Giroud detalha razões para permanecer no Chelsea: “Precisavam de substituto”
Foto: Divulgação/Chelsea

O atacante do Chelsea Olivier Giroud afirmou que fez o que estava ao seu alcance para deixar a equipe londrina na janela de transferências no último mês de janeiro. Com a insatisfação por jogar pouco devido ao desempenho muito bom de Tammy Abraham na primeira metade da temporada, o centroavante de 33 anos deixou manifesto o desejo de jogar por outro clube em 2020. Porém, como os Blues não conseguiram trazer algum substituto ao jogador francês, Giroud permaneceu no Chelsea.

“Para ser sincero, eu me vi jogando em outro lugar. Eu tive seis meses difíceis e é por isso que eu queria uma mudança de cenário para voltar a jogar e me divertir em campo, então tentei sair em janeiro. Fiz tudo o que pude, mas o Chelsea não queria me deixar sair porque a condição era que eles precisassem substituir. No dia 31 de janeiro, eu ainda esperava que fosse embora. Fiquei muito desapontado, mas eu diria que, na manhã seguinte, deixei tudo isso para trás”, explicou.

Giroud comentou também sua relação com o técnico Frank Lampard. O atacante conversou várias vezes com o treinador e viu que houve o cumprimento de uma conversa que garantiu ao francês maior minutagem em campo na segunda metade da temporada.

“Eu voltei direito ao jogo e tive a sorte por termos as férias de inverno. Voltei na semana seguinte e fui relacionado ao jogo contra o Manchester United, quando entrei e marquei, mas estava impedido. Depois, teve o gol contra o Tottenham e eu comecei a jogar regularmente e assim que é agora. O treinador me prometeu mais tempo de jogo e manteve sua palavra, então simplesmente tentei me arriscar”, continuou.

O campeão mundial de 2018 com a Seleção da França e atual vencedor da Uefa Europa League com a equipe de Londres disse que recebeu propostas da Internazionale, da Lazio e do Tottenham. O atacante explicou que teve algumas conversas com o técnico da Inter, Antonio Conte, mas entendeu a necessidade de Lampard no momento e se mostrou grato por estar mais vezes em campo.

“Todo mundo sabe que o projeto mais interessante para mim foi a Internazionale. O problema era que se arrastava e, embora a Lazio e o Tottenham estivessem ambos interessados, no fim das contas não era mais uma questão de onde eu iria, e, sim, se eu poderia ir ou não. Quanto à Inter, eu conversei com Antonio Conte por telefone e ele me conhecia desde o tempo em que esteve no Chelsea, tendo sido o treinador que me trouxe até aqui. Ele gostou do meu perfil como jogador, e isso foi uma vantagem, além de que a Inter estaria na Uefa Champions League do próximo ano. É um clube enorme. Fui ver Frank Lampard em seu escritório nos últimos três ou quatro dias da janela de transferências todas as manhãs para tentar uma solução. Ele me deu a primeira chance e eu a aproveitei. No final, Lampard precisava de mim”, finalizou.

VAVEL Logo