Opinião: A saída de Coutinho fez bem ao Liverpool?
Em Anfield, Coutinho ganhou o apelido de "Mágico" (Reprodução /Liverpool)

Um ano atrás, Phillipe Coutinho trocava Anfield pelo Camp Nou. Uma venda de 160 milhões de euros, que gerou uma expectativa de ascensão em torno do brasileiro e decaída para o Liverpool, que perdia ali a sua grande referência ofensiva. Porém, o tempo passou e o cenário atual revela que foi exatamente o oposto que aconteceu.

De lá pra cá, os Reds se reestruturam e apresentaram uma equipe sólida, que calou os críticos e conquistou a confiança da torcida. Até Pep Guardiola, treinador do rival Manchester City, já declarou que os Liverbirds possuem  " O melhor time do mundo no momento"

Time do Liverpool vem encantando nessa temporada (Reprodução/Liverpool)
Time do Liverpool vem encantando nessa temporada (Reprodução/Liverpool)

Um dos fatores decisivos para a melhora dentro de campo foi a utilização de parte do dinheiro da venda de Coutinho para contratação do zagueiro Van Dijk. O holandês resolveu o grande problema do clube inglês nos últimos anos e é considerado peça fundamental no elenco de Jürgen Klopp.

O sistema ofensivo também não ficou pra trás. O trio de ataque formado por Mohamed SalahSadio Mané e Roberto Firmino se consolidou e provou ser um dos mais letais do futebol mundial. Firmino ou "Bob", como é conhecido na Inglaterra, até ultrapassou o compatriota como brasileiro com mais gols na história do Campeonato Inglês. 

A chegada de outros nomes, que servem como jogadores de reposição, como Keita e Shaqiri, tornou a equipe ainda mais competitiva. Hoje, os Reds estão mais próximos de grandes títulos do que nos seis anos com Coutinho. O time bateu na trave na última edição da Champions League, caindo pro Real Madrid na final, e lideram a atual temporada da Premier League, buscando um título que não vem desde de 1990.

Chegada de Van Dijk e grande fase do trio ofensivo é fundamental para fase do Liverpool (Reprodução /Liverpool)
Chegada de Van Dijk e grande fase do trio ofensivo é fundamental para fase do Liverpool (Reprodução /Liverpool)

É difícil apontar uma razão para a queda de rendimento de Phillipe Coutinho, mas fato é que o Mágico está longe de fazer magia em Barcelona. A maior transação da história dos Blaugranas assiste aos jogos do banco de reservas, perdendo espaço para o veterano Arturo Vidal, que chegou na mesma janela e já conseguiu provar ser mais importante aos olhos de Ernesto Valverde.

Nessa temporada  são nove jogos como titular, de 16 no total, com quatro gols e apenas uma assistência. O desempenho é abaixo do último ano, onde fez 18 partidas, 16 começando entre os 11 primeiros, marcando oito vezes e dando passe pra gol em cinco oportunidades.

O potencial do brasileiro é enorme e ainda há muito tempo para ele mostrar a que veio para o torcedor catalão, afinal o atleta vestirá a camisa do Barça pelo menos até 2023. Mas, hoje é claro afirmar que quem sorriu por último foi o Liverpool.

VAVEL Logo