Alemanha decepciona, aposta em contra-ataque e cede empate no fim à Espanha
Gayà empata para a Espanha. Foto: Divulgação/UEFA Nations League

Depois de 17 anos, Alemanha e Espanha finalmente voltaram a fazer uma partida com mais de um gol marcado. Em jogo válido pela Liga A da UEFA Nations League, a seleção espanhola viajou até Stuttgart e buscou o empate por 1 a 1 nos acréscimos. Diante do que era esperado, a partida decepcionou, muito por conta do segundo tempo, onde após a Alemanha abrir o placar, se recuou totalmente a abriu mão do jogo ofensivo.

Equilíbrio e chances mal aproveitadas

O primeiro tempo foi marcado pelo equilíbrio entre as duas seleções. A posse de bola ficou em 48% - 52% para a Espanha e os dois times tiveram quatro finalizações cada, sendo que os alemães acertaram o gol três vezes e os espanhóis, duas. Apesar disso, as duas seleções abusaram do desperdício de chances criadas e, no caso da Alemanha, dos erros de saída de bola.

Antes mesmo dos 10’, a Mannschaft já dava pinta de qual seria o seu estilo de jogar ao fazer duas tentativas de bola enfiada para Draxler e Werner, que não aproveitaram por estarem impedidos. Aos 13’ veio o primeiro erro defensivo alemão após recuo mal feito pelo meia improvisado como zagueiro Emre Can e saída estabanada do goleiro Kevin Trapp, mas Rodrigo demorou para chutar. No contra-ataque, Draxler quase marcou e obrigou De Gea a fazer boa defesa.

Os alemães chegariam mais vezes com muito perigo com Thilo Kehrer, de cabeça, e Leroy Sané, com um bom chute em curva, e obrigaram o De Gea a fazer defesas difíceis, mas erraram defensivamente e só não saíram atrás do placar por que os jogadores da La Roja não souberam aproveitar. A Alemanha até armou mais jogadas de perigo, mas não chegou nas finalizações por que Werner, Sané e Draxler desperdiçaram ao tomarem decisões erradas seja na finalização, seja no passe.

Ataque contra defesa e empate no finalzinho

Aos 51’, Ilkay Gündogan faz ótima inversão para o estreante Robin Gosens, que avança e aciona Werner no meio da área. O atacante teve apenas o trabalho de limpar e finalizar no canto esquerdo do De Gea para abrir o placar. Após o gol, a Alemanha se animou e passou a pressionar a Espanha em busca do segundo, e só não conseguiu por que Thiago fez um desarme preciso em cima do Sané. 

Agora atrás no placar, a Espanha passou a avançar mais e a obrigar a Alemanha a buscar o contra-ataque em velocidade e aos 60’ de jogo, Sané foi acionado em velocidade a passou para Timo Werner, que ao finalizar sem ângulo, perdeu a chance de ampliar o placar. Depois deste ponto da partida, a seleção alemã, no entanto, passou a focar apenas em se defender e a buscar um possível contra-ataque: Sané, lesionado, foi substituído por Matthias Ginter e com isso, a Alemanha passou a atuar no 5-4-1 com o Werner puxando o ataque e chamou ainda mais a seleção espanhola para o seu campo. 

Os alemães quase não criaram depois disso e a melhor chance veio em uma cabeçada de Antonio Rüdiger após cobrança de escanteio, onde ele subiu livre de marcação, mas mandou a bola para fora. Nos últimos minutos de jogo, o técnico Joachim Löw abriu mão de atacar, tirou Timo Werner e colocou Robin Koch para armar um verdadeiro ferrolho e fechar mais ainda a zaga. Sem sofrer mais nenhuma pressão ofensiva, a Espanha subiu em bloco para o ataque e buscou o empate nos últimos segundos de jogo, após a bola ficar viva na área e Gayà cabecear para o gol.

Próximos compromissos

As duas seleções entrarão em campo novamente no próximo domingo (06). A Alemanha viajará até a Basileia, onde enfrentará a Suíça e a Espanha receberá a Ucrânia em Madri.

VAVEL Logo