Opinião: como o futebol inglês voltou a ser protagonista nas competições continentais
(Divulgação / Liverpool)

Opinião: como o futebol inglês voltou a ser protagonista nas competições continentais

Arsenal e Chelsea definem Europa League enquanto Liverpool e Tottenham se enfrentam pelo título da Champions League 

sandroquintanilha
Sandro Quintanilha

A atual temporada europeia vai terminar com um feito inédito, os principais torneios continentais serão disputados por equipes inglesas. Nessa quarta-feira (29), Arsenal e Chelsea decidem a Europa League. Dois dias depois, Liverpool e Tottenham se enfrentam pelo título da Champions League.

Esse monopólio britânico é o fruto colhido após um longo tempo de trabalho. A Premier League reina absoluta como a liga mais difícil do planeta e isso se deve ao fato de que na terra da rainha quase todas as equipes entram visando algo no ano, não apenas para fazer figuração na tabela.

Claro que o Big Six possui uma vantagem considerável, afinal são os times mais ricos do país, mas a vontade de disputar faz com que algumas surpresas apareçam, como foi com o Leicester, em 2015-16. Ao contrário da La Liga e Bundesliga, onde o foco está apenas em dois clubes, na Inglaterra os chamados medianos estão sempre dando trabalho e fazendo com que os gigantes busquem sempre estar se superando.

Em 15-16, o Leiceste surpreendeu o mundo e conquistou a Premier League (Dilvulgação / Leicester)
Em 15-16, o Leicester surpreendeu o mundo e conquistou a Premier League (Dilvulgação / Leicester)

Além disso, a perfeita renovação de treinadores é fator fundamental para o crescimento do futebol inglês. Nomes de peso como Pep Guardiola, Jürgen Klopp , Mauricio Pochettino e Unai Emery estão concentrados em uma mesma região. As filosofias de elite desses técnicos, que antes raramente se encontravam, hoje se enfrentam frequentemente, o que obriga uma evolução e adaptação constante. Espanhóis, alemães e franceses não possuem esse privilégio e por isso não conseguiram superar os britânicos em campo.

É válido destacar, principalmente analisando no contexto do futebol brasileiro, a paciência das diretorias com o trabalho que é realizado no clube. Klopp e Pochettino, os atuais finalistas da maior competição de clubes do mundo, até o momento não conquistaram nenhum título pelos seus clubes. Mesmo assim, os administradores bancaram as ideias propostas, acalmaram a torcida e hoje dominam a Europa.

Após quatro anos no cargo, Klopp poderá levantar seu primeiro título pelo Liverpool (Divulgação / Liverpool)
Após quatro anos no cargo, Klopp poderá levantar seu primeiro título pelo Liverpool (Divulgação / Liverpool)   

Por fim, mas não menos importante, está a evolução qualidade das categorias de base. Após muito tempo no esquecimento, a geração inglesa chegou forte e os times souberam lapidar com maestria os seus jovens talentos, trabalhando suas habilidades e melhorando suas fraquezas. Dele Alli, Alexander Arnold e, principalmente, Harry Kane são exemplos dessa transformação de uma promessa para peça fundamental no elenco.

É incoerente, então, a afirmação de que a má fase das outras potências europeias justifica essa conquista, ou que foi apenas uma coincidência de resultados. O fato é que o futebol inglês está na frente dos demais, tanto tecnicamente quanto administrativamente, e se alguém busca mudar essa realidade é melhor começar a pensar em evoluir desde já.

VAVEL Logo