Vale vaga
na final! RB Leipzig e PSG fazem primeira semi da Champions League
Foto: Divulgação/RB Leipzig

Após jogos eletrizantes nas quartas de final, chegou a vez das semifinais na Uefa Champions League 2019-20. Em uma das chaves, a decisão será entre RB Leipzig e Paris Saint-Germain, que se enfrentarão em jogo único nesta terça-feira (18), no Estádio da Luz, em Portugal.

O confronto, aliás, será inédito entre as equipes na competição europeia. O primeiro e último encontro foi em julho de 2014, em amistoso que os alemães derrotaram os parisienses por 4 a 2. Na ocasião, o Leipzig disputava a 2.Bundesliga, enquanto o PSG buscava se firmar entre os grandes times do futebol mundial.

Para chegar à semifinal, os Touros se classificaram em primeiro no Grupo G, conseguindo 11 pontos em seis jogos, distribuídos em três vitórias, dois empates e uma derrota. Nas oitavas de final enfrentaram o Tottenham e venceram as partidas de ida e volta por 1 a 0 e 3 a 0, o que resultou em 4 a 0 no agregado. Nas quartas de final, no último jogo, garantiram o triunfo por 2 a 1 diante do Atlético de Madrid.

O PSG, por sua vez, conquistou 16 pontos no Grupo A, sendo cinco vitórias, um empate e nenhuma derrota. Nas oitavas de final, teve partida difícil contra o Borussia Dortmund; os alemães venceram na ida por 2 a 1, mas na volta, o time francês venceu por 2 a 0 e ficou com a classificação. O jogo também não foi fácil contra a Atalanta nas quartas de final; no último confronto, os italianos estavam com a vitória em mãos, mas deixaram escapar nos acréscimos ao sofrer virada por 2 a 1.

Quem avançar à próxima fase, será estreante em finais da Champions League. Com apenas 11 anos de fundação, o RB Leipzig está fazendo história: a atual edição da competição europeia é, no momento, a melhor participação do clube alemão. O Paris, enquanto isso, volta a disputar uma semifinal após 25 anos, sendo a primeira e última realizada em 1994-95.

Focar em si mesmo antes de pensar no Paris

Julian Nagelsmann (Foto: Divulgação / RBL)
Julian Nagelsmann (Foto: Divulgação / RBL)

Em entrevista coletiva, Julian Nagelsmann, o jovem treinador do RB Leipzig, comentou suas expectativas para o jogo diante do PSG.

“Queremos fazer o nosso jogo e focarmos em nós próprios em vez de pensar no Paris. Não jogamos realmente o tipo de futebol que queríamos depois do recomeço, mas pode-se vencer e jogar mal. Os jogadores têm vontade e fome de vencer e posso ver isso em seus rostos. Estivemos muito bem contra o Atleti e agora temos uma possibilidade grande contra o Paris. Queremos dar o próximo passo e estamos prontos para isso.”

O alemão de 33 anos mencionou a experiência que teve com Thomas Tuchel, treinador do PSG, enquanto trabalharam no Augsburg.

“Joguei sob as ordens de Tuchel. Precisava de dinheiro e fui pago como jogador, mas lesionei-me e tive que fazer uma escolha para financiar os meus estudos. Tive a possibilidade de observar e analisar os adversários. Nunca imaginei naquela época que chegaria a uma semifinal da Champions League e jogar contra ele.”

Por fim, Nagelsmann respondeu que não iria revelar seus planos táticos antes do jogo e não consegue prever o que esperar de Neymar e Mbappé, a dupla de ataque dos parisienses que causa pesadelo nos adversários.

“Não vou revelar os meus planos táticos antes do jogo! Não jogamos com uma defesa de três zagueiros contra o Atleti porque não era necessário. Todos os meus jogadores estão em forma, treinando bem e estamos motivados. Não dá para prever o que Neymar e Mbappé podem fazer; eles são jogadores de topo. Precisamos nos defender como equipe. Vai ser difícil, mas precisamos fazer com que trabalhemos e coloquemos eles sob pressão. O futebol é interessante quando as duas equipes gostam de atacar.”

O atacante Poulsen também comentou sobre a decisão e seu atual papel na equipe: “Eles não vão defender tão atrás como o Atleti, então vai ser uma abordagem diferente para mim como enquanto atacante. Desde que o Werner saiu, o meu papel mudou um pouco, mas é ótimo ter Dani Olmo ao meu lado ou atrás de mim. Como vimos contra o Atleti, podemos jogar bem juntos.”

Situação do elenco alemão

O técnico Julian Nagelsmann terá todo seu elenco à disposição para a partida. Portanto, não deve ter dor de cabeça na hora da escalação inicial.

Provável escalação do RB Leipzig (4-2-3-1): Péter Gulácsi; Lukas Klostermann, Dayot Upamecano, Marcel Halstenberg, Angeliño; Konrad Laimer e Kevin Kampl; Marcel Sabitzer, Dani Olmo, Christopher Nkunku; Yussuf Poulsen.

Falar apenas sobre o presente

Thomas Tuchel (Foto: Divulgação / PSG)
Thomas Tuchel (Foto: Divulgação / PSG)

Técnico alemão do PSG, Thomas Tuchel brincou sobre a semifinal ser dominada por técnicos alemães: “Somos três treinadores alemães nas semifinais e acredito que Rudi Garcia também tem um pouco de alemão, então somos três e meio.”

O treinador de 46 anos valorizou a diferença que a dupla Neymar e Mbappé pode fazer em campo e a liderança que o jogador brasileiro exerce na equipe.

“Neymar e Mbappé podem fazer a diferença em campo. O Neymar pode driblar e o Mbappé é tão rápido. É uma grande mistura, é essa a nossa força. Cada equipe tem as suas forças e ligações especiais entre jogadores. Neymar sempre foi um líder, mesmo quando eu cheguei. Ele está a mostrar confiança, coragem e é isso que um líder tem de fazer em campo. Há um ambiente muito bom entre os jogadores e isso ajuda o Neymar a jogar melhor. É um esporte de equipe, então ele não o pode fazer sozinho.”

Assim como Nagelsmann, Tuchel também comentou a convivência que teve no passado com o atual adversário: “Não se pode prever o futuro. Estava estagiando no Augsburg e o Nagelsmann era um jogador de 20 anos. Infelizmente, ele estava sempre lesionado. Entretanto, eu perguntei se ele podia ver jogadores e me ajudar. Ele fez um grande trabalho e veja o que aconteceu com ele.”

O alemão analisou a temporada do PSG e aponta merecimento: “Estamos aqui porque merecemos. Fizemos uma grande temporada e trabalhamos muito; levamos cada jogo a sério. Não vamos falar sobre o passado; apenas sobre o presente. Temos fome de sucesso, de sucesso. Queremos fazer com que o trabalho árduo que fizemos seja recompensado.”

Para finalizar, Tuchel analisou o Leipzig e suas expectativas para a decisão.

“[O Leipzig] pressiona alto, são corajosos, uma equipe jovem e rápida, como a Atalanta foi. Temos o nosso estilo e eles o deles. Sabemos que o Leipzig muda as suas táticas de jogo para jogo. Eles também podem adaptar-se durante o encontro. Vai ser um jogo difícil de se preparar. Eles jogaram no 4-4-2 contra o Atleti, por exemplo. Precisamos apenas nos concentrar em nós próprios, nas nossas táticas, estrutura e qualidades, e procurar impor o nosso jogo.”

O meia Ander Herrera valorizou a temporada do clube parisiense, e por fim, analisou a velocidade do Leipzig no ataque.

“É uma grande oportunidade [de chegar à final]. Não queremos falar de pressão. Ganhamos quatro títulos nacionais, tivemos uma grande temporada e é um sonho estar nas semifinais da Champions League. O Leipzig ataca com muitos jogadores; vimos isso contra o Atleti. Eles colocam muitos jogadores na frente, o que é perigoso, mas também temos muitos jogadores rápidos no contra-ataque.”

Situação do elenco francês

O técnico Thomas Tuchel não poderá contar com o goleiro Keylor Navas, que se lesionou no último jogo, enquanto Kurzawa, Verratti e Gueye são dúvidas para o confronto.

Provável escalação do PSG (4-4-2): Sergio Rico; Thilo Kehrer, Thiago Silva, Presnel Kimpembe, Juan Bernat; Marquinhos, Ander Herrera, Leandro Paredes, Pablo Sarabia; Neymar e Mbappé.

Arbitragem

Árbitro: Björn Kuipers (Holanda)

Assistentes: Sander van Roekel e Erwin Zeinstra (Holanda)

Quarto árbitro: Artur Dias (Portugal)

VAR: Pol van Boekel (Holanda)

VAVEL Logo