Copa da Rússia entra para história com recordes e uso de tecnologia
Divulgação/FIFA

Copa da Rússia entra para história com recordes e uso de tecnologia

A fase de grupos da Copa do Mundo de 2018 ficou marcada por diversos recordes quebrados e o início de uma era, a da tecnologia

vavel
Lucas Araujo

A Copa do Mundo de 2018 chegou ao final da fase de grupos, tendo 48 jogos disputados, porém já podemos dizer que essa é a Copa do Recordes. Até o momento, alguns recordes foram alcançados e outros já foram batidos. Além de todos os feitos históricos, houve a maior e mais esperada novidade: o árbitro de vídeo.

Ainda na primeira fase, o Mundial de 2018 quebrou diversas marcas como: um jogador fazendo gol em quatro edições diferentes (Cristiano Ronaldo, de Portugal), jogador com mais participações em Copas (Rafa Márquez, do México), mais jogos como capitão e o primeiro em cinco edições diferentes (Rafa Márquez), jogador mais velho a disputar uma Copa do Mundo (El-Hadary, do Egito), jogador francês mais novo a marcar um gol em Copa do Mundo (Mbappé), jogador africano mais jovem a marcar um gol em Mundial (Wagué, de Senegal), equipe passando de fase de forma invicta e sem sofrer gols desde 1998 (Uruguai), mais jogos sem 0 a 0 (37 jogos), maior número de pênaltis em uma edição de Copa do Mundo (24), mais gols contra (9) e cartão mais rápido da história das Copas (Gallardo, do México). 

Gol em quatro edições diferentes

Que o Cristiano Ronaldo é uma máquina de fazer gols e de quebrar recordes todos já sabem, e essa Copa ele fez questão de colocar seu nome na história novamente. Na estreia da Copa do Mundo de 2018, Portugal chegou como zebra contra a forte equipe da Espanha, uma das favoritas ao título, mas o atacante português não se intimidou e aos três minutos de jogo sofreu um pênalti, o qual converteu e cravou seu nome em um seleto grupo de jogadores históricos, os que fizeram gols em quatro edições de Copa do Mundo.

Cristiano Ronaldo agora faz parte da lista que contém o brasileiro Pelé (1958, 1962, 1966 e 1970), e os alemães Uwe Seeler (1958, 1962, 1966 e 1970) e Miroslav Klose (2002, 2006, 2010 e 2014).

Divulgação/Federação Portuguesa de Futebol
Divulgação/Federação Portuguesa de Futebol

Mais participações em Copas

O zagueiro mexicano Rafa Márquez completou 39 anos em fevereiro e sua experiência pesou muito para ser convocado. Na lista final com os 23 nomes, o zagueiro foi o que mais chamou atenção, por sua idade avançada e seu histórico em times europeus com grandes conquistas.

 Rafa Márquez colocou seu nome na história sendo o quarto atleta a disputar cinco edições do maior evento de futebol (2002 , 2006, 2010, 2014 e 2018) estando ao lado de seu compatriota Antonio Carbajal (1950, 1954, 1958, 1962 e 1966), do alemão Lothar Matthäus (1982, 1986, 1990, 1994 e 1998) e do italiano Gianluigi Buffon (1998, 2002, 2006, 2010 e 2014), que jogaria sua sexta Copa, mas a Itália acabou não se classificando.

Mais jogos como capitão e o primeiro em cinco edições diferentes

Rafa Márquez foi à Copa da Rússia para entrar na história. Conhecido por sua liderança em campo, o zagueiro é capitão da seleção desde sua primeira Copa do Mundo, em 2002, a qual usou a braçadeira quatro vezes, até as oitavas de final, onde o México foi eliminado para os Estados Unidos.

Em 2006 foi o mesmo roteiro, porém mudou apenas o adversário que derrubou os mexicanos, dessa vez foi a Argentina, todas as partidas comandadas por Rafa Márquez. Em 2010 o caminho foi idêntico ao de 2006, inclusive o adversário das oitavas de final, porém dessas vez o xerife da equipe não jogou três jogos. Em 2014, no Brasil, o zagueiro comandou o time em todas as partidas, mas novamente viu a eliminação chegar nas oitavas de final.

Em 2018, em dois jogos, mesmo sendo reserva, entrou e foi capitão contra Alemanha e Coreia do Sul. Já na 3ª rodada do grupo F, contra a Suécia, ficou apenas no banco e não bateu o recorde de Maradona, que foi capitão em 16 partidas pela Argentina. A diferença é que o ídolo argentino conseguiu o feito em apenas três Copas do Mundo (1986, 1990 e 1994). Se o zagueiro mexicano participar da partida contra o Brasil, pelas oitavas de final, o recorde será batido.

Além disso, a estreia do México, contra a Alemanha, foi histórica. Mesmo não sendo titular, o zagueiro entrou no segundo tempo e se tornou o primeiro atleta a usar a braçadeira de capitão em cinco edições diferentes.

Rafa Márquez é recordista em participações, mas não sabe o que é passar das oitavas de final. Com a boa campanha na primeira fase, é possível sonhar que o México chegue mais longe este ano.

Divulgação/Federação Mexicana de Futebol
Divulgação/Federação Mexicana de Futebol

Jogador mais velho da história na competição

O grupo A foi definido na segunda rodada, tendo Uruguai e Rússia como classificados, e o confronto entre Arábia Saudita e Egito, dois já eliminados, não valia nada. Com isso, jogadores reservas tiveram a chance de jogar uma Copa do Mundo, e entre esses atletas estava o goleiro Essam El-Hadary. O egípcio foi reserva nos dois primeiros jogos, mas no último, entrou para a história como o jogador mais velho a jogar uma partida de Copa do Mundo. O goleiro de 45 anos e 161 dias bateu o recorde que pertencia ao goleiro colombiano Farys Mondragón, que tinha 43 anos e três dias quando entrou em campo no Mundial de 2014.

 

Divulgação/Federação Egípcia  de Futebol
Divulgação/Federação Egípcia de Futebol

Jogador Francês mais novo a marcar um gol

O jogo entre França e Peru, válido pela segunda rodada do grupo C, foi outro que quebrou recordes, mas dessa vez, da França. A forte equipe francesa conseguiu uma vitória simples, por 1 a 0, com gol de Mbappé, que se tornou o jogador mais novo a marcar pela seleção francesa em Copas. O jovem atacante do Paris Saint-Germain marcou o gol com 19 anos e 183 dias e superou o ex-jogador histórico David Trezeguet, que tinha 20 anos e 246 dias quando marcou na Copa do Mundo de 1998.

 

Divulgação/Federação Francesa de Futebol
Divulgação/Federação Francesa de Futebol

Jogador africano mais novo a marcar um gol

Já o confronto entre Senegal e Japão, que terminou empatado em 2 a 2, teve um marco histórico também. O segundo gol senegalês foi marcado pelo lateral Wagué, que se tornou o jogador africano mais jovem a marcar um gol em Copas do Mundo. O atleta conseguiu o feito com 19 anos e 263 dias, superando o meia ganês Draman, que balançou as redes na Copa de 2006, com 20 anos e 82 dias.

Classificado de forma invicta e sem sofrer gols

Uma das seleções que não estão cotadas para lutarem pelo título mundial é a uruguaia, porém foi um time que chamou a atenção, principalmente na última rodada. Para fechar a fase de grupos, o Uruguai enfrentou a Rússia, ambas já classificadas, e ali seria definido o líder do grupo A. Os anfitriões vinham embalados por conta das boas atuações contra Arábia Saudita (5 a 0) e Egito (3 a 1), já os sul-americanos fizeram 1 a 0 em ambas equipes africanas e não havia convencido os torcedores.

O confronto acabou em 3 a 0 para o Uruguai, que ficou com a liderança e terminou com pontuação máxima, além de não ter sofrido nenhum gol nas três partidas disputadas. Esse fato, de ter aproveitamento máximo e não levar gols, não acontecia desde 1998, quando a Argentina passou de fase com nove pontos, sete gols feitos e nenhum sofrido. A diferença dos argentinos de 1998 para os uruguaios de 2018 são apenas os gols feitos: sete contra cinco, respectivamente.

 

Mais jogos consecutivos sem empates sem gols

Foram 48 jogos até o momento e em quase todos houve pelo menos um gol marcado, menos em uma partida: França e Dinamarca. Em jogo válido pela última rodada do grupo C, as duas equipes se classificariam com o empate e foi isso que aconteceu, mas infelizmente sem gols.

Este foi o 38º jogo da Copa do Mundo de 2018, ou seja, foram 37 jogos seguidos tendo pelo menos um gol, e esse número entrou para a história como a Copa com mais jogos sem o placar final em branco. O recorde anterior pertencia à Copa do Mundo de 1954, que terminou sem ter um jogo sequer terminado em 0 a 0, mas na época, a competição tinha apenas 26 jogos.

 

Cartão mais rápido da história das Copas

O jogo entre México e Suécia tinha muita coisa em jogo, porque no grupo F todas as equipes ainda tinham chances de classificação, mesmo que muito pequenas, como a Coreia do Sul. Era claro que seria um jogo muito pegado e a prova disso foi que Jesús Gallardo, meia mexicano, cometeu uma falta em Toivonen, atacante sueco, aos 13 segundos de jogo e foi advertido com cartão amarelo, o que se tornou o cartão mais rápido da história das Copas. Anteriormente, o recorde era do uruguaio José Batista, que foi expulso aos 51 segundos de jogo, contra a Dinamarca na Copa do Mundo de 1986.

 

Maior número de pênaltis em uma edição

As Copas do Mundo de 1998 e 2002, na França e na Coreia do Sul e Japão respectivamente, eram donas de um recorde: a maior quantidade de pênaltis em uma edição da competição. Em 2018, com o uso do árbitro de vídeo, a fase de grupos já bastou para bater esse recorde. Em 48 partidas, foram marcados 24 pênaltis, um número bem maior que os anteriores e que tende a aumentar, já que ainda será disputado o mata-mata.

 

Confira a lista de todos os pênaltis marcados até o encerramento da fase de grupos:

Portugal 3x3 Espanha - gol de Cristiano Ronaldo (Portugal)

França 2x1 Austrália - gol de Griezmann (França)

França 2x1 Austrália - gol de Jedinak (Austrália)

Peru 0x1 Dinamarca - perdido por Cueva (Peru)

Argentina 1x1 Islândia - perdido por Messi (Argentina)

Croácia 2x0 Nigéria - gol de Modric (Croácia)

Suécia 1x0 Coreia do Sul - gol de Granqvist (Suécia)

Tunísia 1x2 Inglaterra - gol de Sassi (Tunísia)

Colômbia 1x2 Japão - gol de Kagawa (Japão)

Rússia 3x1 Egito - gol de Salah (Egito)

Dinamarca 1x1 Austrália - gol de Jedinak (Austrália)

Nigéria 2x0 Islândia – perdido por Sigurdsson (Islândia)

Bélgica 5x2 Tunísia - gol de Hazard (Bélgica)

Coreia do Sul 1x2 México - gol de Vela (México)

Inglaterra 6x1 Panamá - gol de Kane (Inglaterra)

Inglaterra 6x1 Panamá - gol de Kane (Inglaterra)

Arábia Saudita 2x1 Egito - perdido por Al-Muwallad (Arábia Saudita)

Arábia Saudita 2x1 Egito - gol de Al-Faraj (Arábia Saudita)

Irã 1x1 Portugal - perdido por Cristiano Ronaldo (Portugal)

Irã 1x1 Portugal - gol de Ansarifard (Irã)

Nigéria 1x2 Argentina - gol de Moses (Nigéria)

Islândia 1x2 Croácia - gol de Sigurdsson (Islândia)

México 0x3 Suécia – gol de Granqvist (Suécia)

Suíça 2x2 Costa Rica – gol contra de Sommer (Suíça)

 

Mais gols contra

Além do recorde de pênaltis, outro batido foi o de gols contra. Esse número também pertencia à Copa do Mundo de 1998, na França, onde seis gols foram feitos contra a própria meta. Até o momento, a Copa do Mundo realizada na Rússia tem nove gols contra e se tornou a Copa com mais tentos marcados contra a própria rede.

 

Confira a lista de gols contra até o momento, finalizando a fase de grupos:

Marrocos 0x1 Irã - gol contra de Bouhaddouz (Marrocos)

França 2x1 Austrália - gol contra de Behich (Austrália)

Croácia 2x0 Nigéria - gol contra de Etebo (Nigéria)

Polônia 1x2 Senegal - gol contra de Cionek (Polônia)

Rússia 3x1 Egito - gol contra de Fathi (Egito)

Uruguai 3x0 Rússia - gol contra de Cheryshev (Rússia)

México 0x3 Suécia - gol contra de Álvarez (México)

Suíça 2x2 Costa Rica - gol contra de Sommer (Suíça)

Panamá 1x2 Tunísia – gol contra de Meriah (Tunísia)

 

Uso da tecnologia

A Copa do Mundo de 2018 entrou para a história. Pela primeira vez, foi usado o VAR (Video Assistant Referee), ou em português, o árbitro de vídeo. E na primeira edição, já está sendo muito utilizado, e o recorde de pênaltis tem muita participação do árbitro de vídeo. Outra novidade foi o chip na bola, que a partir dessa edição, quando a bola passa da linha do gol, o relógio do juiz apita avisando que entrou, tirando assim qualquer dúvida e acabando com as discussões em lances duvidosos. Na edição de estreia, o VAR foi utilizado 18 vezes e o chip na bola apenas duas.

 

Confira a lista de lances com participações do árbitro de vídeo e do chip na bola:

 

Árbitro de vídeo

Pênalti para França contra Austrália

Pênalti para Peru contra Dinamarca

Possível cartão vermelho para Prijovic, da Sérvia

Pênalti para Suécia contra Coreia do Sul

Pênalti para Egito contra Rússia

Gol anulado do Irã contra a Espanha, por impedimento

Pênalti para Austrália contra Dinamarca

Pênalti anulado do Brasil contra Costa Rica

Pênalti para Arábia Saudita contra Egito

Pênalti para Portugal contra Irã

Pênalti para Irã contra Portugal

Possível cartão vermelho para Cristiano Ronaldo, de Portugal

Validação de gol de Iago Aspas, da Espanha, contra Marrocos, por impedimento

Pênalti para Nigéria contra Argentina

Possível pênalti para Nigéria contra Argentina

Validação de gol de Kim, da Coreia do Sul, contra Alemanha, por impedimento

Pênalti anulado da Costa Rica contra Suíça

Pênalti anulado do Senegal contra Colômbia

 

Chip na bola

França 2x1 Austrália - gol contra de Behich (Austrália)

Colômbia 1x2 Japão - gol de Quintero (Colômbia), de falta

VAVEL Logo

    Futebol Internacional Notícias

    há um dia
    há um dia
    há 2 dias
    há 2 dias
    há 2 dias
    há 2 dias
    há 2 dias
    há 2 dias
    há 2 dias
    há 2 dias
    há 2 dias