Kane enxerga evolução na Inglaterra e mira ultrapassar Rooney na artilharia da seleção
Foto: Divulgação/Fifa

Longe dos gramados desde o início de janeiro, por conta de uma lesão no tendão da coxa esquerda, Harry Kane abriu o coração à Sky Sports. O capitão reviveu momentos marcantes com a camisa da Inglaterra

"Minha estreia na Inglaterra (contra a Lituânia em março de 2015) ainda é provavelmente o meu momento favorito na Inglaterra. Marcar 79 segundos depois de sair do banco é literalmente tudo o que você sonha quando criança".

Apelidado The Hurricane (O Furacão), Kane começou sua trajetória na  Seleção Sub-17, em 2010. Até chegar na principal, passou pelas categorias Sub-19, Sub-20 e Sub-21. Somando 79 jogos, sendo 45 com a principal, o atleta ressalta o grande marco quando tornou-se capitão. 

"Minha carreira na Inglaterra foi fantástica até hoje [...] ser nomeado capitão, ter a Copa do Mundo de 2018 que reuniu os fãs e a nação - foi uma grande conquista. O próximo passo para a Inglaterra é ganhar troféus. Temos uma equipe muito empolgante, e cabe a nós mostrar que podemos ganhar troféus em nível internacional. Toda vez que jogamos, parece que estamos melhorando a cada jogo".

A Inglaterra chegou na semifinal da Copa do Mundo de 2018. Algo que não acontecia há 28 anos. O atacante do Tottenham destacou o grande papel desempenhado pelo técnico  Gareth Southgate.

"Sempre colocamos o futebol de clubes de lado, pois é importante que o foco esteja na Inglaterra. Você não pode ter a mente das pessoas em outros lugares e sinto que Gareth Southgate fez um trabalho fantástico nesse aspecto. [...] O que a Copa do Mundo na Rússia mostrou foi que estamos perto, temos uma boa equipe e somos capazes de vencer qualquer um. Não era para ser, mas para nós é como progredir e levá-la para 2022. Espero que possamos criar o mesmo burburinho e a mesma atmosfera para os fãs".

Ocupando a sexta posição dos maiores artilheiros da seleção inglesa, com 32 gols. Wayne Rooney é o primeiro, tendo marcado 53 vezes. Com 26 anos, Kane ambiciona alcançar o posto.

"Olhando agora, ficaria desapontado se não chegasse a esse número. Sou um cara confiante e sinto que, se continuar jogando pela Inglaterra pelos próximos cinco ou dez anos, com certeza. Eu quero bater, teremos que esperar e ver".

Dono da camisa 9, o atleta faz as contas e se manter o bom nível, crê que poderá ser o primeiro colocado.

"Ainda tenho 21 gols de distância, então ainda há um pouco mais de tempo. Estou confiante de que, se permanecer em forma e saudável, poderei alcançá-lo".

VAVEL Logo