Sobreviventes em chave complicada, França e Bélgica decidem primeiro finalista da Copa

As duas seleções embalas e com elenco cheio de estrelas se enfrentam para ver quem vai para a grande final

Sobreviventes em chave complicada, França e Bélgica decidem primeiro finalista da Copa
França
Bélgica
França: Lloris; L. Hernández; Umtiti; Varane; Pavard; Kanté; Pogba; Tolisso; Griezmann; Mbappé e Giroud.
Bélgica: Courtois; Vertonghen; Kompany; Alderweireld; Vermaelen; Chadli; Witsel; Fellaini; Eden Hazard; De Bruyne e Lukaku
INCIDENCIAS: Partida válida pela semifinal da Copa do Mundo da Rússia, no estádio Krestovsky, na cidade de São Petersburgo.

Bélgica e França se enfrentam nesta terça feira (10) em busca de uma vaga na final da Copa do Mundo da Rússia.  As duas seleções se encontram um ótimos momentos. A Bélgica tem o melhor ataque da competição e uma seleção cheia de jogadores atuando em alto nível. A França fez ótimas atuações e sua seleção se encontra em um momento de total harmonia, e ainda conta com um jovem talento, Mbappé, que está roubando a atenção de todos por suas espetaculares atuações.

Não podemos esquecer que a Bélgica vem de uma invencibilidade de dois anos. Com o histórico de 24 jogos, cinco empates e 19 vitórias, a última vez que perdeu foi para a Espanha de 2 a 0, em um jogo amistoso na estreia do comando de Roberto Martínez como técnico da seleção.

A França, tem a vontade de chega a uma final novamente após tanto tempo sem ganhar títulos. E conta com a sorte de seu treinador, o Didier Deschamps que se tornaria um dos poucos comandantes que ganharam uma Copa do Mundo como jogador e como técnico.

Histórico de confrontos em Copas, França leva vantagem

As esquipes se encontraram duas vezes em Copas, com a seleção francesa levando vantagem. A primeira em 1938 onde a França ganhou por 3 a 1. E em 1986, na disputa de terceiro lugar que a seleção francesa ganhou de 4 a 2. Mas o encontro mais recente foi em um amistoso em 2015 em jogo cheio de gols, e dessa vez a Bélgica levou a melhor ganhando de 4 a 3.

Deschamps diz que sabe se virar para segurar o melhor ataque da competição e lembra seu retrospecto com Messi

O técnico francês tem em mente que vai enfrentar o melhor ataque dessa Copa com 14 gols marcados. Mas lembra que nas oitavas de final ele conseguiu montar um esquema para parar Lionel Messi, e falou que a arma principal para isso acontecer foi o meio campista Kanté.

Ele ainda falou sobre a atuação de seu adversário sobre o Brasil e de como eles foram inteligentes ao terem aprimorado a sua tática de jogo e disse estar preparado para qualquer cenário de jogo.

"Nosso time estará pronto para dois cenários diferentes. O time da Bélgica não chegou aqui por acaso, jogou um grande jogo contra o Brasil, com um plano bem especifico. Se vão fazer parecido contra nós? Provavelmente. A diferença do jogo é que o time da Bélgica tem essa qualidade particular, contra o Brasil reforçaram o meio de campo, bloquearam os acessos, os brasileiros não conseguiram entrar. Com a bola, atacaram muito rápido. Tenho certeza de que meus jogadores estão preparados para diferentes escalações, e até durante a partida, se houver mudanças", declarou.

Roberto Martínez, conta com o apoio do francês Thierry Henry na comissão técnica

Sendo importantíssimo para a conquista da França em seu título Mundial, Henry atualmente trabalha com o adversário que enfrentará seu país. Trabalhando na comissão técnica da Bélgica desde de 2016, Roberto Martínez diz que Henry é indispensável por sua experiência e contribuição para com os jogadores.

"Thierry Henry nos trouxe bastante coisa nos últimos dois anos. Muita clareza na metodologia com jogadores que não tinham experiência internacional. Ele sabe como vencer uma Copa do Mundo. Sabe como atuar diante dos olhos do mundo. Os belgas não têm uma geração que tenha vencido uma Copa do Mundo para se espelhar. Henry é um técnico, é dedicado, atento a todos os jogadores e tem sido muito importante. Ele é a peça perfeita que faltava na comissão técnica".

Fazendo mistério sobre a escalação e o esquema tático para o confronto contra a França, Martínez fala como Fellaini foi importante na parte defensiva no jogo contra o Brasil, e com pela boa atuação deve aparecer entre os titulares novamente.

"Fellaini é um jogador de equipe, com a melhor mentalidade que podemos ter. É um vencedor, um guerreiro. Às vezes há jogadores inconsistentes durante um jogo, mas cada ação do Fellaini numa partida é como se fosse sua última. Ele quer vencer, coloca todo seu coração nisso, tem uma coordenação incrível. Quando você trabalha perto dele vê as várias qualidades importantes para um time num campo de futebol", disse.