Tottenham empata sem gols com Chelsea e reassume topo da Premier League
Foto: Divulgação/Premier League

Em clássico de pouca inspiração, Chelsea e Tottenham não saíram do 0 a 0 neste domingo (29) pela décima rodada da Premier League. Ainda assim, os Spurs conseguiram voltar ao primeiro lugar. O único a balançar as redes no Stamford Bridge foi Timo Werner, mas em gol anulado.

Além de um clássico londrino, era o embate entre segundo e terceiro colocados que valia a liderança do Campeonato Inglês. Para tanto, os Blues precisavam vencer o confronto direto, enquanto os Spurs reassumiriam o primeiro lugar com um empate, ambos por conta dos mesmos 12 gols de saldo, superiores ao do líder Liverpool (saldo de cinco).

As duas equipes vinham de resultados positivos: vitória do Chelsea por 2 a 1 sobre o Rennes na Champions League e goleada do Tottenham por 4 a 0 sobre o Ludogorets na Europa League. Já pelo campeonato nacional, invencibilidade de sete jogos para o time de Lampard e de oito para o de Mourinho.

Estratégias

Frank Lampard teve as presenças de Kai Havertz e Christian Pulisic, retornando de lesão no tendão da coxa, no banco de reservas. Esquema tático: 4-3-3. Mendy no gol. A zaga contou com Zouma e Thiago Silva, enquanto Reece James na direita e Chilwell na esquerda cuidaram das laterais. No meio-campo, Kovacic, Kanté e Mount tinham as funções de transição e construção ofensiva. E, na frente, Ziyech atacava pela direita, Timo Werner pela esquerda, e Tammy Abraham centralizava tomando conta da área.

José Mourinho não pôde contar com Toby Alderweireld por lesão na virilha e Erik Lamela. Esquema tático: 4-2-3-1. No gol, Lloris. Joe Rodon e Dier formaram a dupla de zaga. Nas laterais, Aurier pela direita e Reguilón pela esquerda. No meio-campo, Sissoko e Hojberg davam o primeiro combate, mas também iniciavam as subidas ao ataque; mais à frente, Son, Ndombelé e Bergwijn ficavam responsáveis pela criação e finalização. E, no ataque, o artilheiro Harry Kane.

Spurs não finalizam no segundo tempo, mas contam com falta de pontaria dos Blues

O clássico da liderança teve início com o Tottenham mantendo a bola, mas no campo de defesa. O que não durou muito, com o Chelsea tomando a posse, cuja superioridade teria durante toda a primeira etapa, e ocupando o campo de ataque. Quando sem a bola, posturas diferentes: o mandante postando marcação alta, e o visitante, recuada. Mas quem quase marcou primeiro foram os Spurs, em contra-ataque com Kane na assistência e Bergwijn na finalização dentro da área na primeira chegada da equipe.

Na sequência, aos dez minutos, gol anulado dos Blues por impedimento de Timo Werner, que finalizou colocado da esquerda. Do outro lado, Bergwijn ia se destacando, bem no ataque com finalização e último passe. O Tottenham melhorou ofensivamente após os 15 minutos iniciais, não mais esperando os contra-ataques. Aos 16, eram 66% de posse para o Chelsea e 1 a 1 em finalizações. Werner era quem mais tentava no ataque azul, sempre pela ponta-esquerda.

E o time de Lampard continuava pressionando a saída de bola adversária, até dentro da área. Já no ataque montado por Mourinho, Bergwijn e Son estavam jogando próximos, principalmente pela esquerda, se procurando nas jogadas. O problema era atrás, até Thiago Silva aparecia trocando passe no campo de ataque, pois o Tottenham permitia a aproximação na área. Os Blues passaram a insistir em cruzamentos na área buscando a cabaça de Abraham, bem marcado. Ziyech, na ponta-direita, também optava pelos levantamentos. O time da casa encontrava dificuldades para ultrapassar a barreira de marcação dos Spurs na frente da sua área. Na ida para os vestiários, 61% em posse a favor do mandante, porém 5 a 5 em finalizações.

A volta do intervalo não trouxe grandes mudanças. Mount aparecia mais pela direita. Entretanto o Chelsea ainda apostava na bola alçada na área, para Abraham e Werner, e ainda pressionava na saída, só que leve, dando espaços, aproveitados pelo Tottenham. Os Blues marcavam forte pela linha de meio-campo, não deixando os Spurs subirem. Aos 15 minutos, 60% de posse de bola e 7 a 5 em chutes para o time da casa, mas apenas 1 a 1 em chutes no alvo. Eram três finalizações do mandante contra nenhuma do visitante no segundo tempo, diferença que cresceria cada vez mais.

Abraham tinha oportunidades dentro da pequena área, mas sofria com marcação individual. Mourinho resolveu sacar Ndombelé para a entrada de Lo Celso. Outra característica da etapa inicial que se mantinha era a pressão do Chelsea no ataque com dificuldade de passar pela linha de marcação na entrada da área. Lampard também decidiu mexer: Werner deu lugar a Pulisic.

Aos 32, houve um raro momento do Tottenham no ataque, mas ainda sem criar chances reais. Do outro lado, mais uma troca: Abraham saiu para a entrada de Giroud, um centroavante por outro. Apenas aos 35 minutos, a primeira defesa para valer de Lloris no jogo, em chute de longe de Mount, que tentou finalizações durante a partida. Os técnicos tentaram, então, suas últimas cartadas na busca pelo gol da vitória (e da liderança no caso do Chelsea) já no fim: Ziyech deu vez a Havertz, e Lucas Moura entrou no lugar de Son.

E, nos acréscimos, as jogadas ofensivas vieram. Primeiro com Giroud, que perdeu a chance do gol dos três pontos em recuo errado da zaga para Lloris. Logo em seguida, os Blues também perderam boa oportunidade criada a partir de erro de zaga, com Lo Celso finalizando para fora. E foi só, um 0 a 0 que serviu para os Spurs retomarem a posição de líder do campeonato. Números finais: 60% em posse, 13 a 5 em finalizações (ou seja, o Tottenham não finalizou na segunda etapa inteira), mas somente 3 a 1 em chutes a gol, todos a favor do Chelsea.

Classificação e próximos compromissos

Com o empate sem gols, o Chelsea permanece na terceira colocação, agora com 19 pontos e a dois de Liverpool e Tottenham. O próximo compromisso dos Blues é pela Liga dos Campeões contra o Sevilla fora de casa na quarta-feira (2) às 17h. Já pelo Inglês, recebem o Leeds United no próximo sábado (5) às 17h.

Já o Tottenham conseguiu o ponto de que precisava para reassumir a liderança da Premier League, com 21 pontos. Mesma pontuação dos Reds, mas com sete gols a mais em saldo. Os Spurs voltam a campo na quinta-feira (3) às 14h55 pela Liga Europa, quando visitam o Lask Linz. E, no próximo domingo (6), recebem o Arsenal às 13h30 pelo campeonato nacional.

VAVEL Logo