Croácia bate Espanha dentro de casa e vê sobrevida no grupo 4 da Liga das Nações
Créditos: Croatian Football Federation/Twitter oficial

Croácia bate Espanha dentro de casa e vê sobrevida no grupo 4 da Liga das Nações

Agora croatas contam com uma série de resultados para acreditarem que podem avançar na Nations League

gabriel_oandrea
Gabriel Andrea

Era o duelo entre o lanterna e o líder do grupo 4 da Liga das Nações da UEFA. Com chances remotas de classificação, a Croácia - vice-campeã mundial - recebeu a poderosa Espanha no estádio Maksimir, no norte do país, ainda acreditando que poderia levar seu país longe no grupo. A seleção da casa finalmente teria a presença e o apoio de seu fanático torcedor após o fim da pena que cumpriam após a punição da UEFA depois de casos de racismo por parte dos croatas, fato que tirou o torcedor das arquibancadas por vários meses.

A seleção mandante, sob comando de Dalic, mantinha o mesmo esquema de jogo que adotou nos dois primeiros jogos no grupo. Luka Modric, desta vez com com mais liberdade no meio-de-campo, teve a companhia de Brozovic e Rakitic como volantes mais defensivos, além de Rebic e Perisic como pontas. Kramaric era o centroavante isolado.

Na seleção espanhola, que entrou em campo com 6 pontos e a liderança do grupo, Luis Enrique colocou em campo o que tinha de melhor. As três maiores novidades eram a presença de Iñigo Martinez, Dani Ceballos e Iago Aspas no time principal. Mesmo com os novos jogadores, Luis Enrique manteve o habitual esquema com um 4-3-3 aberto, mas com o Isco sendo o terceiro “falso” homem de ataque, fazendo a função de meio-campista quando o time defendia.

A partida começou com uma agressividade considerável por parte dos croatas. Aos 5 minutos, Perisic deu um bom chute cruzado visando o canto direito do gol e De Gea impediu o gol da Croácia com uma boa defesa. Os espaços apareciam e o time da casa era empurrado por sua torcida para o campo de ataque. Em pouco menos de 10 minutos, a Croácia teve três boas chances de abrir o placar. Kramaric e Rebic incomodavam bastante pelo lado direito da defesa espanhola. Jordi Alba e Sergio Ramos tinham muitos problemas para parar o avanço desses jogadores do lado para o centro do campo e evitar os chutes de longe a gol.

Do outro lado, o ataque espanhol era pouco produtivo. Rodrigo e Aspas não conseguiam reter a bola lá na frente e sobrava para que Saúl Ñiguez e Isco tentassem o arremate de fora da área. Apesar da grande pressão em sua saída de bola, a Espanha mantinha sua paciência para achar os espaços com a bola nos pés e administrar o jogo com seu famoso “tiki-taka”, o que obrigava os croatas a usar e abusar dos contra-ataques.

Os 45 minutos iniciais contabilizavam 63% de possessão de bola para os visitantes e apenas 37% para a Croácia. No referente aos passes certos, a Espanha teve uma média de 89% de eficácia, contra 78% dos croatas. Foram 5 chutes a gol dados pela Croácia e apenas 3 dados pelos espanhóis.

A partida recomeçou bem pegada. O que vimos de bola rolando e de poucas faltas cometidas no primeiro tempo não era possível ver no início da segunda etapa. Aos 9 minutos da segunda etapa, depois de uma bobeada inexplicável na saída de bola da Espanha, Kramaric saiu cara-a-cara com De Gea e abriu o placar. Depois de um passe curto arriscado de Ramos para Sergi Roberto, o lateral tentou inverter o jogo e contou com a sorte para a bola bater na cabeça de Perisic e sobrar livre para Kramaric marcar.

A questão é que do outro lado estava a Espanha. Apenas 2 minutos mais tarde, Isco deu bom passe para Ceballos e empatou a partida em Maksimir, jogando um balde de água fria e consequentemente toda a pressão de volta para os mandantes. O segundo tempo vinha sendo completamente diferente do primeiro.

A Espanha chegou bem perto de virar o jogo, aos 16 minutos. Isco foi acionado por Rodrigo na ponta direita mas o meia não alcançou a bola, que sobrou para Iñigo Martinez pegar embaixo e mandar no travessão antes de sair pela linha de fundo. Grande susto para os croatas. A Croácia não perdoou. Depois de escanteio curto, Modric cruzou com perfeição e encontrou Jedvaj completamente livre na segunda trave. Era o 2º da Croácia em um jogo bem emocionante no segundo tempo da partida.

Assim como ocorreu no empate dos espanhóis, o cenário após o gol da Croácia se repetiu, já que a Espanha foi com tudo para cima do time da casa. Até que, em jogada pela direita, a bola foi lançada na área e o juiz viu mão do lateral Vrsaljko e marcou pênalti para a Espanha. Aos 38 minutos, Sergio Ramos fez e empatou a partida novamente. Foi o 100º gol de Sergio Ramos em sua carreira.

Os ânimos se acirraram no final da partida, já que ambas as seleções procuravam o ataque e a pressão aumentava com o jogo se abrindo. Asensio teve boa chance de marcar em velocidade pela direita mas mandou longe do gol de Kalinic. Em seguida, Modric levantou boa bola na grande área e viu Lovren subir muito para mandar direto nas mão de De Gea, mas sem tanto perigo.

Mas era a noite de Jedvaj. O zagueiro - que vinha improvisado na lateral esquerda - aproveitou rebote de Brekalo e marcou o gol da vitória para a Croácia, aos 48 minutos do segundo tempo, faltando um minutos para o final do jogo. O apito final foi dado e a vitória marcou a sobrevida dos croatas na competição. A Croácia deixou uma condição de quase rebaixada para acreditar que ainda tem chances de avançar no torneio. Foram 5 gols num 2ª tempo bastante intenso e aberto. Os espanhóis, por sua vez, ainda se garantem na primeira colocação no grupo 4, mas não deixam de se abalar com a derrota sofrida fora de casa.

VAVEL Logo