Técnico do Bétis reclama de pênalti, mas elogia Sevilla após derrota no clássico: "Muito difícil de superar"
Foto: Divulgação/Betis

Em uma das maiores rivalidades da Espanha e marcando o retorno de LaLiga após mais de três meses, o Sevilla derrotou o Betis pelo placar de 2 a 0, nesta quinta-feira (11). Os gols saíram no segundo tempo e foram marcados por Lucas Ocampos, de pênalti, e pelo brasileiro Fernando, de cabeça.

No Estádio Ramón Sánchez Pizjuán, o time mandante foi superior, permanecendo por mais tempo no campo de ataque. Já a equipe do Betis não teve grandes oportunidades de balançar as redes e saiu de campo sem o resultado positivo pela quarta vez nos últimos cinco jogos.

Marc Bartra, zagueiro envolvido no lance do pênalti contra o Bétis, não concordou com a marcação do árbitro e terminou a partida inconformado. Para ele, foi uma disputa normal de posição.

"É incrível, tenho a posição conquistada acima, pulo antes, e ele encontra meus braços, acho que é só mais um lance, é incrível, olha a reação dele, ninguém protestou nada. O futebol é um esporte de contato. Eu acho que não é uma penalidade e que já decide tudo, nesse nível os detalhes decidem muito”, protesta.

Quanto ao jogo, o defensor acredita que a marcação do pênalti foi essencial para o resultado.

"Eu acho que foi um jogo bastante equilibrado, eles tiveram ocasiões, mas tudo foi muito equilibrado. O jogo é marcado por uma jogada muito duvidosa na qual eu não vejo uma penalidade em nenhum lugar e estraguei tudo. Muito chateado porque sabíamos a importância da partida para nós e todos do Betis", lamenta.

O técnico Rubi concordou com o zagueiro de sua equipe a respeito do pênalti que abriu o placar para o Sevilla. Revelou que pediu ao árbitro que revisasse o lance.

"Não comentei nada, mas em campo tentei vê-lo porque é uma jogada que, se você voltar a ver, tão importante como um 1 a 0, com um mini contato, é muito importante ... decidiu que não queria revê-lo", reclama ele.

Ainda assim, o comandante assume que a derrota foi justa, justificando que o Sevilla foi superior, e que seus jogadores não criaram situações de gol.

Jogamos contra um time muito forte, difícil, difícil de superar. Aguentamos o primeiro tempo possível porque não estávamos bem lá em cima. Tivemos o jogo nesses minutos, sei o quão ruim era a situação com o primeiro gol, mas no geral eles foram melhores que nós. Estivemos em áreas de baixo risco, fomos bem pressionados, não estivemos bem na zona final, tínhamos a bola atrás de nós, algo sempre acontecia".

Rubi comentou também sobre o estado físico de sua equipe.

"Está claro que os jogadores vão acabar muito cansados, especialmente aqueles que jogam os 90 minutos. É mais uma questão de mentalidade, porque eles estão preparados, mas é preciso ter uma cabeça forte, porque a situação está mais difícil do que o habitual", explica.

Com a derrota, o Betis se manteve, temporariamente, na 12ª posição da tabela com 33 pontos, a oito da zona de rebaixamento. O próximo jogo é contra o Granada, em casa, na próxima segunda-feira (15), às 17h.  

VAVEL Logo