Reunião da UEFA em Amsterdã define sedes para finais e mudanças a partir de 2021 
Foto: Reprodução/Uefa

O Comitê Executivo da UEFA esteve em Amsterdã nesta segunda-feira (2) para definir diversas pautas que entrarão em vigor a partir do fim desta temporada. A aprovação dos novos regulamentos da Champions League e escolha dos locais sede das finais da Europa League, Supercopa e Women´s Champions League foram divulgados ao fim da manhã, em comunicado no site oficial da entidade.

Feminino

Foto: Reprodução/Uefa   

O Juventus Stadium, em Turim, foi escolhido para sediar a final da Champions League feminina em 2022. Com capacidade para 41.500 pessoas, a moderna arena foi inaugurada em 2011 e pela primeira vez será palco da grande decisão. Para o ano seguinte, o PSV Stadium, em Eindhoven receberá a final da competição. Criado em 1910, o estádio que fica nos Países Baixos conforta 35 mil lugares e coleciona uma série de decisões, bem como as antigas Taças da UEFA e jogos qualificatórios para a Copa do Mundo.

PSV Stadium receberá a final de 2021 (Foto: Reprodução/Uefa)    

Desde 2010 sendo final em jogo único, a Champions League feminina não joga mais suas decisões na mesma sede escolhida para a categoria masculina desde o ano passado. Em 2019 o Ferencváros Stadium, em Budapeste foi o local da decisão. O Viola Park, em Viena será o palco deste ano, enquanto Gamla Ullevi, em Gotemburgo sediará a final de 2021.

Masculino

Puskás Arena, sede da Europa League (Foto: Reprodução/Uefa)

A reunião da UEFA também confirma a sede da final da Europa League em 2022. A Puskás Arena, em Budapeste, Hungria, receberá a decisão do evento. Além do mais, a Supertaça da UEFA de 2022 e 2023 também foram anunciadas respectivamente, tendo o Olímpico de Helsínquia, na Finlândia e Kazan Arena, na Rússia, os locais definidos em sequência.

Regulamentos aprovados

Destaque para as decisões confirmadas pela reunião de hoje, em Amsterdã, o futebol feminino terá novidades a partir de 2021/22. A UEFA confirma a alteração do novo regulamento que entrará em vigor na temporada citada. Com a hasthag Time For Action, o objetivo principal é duplicar o alcance e o valor da competição feminina.

Quatro grupos com quatro equipes substituirá a chave de oitavas de final, com duas classificações por grupo após partidas de ida e volta. A UEFA se tornará responsável pela transmissão das partidas e divulgação de imagens da competição. Com 50 federações confirmadas, os seis países melhores ranqueados na entidade terão direito à três vagas, enquanto do 7º ao 16º poderão fornecer dois clubes, e os demais brigarão por uma vaga cada, com a previsão de dez países presentes no torneio.

VAVEL Logo