Liverpool
vira para cima do Sheffield em jogo disputado pela Premier League
Foto: Divulgação/Premier League

O Liverpool derrotou o Sheffield United pelo placar de 2 a 1 de virada neste sábado (24) pela sexta rodada da Premier League, em jogo movimentado do início ao fim. Em Anfield, Berge abriu o placar para a equipe visitante, mas Firmino e Diogo Jota garantiram a vitória da mandante.

O atual campeão inglês entrava em campo ocupando a quarta colocação e podendo encostar no líder e rival Everton, com três pontos a mais, mas que ainda tinha sua partida a disputar. O último jogo dos Reds foi de vitória: 1 a 0 para cima do Ajax fora de casa pela Champions League. Já os Blades vinham tendo um início de campeonato bem diferente do apresentado na edição anterior. Foram para o confronto na vice-lanterna e ainda sem vencer (eram quatro derrotas e um empate).

Estratégias

Jürgen Klopp teve uma boa notícia para a partida: a volta do goleiro Alisson após lesão. Esquema tático: 4-2-3-1. No gol, Alisson. Fabinho, improvisado na vaga de Van Dijk (sem previsão de retorno), e Joseph Gomez formaram a dupla de zaga. Nas laterais, Alexander-Arnold pela direita e Robertson pela esquerda. No meio-campo, Wijnaldum e Henderson eram os homens do primeiro combate; mais à frente, Diogo Jota subia pelo corredor direito, Mané pelo esquerdo, e Firmino centralizava na armação e infiltração. E, mais adiantado, Salah tomava conta da área.

Chris Wilder contava com uma série de nomes no departamento médico: Jack O’Connell, John Fleck, Lys Mousset e Max Lowe. Esquema tático: 3-5-2. Ramsdale no gol. A zaga contou com Basham, Egan e Ampadu. No meio-campo, Baldock pela lateral-direita e Stevens pela lateral-esquerda; Lundstram, Berge e Osborn cuidavam da transição e construção ofensiva. No ataque, dois homens de área: McBurnie e Brewster.

Blades surpreendem com postura ofensiva, mas Reds encontram a virada

O encontro começou bem movimentado, com o Liverpool somando duas chances reais antes dos três minutos. Na sequência, foi a vez de o Sheffield trabalhar no campo de ataque e pressionar na saída de bola, mostrando que queria o resultado positivo. O time da casa logo reagiu postando sua marcação alta. Salah posicionava-se como falso 9, enquanto Firmino flutuava com mais liberdade.

No entanto, aos 11 minutos, pênalti polêmico de Fabinho em McBurnie, marcado pelo VAR (a dúvida foi se a falta foi dentro ou fora da área). Berge cobrou e fez, abrindo o placar para o visitante. Aos 15, eram 65% de posse de bola e 2 a 1 em finalizações a favor dos Reds. E os Blades passaram a gostar ainda mais do jogo, subindo em velocidade, mas faltando qualidade no último passe. Alisson salvava a equipe mandante conseguindo boas defesas contra um Sheffield animado.

O time de Klopp não conseguia trabalhar na intermediária ofensiva. Do outro lado, a equipe visitante havia recuado a marcação, mas continua forte, anulando a linha de frente do Liverpool. Mané, então, surgiu centralizado no ataque, e Firmino, na ponta-esquerda. Baldock ia bem na lateral-direita visitante, participativo perto da área adversária.

Mas, aos 40, bola alçada na área, Mané cabeceou livre, Ramsdale espalmou no reflexo para frente, e Firmino, bem posicionado, colocou para dentro no rebote, empatando a partida e marcando pela primeira vez na temporada. No minuto seguinte, quase a virada com Salah, mas partiu em impedimento. As equipes foram para o intervalo com o jogo equilibrado, ambas buscando o desempate. Números do primeiro tempo: 66% em posse e 8 a 5 em finalizações para o time da casa.

A segunda etapa veio com pressão dos Reds no ataque. Porém quem quase fez foram os Blades, com Baldock em chute forte da entrada da área. Diogo Jota foi para a ponta-esquerda. Salah tentava definir de dentro e fora da área. Veio a primeira troca do jogo: Brewster, apagado, saiu para a entrada de Burke, que entrou bem, dando trabalho na ponta-esquerda. O Liverpool não conseguia ter o espaço para sua tradicional troca rápida de passes até o ataque.

Até que, aos 16, Alexander-Arnold fez bom lançamento da direita para belo domínio de Salah na frente do gol, que bateu sem deixar a bola cair. Mas o golaço foi anulado por impedimento do egípcio. Antes que o gol invalidado abalasse a equipe, mais um saiu no minuto seguinte. Mané cruzou como dando um passe da esquerda na cabeça de Diogo Jota, que subiu mais que a marcação e fez o gol da virada para valer. Com 21, eram 66% em posse e 10 a 8 em chutes a favor da equipe de vermelho.

O Sheffield não desistia e pressionava no ataque, naquela que era sua melhor performance no campeonato. Lundstram deu lugar a McGoldrick, ou seja, um meia por um atacante na busca pelo gol de empate. E, com segundo em campo, quase gol de McGoldrick, recebendo e chutando forte do bico da área pela esquerda. O jogo permanecia muito movimentado, aberto, lá e cá. Aos 35, bola na trave de Salah em bonita jogada individual.

Klopp resolveu mexer: saíram Firmino e Diogo Jota para as entradas de Minamino e Milner, respectivamente. McGoldrick parou de ter espaços pela canhota e foi tentar na ponta-direita. Os Blades mostraram vontade até o fim, chegando perto de conseguirem levar um ponto para casa. Mas fim de papo: 2 a 1 no placar e 16 a 11 em finalizações para o vencedor.

Classificação e próximos compromissos

Conquistando os três pontos de virada, o Liverpool pulou para a vice-liderança da Premier League, com 13 pontos. Mesma pontuação do líder Everton, que ainda joga, mas com saldo menor. O próximo compromisso dos Reds é pela Liga dos Campeões na terça-feira (27) às 17h, quando recebem o FC Midtjylland. Pelo Inglês, jogam de novo em casa contra o West Ham no próximo sábado (31) às 14h30.

Já o Sheffield United, sem conseguir pontuar apesar da boa atuação, se manteve na 19ª posição com um ponto. A diferença para o West Bromwich, primeiro fora da zona de rebaixamento e que ainda joga, é de um ponto. Os Blades voltam a campo pela competição nacional contra o Manchester City em casa no próximo sábado (31) às 9h30.

VAVEL Logo