Dortmund sofre, mas fura defesa do Zenit e se recupera na Champions
League
Sancho abre o placar para o Dortmund (Foto: Reprodução/UEFA)

Foi o terceiro confronto entre Borussia Dortmund e Zenit. Nos dois primeiros, pelas oitavas de final da UEFA Champions League 2013/14, cada um dos times venceu uma vez. O Dortmund, na Rússia (4 a 2) e o Zenit, na Alemanha (2 a 1). Pela fase de grupos, foi a primeira vez em que os dois times se enfrentaram, mas apesar disso, os dois entraram na partida com uma situação muito parecida: vindos de uma derrota.

Ferrolho russo

No começo do jogo, o Zenit focou a sua estratégia na defesa e formou duas fortes linhas muito compactas, uma com cinco defensores e outra com quatro meio-campistas mais recuados. Isso deu ao Dortmund a liberdade necessária para se manter no ataque e segurar a posse de bola, que chegou a surpreendentes 84% nos cinco primeiros minutos de jogo.

Ao longo do primeiro tempo, a posse de bola ficou mais equilibrada, mas ainda assim, os russos se mantiveram fechados e a primeira finalização alemã na partida saiu apenas aos 14’, quando Gio Reyna finalizou de primeira do meio da área, mas errou o gol. Por conta da forma como o Zenit estava postado em campo, o Dortmund tinha dificuldades de entrar na área, mas continua buscando a jogada pelo meio ao invés de buscar uma alternativa pelos flancos.

Se por um lado o Borussia tinha dificuldades criativas, por outro, mantinha o controle do meio campo e sempre conseguia recuperar a segunda bola e impedir o contra-ataque russo. A chance de mais perigo do Zenit, veio apenas quando o goleiro Roman Bürki saiu mal após cruzamento e deu ao ponta Sebastián Driussi quase abriu o placar.

No final do primeiro tempo, o Dortmund até foi mais incisivo, mas não conseguiu marcar.

Paciência e falta de criatividade

Quem acompanha as coletivas de imprensa do técnico Lucien Favre sabe que uma das palavras que o técnico mais usa é “paciência”, seja para elogiar a forma como seu time atuou, seja para expor a falta dela durante o jogo. Durante a partida contra o Zenit, o Dortmund foi excessivamente paciente e demorou para modificar a sua estratégia de ataque e passar a fazer uso de cruzamentos para tentar abrir o placar.

O Borussia passou a buscar o ataque através de cruzamentos quase sempre vindos pelo lado direito, na maioria das vezes saídos dos pés do lateral Thomas Meunier, mas errava a maior parte das tentativas (foram apenas três corretos em 22 tentativas), até que aos 77’, quando um dos cruzamentos cairia precisamente na direção de Thorgan Hazard, o belga sofreu pênalti pelo meio. Jadon Sancho então se posicionou na marca de onze metros converteu.


Finalmente na frente do placar, o BVB passou a adotar uma tática mais defensiva, se postando em um 4-3-3 com Witsel, Bellingham e Delaney pelo meio e Hazard e Julian Brandt nas pontas. A partida manteve o ritmo até que aos 91, Jude Bellingham cabeceou para trás e encontrou Erling Haaland passando por trás do zagueiro para sair sozinho na frente do goleiro e marcar o segundo gol do Dortmund na partida – o seu segundo no torneio.

Com a vitória, o Borussia Dortmund conquistou seus primeiros três pontos na atual edição da UEFA Champions League e, com o empate entre Lazio e Brugge, ficou na terceira colocação do grupo, a apenas um ponto dos dois líderes.

Próximos confrontos

Na próxima rodada, o Borussia Dortmund irá até a Bélgica, onde enfrentará o Club Brugge e o Zenit receberá a Lazio em seus domínios. Os dois jogos acontecerão na quarta-feira (04/10).
 

VAVEL Logo