Arsenal cria pouco, City é eficiente e vence clássico na Premier League
Foto: Divulgação/Premier League

O Manchester City voltou a vencer pela Premier League no clássico contra o Arsenal pelo placar de 1 a 0 neste sábado (17). Na partida válida pela quinta rodada, Sterling foi o autor do único gol no Etihad Stadium.

Mais um encontro entre o vitorioso técnico Pep Guardiola e seu ex-auxiliar Mikel Arteta. No último, vitória dos Gunners por 2 a 0 pelas semifinais da Copa da Inglaterra, em julho. Na tabela do Campeonato Inglês, enquanto os três pontos poderiam levar o time de Londres à vice-liderança, os Citizens, na 14ª posição, precisavam reagir. Vindo de um empate e uma derrota, poderia ser o terceiro jogo seguido sem vitória para Guardiola, fato que aconteceu pela última vez há mais de três anos.

Estratégias

Pep Guardiola tinha desfalques importantes: o meia Kevin De Bruyne e o atacante Gabriel Jesus. Mas também teve boas notícias: pôde escalar Sterling e Agüero, voltando de lesão após quase quatro meses. Esquema tático: 3-5-2. No gol, Ederson. Walker, Ruben Dias e Nathan Aké formaram o trio de zaga. No meio-campo, Rodri Hernández era o homem mais recuado, Mahrez abria e atacava pela direita, Phil Foden pela esquerda, enquanto João Cancelo e Bernardo Silva cuidavam da armação. No ataque, Sterling pela esquerda e Agüero centralizado na área, mas saindo para buscar o jogo.

Mikel Arteta pôde contar com Tierney, voltando do período de quarentena, Dani Ceballos e Xhaka. Esquema tático: 3-4-3. Leno no gol. A zaga contou com Gabriel Magalhães, David Luiz e Tierney. No meio-campo, Bellerin subia pela direita, e Saka pela esquerda, mais ofensivo; Dani Ceballos e Xhaka eram os responsáveis pela construção. E, mais à frente, Pepe atacava pela direita, Willian pela esquerda, e Aubameyang tomava conta da área.

City é eficiente no primeiro tempo e administra no segundo

Em campo, um jogo de função, não de peças em posição de origem. Guardiola e Arteta espelharam suas equipes e improvisaram alguns de seus jogadores para fazê-lo. Desde o minuto inicial, a pressão na saída de bola adversária foi uma constante no confronto. O Arsenal teve dificuldades para sair pela primeira vez de seu campo de defesa pela marcação intensa do City.

Mahrez não demorou para se destacar no ataque dos Citizens, ativo pela direita no passe e na finalização. Aubameyang e Willian logo apareceram invertidos, com o brasileiro dentro da área como falso 9. Aos 17 minutos, 65% de posse de bola e 3 a 0 em finalizações, ambos para o time da casa. Os Gunners não conseguiam chegar na área pela boa marcação adversária no meio-campo e capacidade de retomar a bola, justificando também a superioridade em posse.

E, aos 22, roubada de bola no campo de defesa, subida em velocidade, Agüero deu assistência para Foden finalizar na área pela esquerda, Leno defendeu rebatendo para frente, e Sterling aproveitou, abrindo o placar no clássico. Apenas aos 24, a primeira finalização do Arsenal em boa jogada individual de Saka pela esquerda, e mais uma logo no lance seguinte. Com 32 minutos, eram oito finalizações do mandante contra três do visitante.

Agüero aparecia bem no jogo, principalmente no último passe. Outra característica da equipe de Manchester era a roubada de bola no campo de ataque. Do outro lado, destaque para Saka, sendo a (única) ameaça ofensiva da equipe de Londres, sempre pela esquerda. Enquanto isso, Ederson e Leno salvavam seus times fazendo ótimas defesas.

Na volta do intervalo, quase o empate do Arsenal com Pepe nos primeiros segundos, já agitando a partida. O time de Arteta não queria ir para a sétima derrota seguida no confronto pela Premier League. Para isso, tomou a posse da bola, estudando como chegar na área. Mas não durou muito. O City logo voltou a pressionar a saída adversária e a conseguir roubadas importantes perto da área.

Os Gunners passaram para o 4-3-3, com Tierney retomando sua posição original de lateral-esquerdo. David Luiz resolveu se aventurar no ataque na tentativa do empate. Guardiola sacou Agüero para a entrada de Gündogan, reforçando a marcação no meio. Willian saiu do falso 9, posição em que sumiu no primeiro tempo, e conseguiu maior participação. Porém foi substituído por Lacazette, que ficou de centroavante.

Aos 25, o Arsenal conseguiu ligeira vantagem em posse de bola: 51%. Também tinha um favorável 4 a 1 em finalizações no segundo tempo. Arteta continuou apostando em mexidas: Pepe e Xhaka deram lugar a Nketiah e Partey. No entanto, apesar de continuar com a bola, o time não chegava a colocar Ederson para trabalhar. Ainda deu tempo de Foden sair para a entrada de Fernandinho, fechando ainda mais. E, no fim, o Manchester City teve sucesso na administração do resultado e voltou a vencer no nacional.

Classificação e próximos compromissos

Com a importante vitória em casa, o Manchester City subiu para a décima posição com sete pontos, dois a menos que o próprio Arsenal, na vaga para a Liga Europa. O próximo compromisso dos Citizens é pela Liga dos Campeões na quarta-feira (21) às 16h, quando recebe o Porto. Pelo Inglês, visita o West Ham no próximo sábado (24) às 8h30.

Já o Arsenal desceu para a quinta colocação com nove pontos, mesma pontuação do Leicester na quarta, mas que ainda joga na rodada. Os Gunners voltam a campo disputando a Liga Europa contra o Rapid Vienna na quinta-feira (22) às 13h55. Já pelo campeonato nacional, recebe o próprio Leicester no próximo domingo (25) às 16h15.

VAVEL Logo