Tottenham
é cirúrgico no ataque, vence apagado City e vira líder da Premier League
Foto: Divulgação/Premier League

O Tottenham derrotou o Manchester City pelo placar de 2 a 0 neste sábado (21) pela nona rodada da Premier League e pulou para a liderança ao menos momentaneamente. No Tottenham Hotspur Stadium, Son e Lo Celso foram os autores dos gols. A partida ainda teve um gol anulado de cada lado.

Spurs e Citizens duelavam no confronto mais aguardado da rodada. Entretanto a situação das duas equipes no campeonato não tinha o equilíbrio imaginado. Enquanto o time de Londres, na terceira colocação, mirava a liderança com a vitória, o de Pep Guardiola ocupava apenas a décima posição e buscava se aproximar do bloco de cima, com as vagas classificatórias à Champions League e à Liga Europa, mas ainda tinha um jogo a menos. Nos últimos cinco pela competição, marcou apenas um gol em cada, fazendo seu pior início de temporada desde a edição 2008/09.

Estratégias

José Mourinho não pôde contar com Doherty, que testou positivo para Covid-19. Em compensação, Bergwijn e Ndombelé ficaram à disposição. Esquema tático: 4-2-3-1. No gol, Lloris. Alderweireld e Dier formaram a dupla de zaga. Nas laterais, Aurier pela direita e Reguilón pela esquerda. No meio-campo, Sissoko e Hojberg davam o primeiro combate, mas também iniciavam as subidas ao ataque; mais à frente, Bergwijn, Ndombelé e Son ficavam responsáveis pela criação e finalização. E, no ataque, o artilheiro Harry Kane.

Pep Guardiola teve os desfalques de Ake, Zinchenko, Mendy e Fernandinho. Já Sterling e Agüero começaram no banco de reservas por questões físicas. Esquema tático: 4-3-3. Ederson no gol. A zaga contou com Rúben Dias e Laporte, enquanto Walker na direita e João Cancelo na esquerda cuidaram das laterais. No meio-campo, De Bruyne, Rodrigo e Bernardo Silva tinham as funções de transição e construção ofensiva. E, na frente, Mahrez atacava pela direita, Ferran Torres pela esquerda, e Gabriel Jesus centralizava tomando conta da área.

Citizens sobram em finalizações, mas Spurs dão aula de eficiência

Logo no primeiro minuto, o Manchester City já conseguiu uma finalização, com Ferran Torres, dando a impressão de que seria uma partida repleta de chances reais. Mas a etapa inicial foi bem diferente disso. O visitante, como esperado, não demorou a ficar com a bola, trocando passes e estudando a melhor forma de chegar na área adversária. No entanto, aos quatro minutos, Nbombelé encontrou belo passe por elevação para Son posicionado no meio da última linha de marcação adversária, que dominou, invadiu a área e concluiu para dentro do gol, na primeira chegada do Tottenham. São nove gols do coreano em nove rodadas, artilheiro do campeonato.

Os Citizens foram ainda mais para cima com os três homens de frente e De Bruyne organizando. Os Spurs roubavam a bola no meio-campo e subiam em velocidade com trocas rápidas de passes. E, aos 12, mais um gol do time londrino, mas anulado: Bergwijn na esquerda fez o passe para Son livre dentro da área, e o coreano enfiou rápido para Kane de frente para o gol, porém impedido. Com 15 minutos, eram 74% de posse de bola e 4 a 1 em finalizações para o City, começando a mostrar a eficiência extrema que seria esta atuação do mandante.

A defesa londrina também ia bem dentro da área, tirando todas. Pelo outro lado, Ferran Torres era quem mais tentava no ataque, puxando da esquerda para o meio. Enquanto isso, Gabriel Jesus era bem marcado. Até que, aos 26, o próprio Gabriel Jesus dominou perto da pequena área, não conseguiu chutar pela marcação na frente, passou atrás para Laporte, que pegou de primeira para empatar. Mas o gol também foi anulado, após revisão do árbitro no monitor do VAR por mão do brasileiro na hora do domínio.

A equipe de Guardiola continuava dominando o jogo e ocupando o campo de ataque, mas faltava criatividade e acertar o alvo. Já à de Mourinho, faltava ir para o jogo, ficando com a bola e subindo ao ataque, pois estava só observando e marcando no campo defensivo. Na ida para os vestiários, 68% em posse, 10 a 1 em finalizações e 3 a 1 em chutes a gol, todos os números favoráveis ao City, evidenciando a falta de mira do visitante e a calibragem do mandante (mas também a necessidade de melhorar em quantidade de chutes).

A volta do intervalo não trouxe mudanças táticas. Os Citizens iniciaram, novamente, na pressão. Após os cinco minutos iniciais, os Spurs, finalmente, voltaram a ficar com a bola no campo de ataque, mas sem levar perigo. O time de Manchester continuava rodando a bola de um lado para o outro no campo ofensivo sem ser efetivo. De Bruyne continuava ativo na frente, buscando a assistência e a finalização.

Aos 19, Ndombelé saiu para a entrada de Lo Celso. E, ainda no mesmo minuto, Kane recebeu na linha de meio-campo, arrancou, viu bem Lo Celso entrando na área na frente do marcador, fez a assistência, e o argentino chutou na saída de Ederson, ampliando o placar no primeiro toque na bola. Aos 25, eram 66% de posse de bola, 17 a 3 em finalizações e 4 a 2 em chutes certos ainda para o City, ou seja, as características da primeira etapa se mantinham, para azar de um e sorte do outro.

Pep Guardiola decidiu, então, mexer para tentar uma reação: Mahrez e Bernardo Silva deram lugar a Sterling e Foden. Mourinho respondeu colocando Lucas Moura no lugar de Bergwijh para velocidade no ataque. O posicionamento e a função de Harry Kane chamavam atenção, ocupando a intermediária para fazer a transição e o último passe, o que conseguiu no segundo gol. O camisa 10 chegou a nove assistências na Premier League.

Alderweireld saiu machucado para a entrada de Rodon. O City postava marcação alta na saída de bola na tentativa de uma roubada que pudesse resultar no desconto do placar. Sterling era o fôlego novo que mais buscava essa jogada. Já aos 44 minutos, Lloris fez sua primeira grande defesa, confirmando a atuação nada inspirada do ataque visitante. Números finais: 66% em posse, 22 a 4 em finalizações e 5 a 2 em chutes a gol, todos a favor dos Citizens, ou seja, as únicas duas chances dos Spurs entraram e resultaram na vitória da liderança.

Classificação e próximos compromissos

Com a atuação cirúrgica e a consequente vitória, o Tottenham assumiu a liderança da Premier League com 20 pontos, dois a mais que o Chelsea em segundo. Leicester e Liverpool, que podem alcançar a pontuação na rodada, se enfrentam neste domingo (22). O próximo compromisso dos Spurs é, novamente, em casa pela Liga Europa contar o Ludogorets na quinta-feira (26) às 17h. Já pelo Inglês, visita o Chelsea no outro domingo (29) às 13h30.

Já o Manchester City se manteve no meio da tabela, com 12 pontos na décima posição. Os Citizens voltam a campo na quarta-feira (25) às 14h55 pela Liga dos Campeões, quando visitam o Olympiakos. No próximo sábado (28), recebem o Burnley às 12h pelo campeonato nacional.

VAVEL Logo