Pérez lamenta expulsão, mas elogia atuação paraguaia: "Fizemos um bom trabalho"
Foto: Divulgação / APF

Mesmo tendo traçado um caminho considerável para uma equipe de patamar inferior às favoritas, o Paraguai — sob o comando do argentino Eduardo Berizzo — chegou bem longe à Copa América 2019, atingindo a fase de quartas de final e parando para os mandantes da competição nas penalidades máximas.

Hernán Arsenio Pérez, meia paraguaio que fez uma boa apresentação a favor de seu país contra a Seleção Brasileira, aproveitando principalmente as situações de contra-ataque, disse após o término da partida:

“Fico triste por todo trabalho que a gente fez, mas é claro que eu e todos nos sentimos muito orgulhosos pelo trabalho que foi feito, é um processo novo e temos muito o que mudar pela frente”, disse o meio-campista.

Apesar da derrota nos pênaltis, o meia viu um lado positivo na saída do time da competição mais importante entre seleções no continente sul americano:

“A atitude, a garra da nossa equipe em vários momentos do torneio em que tentamos fazer algo diferente jogando futebol foi um fator que nos deixa bastante felizes e motivados para o futuro”, complementou o jogador.

Para Pérez, entretanto, a expulsão de Balbuena fez toda a diferença para o andamento da partida:

“Melhoramos nesse jogo (em relação aos anteriores), o problema é que a expulsão deu uma outra condição ao jogo, mas acho que fizemos um trabalho muito bom defensivo e jogamos bem lá atrás”, completou o meia.

Outro jogador a falar com a imprensa no pós-jogo foi o zagueiro Bruno Valdez, que deixou o campo com as seguintes palavras:

“A verdade é que viemos com uma mentalidade que nós cumprimos. Temos muito a melhorar, já que temos um grupo jovem, a gente está com uma comissão técnica nova e claro que há muitas coisas para melhorarmos, mas acho eu a garra que demonstramos fez toda a diferença para que chegássemos tão longe”, finalizou o zagueiro paraguaio.

VAVEL Logo