Itália trucida Armênia e confirma campanha impecável; Bósnia vence e vai disputar repescagem
Foto: Divulgação/FIGC

Um passeio sem nada a reparar, atuação que encaminhou uma goleada histórica, triunfo para confirmar a boa fase italiana. Na tarde desta segunda-feira (18), foi disputada a décima e última rodada das Eliminatórias para a Eurocopa 2020. No Estádio Renzo Barbera, em Palermo/ITA, a Itália não tomou conhecimento da Armênia e massacrou ao golear por 9 a 1. Immobile (duas vezes), Zaniolo (duas vezes), Barella, Romagnoli, Jorginho, Orsolini e Chiesa marcaram os tentos da Squadra Azzurra, enquanto os armênios diminuíram com Babayan.

O resultado deixou a Itália se juntou à Bélgica como as únicas seleções a encerrarem as Eliminatórias com 100% de aproveitamento. Porém, os italianos disputaram 10 partidas, enquanto os belgas entraram em campo nove vezes. Foi a quarta vez que o time marcou nove ou mais gols em uma partida em toda a história; a última vez foi nos Jogos Olímpicos de 1948, quando venceu os Estados Unidos por 9 a 0. Além disso, a goleada confirmou a boa fase dos comandados de Roberto Mancini, com 11 vitórias seguidas em jogos oficiais, a melhor marca da história.

A goleada foi construída no primeiro tempo, quando Immobile abriu o placar aos oito minutos de jogo. Na jogada seguinte, Zaniolo marcou. Barella assinalou o terceiro tento aos 29 minutos, enquanto Immobile marcou seu segundo gol na partida aos 33. O atacante da Lazio marcou seu 19º gol em 18 jogos, o que comprova a excelente fase do goleador. No segundo tempo, a Itália continuou uma máquina de balançar as redes. Zaniolo fez seu segundo e abriu a contagem na etapa complementar. Pouco tempo depois, em seis minutos, três gols marcados: Romagnoli aos 27, Jorginho aos 30 em cobrança de pênalti e Orsolini aos 33. Ainda teve tempo para Babayan marcar o gol de honra da Armênia e Chiesa fechar a conta.

Foto: Divulgação/FIGC
Foto: Divulgação/FIGC

Bósnia e Herzegovina garante vaga na repescagem

A missão da Bósnia e Herzegovina era difícil por não depender apenas de suas próprias forças. A equipe enfrentou Liechtenstein no Rheinpark Stadion, em Vaduz/LIE, e precisava contar com um bom desempenho fora de casa para garantir presença na repescagem. E time fez sua parte no que dependia de si. Venceu por 3 a 0 com todos os gols marcados no segundo tempo. Civic abriu o placar aos 12 minutos e Armin Hodzic fechou a conta com tentos marcados aos 19 e aos 27 minutos da etapa final.

Os bósnios garantiram vaga na repescagem não pela colocação do grupo, uma vez que terminaram na quarta posição, com 13 pontos, atrás da Grécia, mas pelo desempenho na Uefa Nations League. O adversário será conhecido nos próximos dias. Liechtenstein se despede com uma campanha desastrosa, sem vencer e com apenas dois pontos somados.

Foto: Divulgação/EPO
Foto: Divulgação/EPO

Grécia tem dificuldades, supera Finlândia de virada e se despede

No Estádio Olímpico de Atenas, a Grécia se despediu das Eliminatórias em confronto diante da classificada Finlândia. Os escandinavos, com a vaga garantida, abriram o placar aos 27 minutos, com gol de Pukki. Foi o décimo gol marcado pelo jogador nos últimos oito jogos da seleção. No segundo tempo, veio a reação grega. Mantalos empatou o jogo com apenas dois minutos da etapa final. Aos 25, Galanopoulos virou o marcador e definiu a vitória grega.

Classificação Grupo I

  1. Itália – 30 pontos
  2. Finlândia – 18 pontos
  3. Grécia – 14 pontos
  4. Bósnia e Herzegovina – 13 pontos
  5. Armênia – 10 pontos
  6. Liechtenstein – 2 pontos
VAVEL Logo