jogadores

Vmoreno
Vitor Moreno
NigériaUzoho; Balogun, Troost-Ekong e Omeruo; Moses, Ndidi, Mikel, Etebo e Idowu ; Iheanacho e Musa. Técnico: Gernot Rohr
ArgentinaArmani; Mercado, Otamendi, Marcos Rojo, Tagliafico; Enzo Pérez, Mascherano, Banega, Di María; Messi, Higuaín. Técnico: Jorge Sampaoli
ÁRBITROCuneyt Cakir (TUR) Assitentes: ABahattin Duran (TUR) e Tarik Ongun (TUR)
INCIDENCIASPartida válida pela 3ª rodada do grupo D, a ser disputada em São Petersburgo

Assim como foi nas Eliminatórias Sul-americanas contra o Equador, a Argentina se prepara para viver um novo drama, desta vez, diante da Nigéria, às 15h (horário de Brasília), em São Petersburgo, em jogo válido pela última rodada do Grupo D. A situação dos hermanos é tão crítica que nem mesmo a vitória garante a classificação para a próxima fase.

Lanterna do grupo com um ponto e saldo de -3, a Albiceleste briga pela última vaga contra a própria Nigéria, que tem três pontos em segundo, e a Islândia, que está em terceiro com o mesmo número de pontos, só que, com saldo melhor de -2.

Para simplificar as contas, o objetivo de Sampaoli é vencer os africanos por maior diferença de gols possível para não ter de se preocupar com o duelo entre Islândia e Croácia que acontece no mesmo horário em Rostov. Vitória islandesa por um gol de diferença, obrigará a Argentina vencer por 2 gols ou mais.  

O clima em Bronnitsy, cidade onde se concentra a equipe argentina, é de tensão antes da partida. Imprensa e torcida não param de criticar os jogadores e o técnico Sampaoli. No último domingo, o presidente da Associação de Futebol Argentino, Claudio Tapia precisou vir a público para conter os ânimos mais exaltados, principalmente da imprensa.

‘’Vocês publicam mentiras, coisas que não aconteceram. Todos que estão aqui morrem por dar furos. Mas adiantar uma escalação ajuda ao rival. Muitos de vocês estão no terceiro, quarto, quinto Mundial. Mas isso é graças a eles, aos jogadores’’, disse o dirigente.

Sem o peso de dois títulos mundiais nas costas, a Nigéria entrará em campo motivada pela vitória contra a Islândia e sabendo que um empate praticamente garante a vaga para as oitavas de final. Só uma goleada improvável da Islândia contra a Croácia poderá eliminar os comandados de Gernot Rohr.

Apesar da pouca experiência de seus jogadores (média de 25,9 anos de idade, a mais baixa entre as seleções da Copa), e o retrospecto desfavorável contra os argentinos em Mundiais, o técnico da Nigéria acredita que chegou o momento de superar uma das “top 10” do futebol mundial.

’Estamos psicologicamente bem. A Argentina tem alguns problemas, dúvidas, e esperamos tirar vantagem dessa situação, logo no começo do jogo. Sei da qualidade deles, que é muito grande, que não será fácil para o meu jovem time. A Argentina é top 10, e nós somos número 49. Tivemos um grande jogo contra a Islândia, mas precisamos ser humildes. Espero que meus jogadores estejam bem fisicamente amanhã’’, disse. 

SUPERAÇÃO DE MIKEL E REVANCHE DE 2014

Caso consiga eliminar a poderosa Argentina com uma vitória, A Nigéria quebrará um tabu de nunca ter vencido os sul-americanos em Mundiais.

Nos quatro duelos até hoje só deu Argentina, sendo o último deles em 2014. Com dois gols de Messi, triunfo por 3 a 2 em Porto Alegre. O meia Obin Mikel, que esteve naquele jogo, terá de superar uma fratura no metacarpo (ossos) da mão esquerda e se quiser fazer parte da ”revanche” na Arena Krestovsky.

‘’O nosso capitão teve uma fratura no metatarso da mão esquerda, é uma fratura pequena, mas ele tem que jogar com uma proteção. Ele foi imediatamente aos médicos e colocou uma proteção. Acho que pode jogar com isso, mas temos que checar com a arbitragem. É plástico. Ele não está com muita dor e acho que estará pronto para esse jogo’’, revelou Rohr.

SAMPAOLI MEXE NA EQUIPE MAIS UMA VEZ

Pressionado pelas más atuações nas primeiras rodadas, Jorge Sampaoli resolveu mudar a equipe mais uma vez. A começar pelo gol, Armani entra no lugar de Caballero, que falhou no primeiro gol da Croácia. Além do goleiro do River, Rojo e Di María retornam ao time. Na frente, Aguero ficará no banco pela primeira vez, e Iguain formará  dupla de ataque com Messi. A ideia do técnico argentino é ter em campo jogadores mais experientes que não sintam a pressão durante os 90 minutos.

‘’A explicação seria que é um momento muito delicado que chegamos e seria mais lógico que encarem jogadores com mais experiência neste tipo de competição. Tanto pela pressão quanto pelo rendimento neste tipo de desafio’’, disse Sampaoli.

VAVEL Logo

    Futebol Internacional Notícias

    há um dia
    há um dia
    há 2 dias
    há 2 dias
    há 3 dias
    há 6 dias
    há 6 dias
    há 6 dias
    há 6 dias
    há 6 dias
    há 6 dias