Notas: França mostra poder de ação e se sagra bicampeã mundial sobre a Croácia

Deschamps, campeão como jogador em 1998, viu sua equipe ser objetiva e conquistar a Copa do Mundo 2018

Notas: França mostra poder de ação e se sagra bicampeã mundial sobre a Croácia
Foto: Getty Images

A França conquistou seu segundo título mundial. Após perder a Eurocopa 2016 em casa para Portugal, o jovem time, em uma final de seis gols, bateu Croácia por 4 a 2 e voltou a levar a Copa do Mundo para casa depois de 20 anos.

Mesmo não mostrando uma atuação muito superior à do adversário, o time comandado por Didier Deschamps mostrou poder de ação, objetividade e velocidade. O setor de ataque brilhou e fez valer o favoritismo da seleção francesa em momentos decisivos.

Vamos às notas:

Lloris: 5. Sua Copa foi excelente até uma boa defesa num chute de Rebic no começo da segundo etapa; porém, sua falha no segundo gol croata ao perder a bola para Mandzkic foi vergonhosa. Imperdoável até para campeonatos amadores.

Pavard: 5,5. Teve uma partida ruim, sofrendo muito Perisic e Strinic no primeiro tempo. Deixou um grande corredor na lateral. Foi a parte frágil da defesa do time.

Varane: 8. Errou no primeiro tempo quando sofreu desarme de Mandzukic, mas conseguiu se recuperar e manteve o alto nível jogado na Copa.

Umtiti: 7. Coletivamente, se posicionou bem; no entanto, em disputas individuais, perdeu várias.

Lucas Hernandez: 7,5. Fez grande jogada no gol de Mbappé e foi taticamente inteligente, não abrindo espaço com seus avanços.

Kanté: 6,5. Marcou Modric durante todo o jogo e errou passes na tentativa de saída por causa da pressão do croata.

N´Zonzi: 6. Preencheu seu espaço no meio, mas marcou um pouco mal, o que permitiu supremacia adversária na posse de bola.

Pogba: 9,5. Maestro do meio do campo. Controlou bem o ritmo e fez o jogo rodar na velocidade que ele queria. Foi coroado com dos gols decisivos. De longe, o melhor da partida.

Matuidi: 6,5. Esbanjou força física de modo resistente, mas não teve refinamento para controlar bem a bola no campo ofensivo.

Tolisso: 6. Entrou no lugar de Matuidi para marcar o setor de ciração da Croácia.

Griezmann: 8,5. Foi o melhor de jogador de bola parada na Copa, decididno muitos jogos dessa maneira. Sua bola venenosa encontrou a cabeça de Mandzukic no desvio para o próprio gol, além da precisão no pênalti colocou a França definitivamente à frente. Ajeitou a bola para Pogba fazer o gol na segunda tentativa. Foi o francês que percorreu maior distância na partida: 10,7 quilômetros.

Mbappé: 8. O pesadelo de qualquer zagueiro. Arrancou para o terceiro gol e fez o quarto num chute de fora da área. Tem apenas 19 anos, mas já mostrou talento e habilidade imensos.

Fekir: S/N. Passou pouco tempo em campo e não acrescentou.