Chelsea atropela Cardiff com hat-trick de Hazard e se mantém 100% na Premier League

Blues levam susto no início de jogo, mas se recuperam com Hazard inspirado e alcançam 5ª vitória em 5 jogos

Chelsea atropela Cardiff com hat-trick de Hazard e se mantém 100% na Premier League
(Divulgação: Chelsea FC)
Chelsea
4 1
Cardiff
Chelsea: Kepa; Azpilicueta, Rüdiger, David Luiz, Marcos Alonso; Kanté, Jorginho, Kovacic (Barkley, 5'2ºT); Pedro (Willian, 12'/2ºT), Hazard (Zappacosta, 42'/2ºT) e Giroud
Cardiff: Etheridge; Manga, Morrison, Bamba, Bennett; Camarasa, Ralls, Arter (Richards, 1'/2ºT), Hoilett; Reid (Paterson, 25'/2ºT) e Ward
Placar: - Chelsea: Hazard (37', 44'/1ºT; 35'/2ºT) e Willian (39'/2ºT) - Cardiff: Bamba (17'/1ºT)
ÁRBITRO: Jon Moss
INCIDENCIAS: Partida válida pela 5ª rodada da Premier League; Stanford Bridge, Londres (ING)

Os Blues foram para campo com o ideal de manter o aproveitamento máximo na Premier League, chegar à 5 vitória consecutiva e grudar no Manchester City - que até então lideravam o campeonato, com 15 pontos e 1 jogo a mais. Os visitantes o indigestos vieram do País de Gales. O Cardiff, que começou a partida em 16º lugar na tabela, foi a Londres com a clara proposta de segurar o jogo e controlá-lo defensivamente, fechar suas linhas e apostar em sua bola aérea ofensiva.

O Chelsea, como premeditado, entrou com a mentalidade esperada: os 10 minutos iniciais foram de total possessão do time de Stanford Bridge, muita intensidade e 2 chutes à gol. Giroud, que jogou hoje no lugar de Morata, era o homem mais procurado no ataque do Chelsea. O atacante Pedro, que completou 100 jogos no jogo de hoje novamente fez o canto do gramado com Hazard, ambos sempre bem incisivos e verticais nas beiradas do campo.

Mesmo com tamanha superioridade, o Chelsea levou um susto, logo na primeira jogada de ataque do time galês. Depois de uma boa linha de passe entre os zagueiros Morrisson e Bamba, aos 17 minutos, Bamba passou nas costas de Jorginho, foi mais rápido que o italiano e não perdoou. 1 a 0 para o Cardiff.

Depois de castigado com o gol inesperado, o Chelsea voltou a ser agudo na partida. Etheridge, goleiro do Cardiff, fez ótimas intervenções logo após o gol de seu time. Pegou duas bolas à queima roupa, uma de Hazard e outra de Kovacic. Característica do Chelsea, as jogadas rápidas pelo lado de campo incomodavam bastante os 3 volantes do Cardiff - Camarasa, Ralls e Arter - que foram frequentemente forçados a quebrar a segunda linha e deixar suas posições.

Aos 23 da primeira etapa, após ótima inversão de jogo de Marcos Alonso - que vive ótima fase - Pedro arriscou de canhota e quase fez um golaço. A pressão do time londrino era imensa. Até os 40 minutos de jogo, os números indicavam 73% de posse de bola para o Chelsea. Mauricio Sarri, treinador da equipe da casa, estava bastante inquieto na beirada de campo e se mostrava muito insatisfeito com as diversas chances que seu time desperdiçava.

Depois de tanto pressionar, aos 37 do primeiro tempo, Giroud escorou a bola para Hazard, que fez belíssima jogada pela direita, driblou o zagueiro e chutou cruzado para fazer um belo gol e bater o goleiro filipino.

Mantendo-se firme no campo de ataque, os Blues conseguiram a virada pouco mais de 5 minutos depois, no final do primeiro tempo. Depois de nova tabela de Giroud com Hazard dentro da grande área - o belga chutou fraco, a bola pegou na perna esquerda de Bamba e entrou no cantinho do gol do Cardiff.

E assim voltaram para o vestiário após o apito final da primeira etapa. Tranquilidade total do time da casa para reiniciar a partida.

Retornado o jogo, o time de Sarri voltou de forma menos intensa, mas sem tirar o pé. Aos 5 minutos da segunda etapa, Kovacic sentiu e deixou o campo para que Barkley entrasse. Bem mais vertical que o meia croata, Barkley facilitou as subidas de ataque de seu time. A equipe do Cardiff, que ainda não conseguiu nenhuma vitória no campeonato, parecia ter abdicado da vontade de tirar ao menos dois pontos do Chelsea fora de casa e estacionou seu time atrás do meio de campo, compactando seu meio de campo e sua defesa, deixando apenas Ward na frente, já que Reid havia deixado o campo para a entrada de Paterson. A estratégia de Neil Warnock, manager do Cardiff, parecia ser bem essa.

Aos 34 minutos do segundo tempo, Bamba derrubou o brasileiro Willian (que entrou no lugar de Pedro) dentro da área e Jonathan Moss deu o penalty. Hazard bateu e fez seu hat-trick na partida, alcançado a artilharia da competição.

Três minutos mais tarde, Willian novamente protagonizou outro lance mortal para o Chelsea. O meio campista fez boa jogada e chutou colocado da entrada da área para marcar um golaço. Tudo em apenas 15 minutos dentro de campo.

Até o final de jogo, o Chelsea manteve o mesmo ritmo lá na frente e saiu com a goleada de campo, em vitória imponente e totalmente merecida pelo time de Sarri, que mantém os 100% no campeonato.