Chile: as falhas que podem se tornar cruciais na Copa América
Foto: divulgação / Conmebol

O Chile garantiu, na noite da última sexta-feira (21), a classificação antecipada para as quartas de finais da Copa América ao vencer o Equador por 2 a 1 na Arena Fonte Nova, em Salvador. Além do resultado, a partida chamou atenção pela polêmica com o VAR e pelo alto número de cartões distribuídos pelo árbitro Patricio Loustau.

Em campo, a Seleção Chilena confirmou seu favoritismo com a vitória, mas deixou a desejar com o futebol apresentado. A partir de agora, faremos uma análise da postura tática e do desempenho da La Roja na partida em que garantiu a equipe de Reinaldo Rueda na segunda fase da Copa América.

Gols e erros defensivos

Rueda foi a campo no esquema 4-2-1-3 e não surpreendeu na escalação do Chile. A proposta de um futebol ofensivo ficou apenas no papel. Na prática, a La Roja sofreu e contou com uma falha do sistema defensivo do Equador para abrir o placar com Fuenzalida.

O empate equatoriano ocorreu através de um erro de posicionamento do sistema defensivo da Seleção Chilena. Romario Ibarra recebeu um lançamento na parte central da grande área com Isla na marcação. Após o atacante não conseguir o domínio, a bola sobrou para Méndez, que estava totalmente livre pela direita, mas Arias saiu e cometeu pênalti sobre o lateral. Na cobrança, Enner Valência deixou tudo igual.

A partir do empate do Equador, a partida ganhou características sonolentas. Sem conseguir manter o ritmo inicial, o Chile não conseguiu criar ações efetivas no ataque. Vidal, principal jogador do meio-campo, teve uma atuação apagada, refletindo no futebol apresentado pela La Roja até o fim da etapa inicial.

Posicionamento corrigido e vitória garantida

Mais uma vez, o Chile conseguiu balançar as redes no início e em outro erro do sistema defensivo do Equador. Isla cobrou lateral, Aránguiz aproveitou a falha de Mendéz na marcação e cruzou para Alexis Sánchez, totalmente livre, colocar a Seleção Chilena na frente.

Diferentemente do primeiro tempo, o Chile apresentou uma postura defensiva sólida. Assim, o Equador não encontrou espaços para criar jogadas e não conseguiu assustar o goleiro Arias.

Mesmo controlando a partida, o setor de meio-campo da Seleção Chilena seguiu sem criar ações ofensivas. Através de Pulgar, a La Roja ainda tentou ampliar a vantagem por intermédio de bolas aéreas. Entretanto, o goleiro Domínguez salvou o Equador e manteve o resultado de 2 a 1.

Resumão

A ideia ofensiva proposta por Reinado Rueda ainda não surtiu o efeito esperado na Seleção Chilena. Erros de posicionamento no sistema defensivo e a falta de criação no setor de meio-campo podem custar caro para a La Roja na competição. Já classificado, o Chile chega à última rodada com a oportunidade de preservar seus principais jogadores e realizar novos trabalhos para corrigir as falhas demonstradas em campo.

VAVEL Logo