Com
Mbappé e Cristiano Ronaldo, França e Portugal não encontram espaços em empate
Foto: Divulgação/UEFA

Apesar das expectativas, França e Portugal ficaram no empate em 0 a 0 neste domingo (11) pela terceira rodada da Liga das Nações, Grupo 3 da Liga A. No Stade de France, Mbappé e Cristiano Ronaldo passaram em branco.

O confronto era gigante. De um lado, o campeão da última Copa do Mundo; do outro, o campeão da última Eurocopa, em 2016. E a seleção portuguesa ergueu a taça quatro anos atrás, justamente, contra a francesa no mesmo palco de agora, onde venceu por 1 a 0 na prorrogação. Era o primeiro encontro entre as equipes desde então, com gosto de revanche para os anfitriões.

Como se esses fatores não bastassem, ainda era o embate entre dois dos melhores jogadores do mundo: Mbappé contra Cristiano Ronaldo. Além deles, mais talentos de ambos os lados, justificando as duas seleções serem colocadas como entre as melhores da atualidade. Por se tratar de confronto direto na liderança isolada do grupo (Portugal e França entraram em campo com seis pontos cada), os três pontos eram essenciais para aproximar uma delas da classificação para a fase final.

Estratégias

Didier Deschamps escalou sua equipe campeã mundial no esquema 4-4-2. No gol, Lloris. Varane e Kimpembe formaram a dupla de zaga, enquanto Pavard pela direita e Lucas Hernández pela esquerda cuidaram das laterais. No meio-campo, o losango francês formado por Kanté, Rabiot, Pogba e Griezmann, com o último mais responsável pela construção ofensiva. No ataque, Mbappé aparecia com sua velocidade e qualidade técnica pela esquerda, e Giroud tomava conta da área como camisa 9.

Fernando Santos optou pelo esquema 4-3-3, apostando em seu camisa 7. Rui Patricio cuidou do gol. A zaga contou com Ruben Dias e Pepe. Nas laterais, Semedo pela direita e Raphael Guerreiro pela esquerda. O meio-campo tinha Danilo Pereira no primeiro combate; William Carvalho e Bruno Fernandes com a função de armação. E, mais à frente, o craque Cristiano Ronaldo, João Félix e Bernardo Silva trocando posição em busca do gol português.

Franceses e portugueses fazem disputa por espaços com poucas chances reais

Grande intensidade para um grande jogo. Assim foi a primeira etapa. Quem ficou com a bola no início foi Portugal, estudando como chegar na área adversária. Cristiano Ronaldo começou na ponta-esquerda, puxando para o meio quando tinha a bola. O que aconteceu pouco devido à marcação compacta.

Na sequência, a França tomou a posse da bola, trocando passes com mais objetividade e fazendo uma transição mais rápida ao ataque. Além disso, marcava já no campo de ataque. A partida era pegada, inclusive faltosa. Antes da metade do primeiro tempo, CR7 já estava na ponta-direita. Apenas aos 16 minutos, a primeira chance de gol, com Mbappé, mas em posição de impedimento.

Com 18, 53% de posse de bola para os Azuis. A primeira chance de finalização de Cristiano Ronaldo foi aos 23, travado pelo adversário na hora certa. A Seleção das Quinas começou a apostar no chuveirinho para a área. O jogo era de poucos espaços e marcações individuais fortes, resultando no número reduzido de finalizações. Aos 38, eram três de Portugal contra duas da França, além de 51% em posse também para os portugueses. CR7 se movimentava na frente da área para desvincular da marcação.

Mas a segunda etapa já teve início com posturas diferentes. Logo com menos de dois minutos, Mbappé já havia ameaçado pela esquerda duas vezes, o que não conseguiu nos 45 minutos iniciais. Em resposta, a equipe portuguesa foi para a pressão ofensiva. A partida ficou mais aberta, principalmente pelo meio.

A equipe francesa era mais incisiva, trabalhando no campo de ataque. Pogba era mais participativo na entrada da área pela direita. Aos 15 minutos, Bernardo Silva saiu para a entrada de Diogo Jota, de característica mais ofensiva. A essa altura, eram 51% em posse a favor de Portugal, igualdade técnica que permaneceria até o apito final.

A França continuava mais no campo adversário, tentando penetrar na área. Pela dificuldade, o chuveirinho para Giroud foi uma das opções. Mbappé havia mudado de posicionamento, aparecendo pela ponta-direita. Aos 28, cobrança de falta portuguesa de longe pela esquerda, Pepe foi na bola de cabeça e colocou para dentro, mas o assistente apontou impedimento do zagueiro.

Os técnicos, então, resolveram apostar em substituições para conseguir o gol do jogo. Deschamps sacou Giroud para a entrada de Martial, buscando mais movimentação na área adversária, e Mbappé, que não teve o destaque característico, para a vinda de Coman. Já Fernando Santos trocou Bruno Fernandes, William Carvalho, Raphael Guerreiro e João Félix por Renato Sanches (mais infiltração no ataque), o experiente João Moutinho, João Cancelo e Trincão, respectivamente.

Nos acréscimos, quase o gol de Cristiano Ronaldo em chute forte pela esquerda, espalmado por Lloris. Final sem gols no estádio francês. Finalizações totais: 9 a 8 para os anfitriões, mas poucas chances reais no grande confronto da rodada.

Classificação e próximos compromissos

Com o empate sem gols, Portugal se manteve na liderança do Grupo 3 agora com sete pontos. Mesma pontuação da França, no segundo lugar, mas com menor saldo de gols. A Croácia vem na terceira posição com três pontos, e a Suécia na lanterna, sem pontuar.

O próximo compromisso dos Azuis é já nesta quarta-feira (14) às 15h45 contra a Croácia pela quarta rodada da Nations League. A Seleção das Quinas volta a campo também na quarta-feira (14) às 15h45, quando recebe a Suécia pela competição europeia.

VAVEL Logo