Atlético de Madrid cede empate para desfalcado Bayern na Espanha
Foto: reprodução Bayern München

O Bayern foi para a partida bastante desfalcado, sem poder contar com Robert Lewandowski, Manuel Neuer e Joshua Kimmich e com nomes importantes como Thomas Müller, Jérôme Boateng, Serge Gnabry e Kinglsey Coman apenas no banco. Já classificado e tendo vencido a partida do turno por 4 a 0, o técnico Hansi Flick apostou nas opções que tinha em seu elenco e no primeiro tempo e depois de ver seu time sofrer e mal conseguir finalizar nesta etapa, foi obrigado a colocar jogadores de mais peso para buscar o empate. Por outro lado, o Atlético de Madrid, time comandado pelo argentino Diego Simeone tirou excessivamente o pé durante o segundo tempo e deu ao Bayern o ímpeto necessário para arrancar o 1 a 1.

Domínio colchonero

Apesar de desfalcado, o Bayern seguiu o seu padrão de jogo nos primeiros 15’ de partida e chegou 62% de posse de bola. No entanto, a partida seguiu sem muitos lances de perigo e o melhor lance até os 20’ foi uma arrancada do zagueiro Niklas Süle, que driblou três jogadores do Atlético e avançou até perto da área dos oponentes.

Foi somente aos 25’ que saiu o único gol do primeiro tempo, quando, após jogada iniciada em cobrança de lateral, Marcos Llorente avança até o fundo do campo e cruza rasteiro para João Félix finalizar e abrir o placar na segunda finalização certa do Atlético na partida. 

Fazendo bom uso de passes rápidos, o Atlético conseguia ter mais eficiência ofensiva e finalizou com muito mais frequência do que o Bayern. Aos 40’, já eram oito finalizações contra duas do Bayern, sendo que os alemães não acertaram nenhuma no alvo. Aos 42’, pelo lado direito, Llorente tentou novamente repetir a jogada que originou o primeiro gol, mas Ángel Corrêa finalizou para fora.

Durante a primeira etapa, o Bayern só conseguiu finalizar após jogadas vindas de um esforço individual, e no final do primeiro tempo, apesar da grande disparidade entre as finalizações (10 x 2 para o Atlético), o jogo apresentava números balanceados: 46% x 54% na posse de bola e 253 x 297 passes, sendo 90% x 86% em seus percentuais de precisão.

Classificação perdida e invencibilidade bávara

No segundo tempo, quem começou dominando foi o Atlético, que tirou do Bayern a superioridade na posse de bola para tentar assegurar a superioridade no placar ao impedir seus oponentes de aplicarem o seu estilo de jogo.

Aos 63’, Gnabry, Müller e Chris Richards entraram na partida no lugar de Bouna Sarr, Javi Martinez e Bright Arrey-Mbi para dar mais fôlego ao Bayern em busca da virada.

O jogo seguiu morno, com o Atlético se postando de forma mais fechada e o Bayern buscando mais o ataque, mas apesar disso, ambas as equipes criaram pouquíssimas chances de finalização (1 x 2) até os 86’, quando Thomas Müller empatou a partida após converter um pênalti assinalado à favor do Bayern. Logo depois, aos 88’, o Atlético teve uma boa chance após cruzamento vindo de uma cobrança de falta, porém Mario Hermoso cabeceou para fora.

Na última rodada, o Atlético pega o RB Salzburg em uma briga direta pela segunda vaga do grupo e o Bayern enfrentará o Lokomotiv Moscou na Alemanha.
 

VAVEL Logo