Em jogo emocionante, defesas pecam e Alemanha fica no empate contra Suíça
O  belo gol de Remo Freuler (Foto: Reprodução /UEFA Nations League)

Foi uma partida de tirar o fôlego em Colônia. No jogo de abertura do returno do Grupo A4 da UEFA Nations League, Alemanha e Suíça mostraram muito oportunismo. Os alemães ao se aproveitarem do baixo percentual de acerto de passes da Suíça (80%) e os suíços ao fazerem bom uso das falhas defensivas da Alemanha, sejam elas de marcação ou de saída de bola.

O jogo de hoje também ficou marcado por ser o de número cem do veterano Toni Kroos com a camisa da Mannschaft.

Errar custa caro

A Alemanha começou o jogo dominando e chegou a incríveis 90% de posse nos primeiros cinco minutos, mas a primeira finalização com perigo veio dos pés de Xherdan Shaqiri, que obrigou o goleiro alemão Manuel Neuer a fazer uma grande defesa. Na cobrança de escanteio, o atacante Mario Gavranovic recebeu a bola pelo alto, cabeceou por cobertura e contou com a ajuda do Neuer, que por julgar que o suíço estava em posição de impedimento, tirou a mão do lance e se limitou a ver a bola morrer no fundo do gol. 

Aos 15’ a Suíça apenas não fez o segundo após erro de saída de bola da Alemanha por que o Neuer conseguiu se recuperar bem do lance e fazer boa defesa após chute do Gavranovic.

Aos 27’, após erro de passe de Toni Kroos no meio campo, o time Suíço saiu em um contra-ataque em velocidade e o atacante Haris Seferovic acionou Remo Freuler que se aproveitou da má formação defensiva alemã e teve a liberdade necessária para fazer um belo gol por cobertura. Mas os suíços mal tiveram tempo para comemorar, pois aos 28’, Kai Havertz se aproveitou de um erro de passe do meio campo e fez um belo passe para Timo Werner bater no contrapé do goleiro Yann Sommer e descontar para os donos da casa.

Por estar à frente do placar, a seleção da Suíça se fechou em sua defesa em uma formação 5-3-2 e se armou para sair no contra-ataque em velocidade. Com isso, a Alemanha passou a ter mais posse de bola e a trabalhar na tentativa de abrir famoso ferrolho suíço. 

Ao final do primeiro tempo, apesar de ter finalizado mais, a Alemanha tinha apenas três chutes no alvo, mesma quantidade de seleção suíça, que fez um bom trabalho defensivo e conseguiu uma impressionante marca de seis desarmes, oito interceptações e 22 cortes de passe (contra onze desarmes, sete interceptações e apenas seis cortes por parte dos alemães).

Ataques afiados e defesas instáveis

A Suíça voltou para o segundo tempo com a mesma proposta de se manter fechada e tentar surpreender a frágil defesa alemã no contra-ataque e continuou se mantendo fortemente defensiva com sua linha de cinco zagueiros e três meio-campistas recuados.

Apesar de estar taticamente muito bem postada em campo, a seleção suíça pecava excessivamente no erro de passes e aos 54’, Kai Havertz com bastante oportunismo pegou a bola na saída dos suíços, avançou em velocidade e bateu cruzado para empatar. A Alemanha parecia que reagiria e buscaria a virada, mas aos 56’, Seferovic recebeu livre e em condições e finalizou duas vezes para defesa dupla de Neuer. Na sequência do lance, Gavranovic pegou a sobra livre no meio da área e colocou os suíços novamente em vantagem no placar. 

A alegria suíça, novamente, durou pouco. Aos 60’, Serge Gnabry recebeu pelo meio da área e finalizou de letra. O goleiro Yann Sommer até chegou a tocar na bola mas não com força o suficiente para impedir que ela entrasse.

Com o 3 a 3 no placar, os dois lados passaram a agir com uma maior cautela, e chegaram até mesmo a números de finalizações muito próximos (nove para a Alemanha, sete para a Suíça), mas não conseguiram marcar o gol da vitória. 

Antes do final da partida, a Suíça ainda ficou com um a menos quando o zagueiro Fabian Schär foi expulso.

Com o empate e a vitória da Ucrânia sobre a Espanha por 1 a 0 em Kiev, a disputa pela primeira colocação no Grupo 4 da Liga A da UEFA Nations League ficou emocionante, com a Espanha em primeiro com sete pontos, Alemanha em segundo, com seis pontos e um gol de saldo, Ucrânia em terceiro, com seis pontos e menos três gols de saldo e, enfim, com Suíça na lanterna, com apenas dois pontos.

VAVEL Logo