Após diretoria contratar jogador sem seu consentimento, André Villas-Boas se demite do Olympique de Marseille
Imagem: Divulgação/ OM

Em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (2), o técnico André Villas-Boas anunciou sua decisão de deixar o Olympique de Marseille. Segundo o português, a justificativa da sua demissão foi a contratação de Olivier Ntcham, do Celtic, defensor que foi contratado sem sua aprovação.

"Eu apresentei a minha demissão pois não concordo com a política esportiva do clube. A diretoria não me deu feedback algum. Não quero dinheiro, eu só quero sair", disse.

Não foi a primeira vez que a situação ocorreu. Após a equipe apresentar queda de rendimento e se descolar dos times que brigam pela liderança, o treinador colocou o cargo à disposição, o que não foi aceito pela diretoria. André Villas-Boas afirmou também que os acontecimentos do final de semana, quando torcedores invadiram o centro de treinamento, queimaram árvores e agrediram alguns jogadores, não pesou na sua decisão.

“Tem a ver com política esportiva. Até mesmo a saída do Radonjic, que só fui informado à noite. Estou à espera de uma resposta da direção e, se não aceitarem, continuo. Não quero dinheiro, só quero ir embora. Isso é claro”, frisou.

Por outro lado, o OM se manifestou em comunicado oficial e afirmou que demitiu o técnico antes do pedido de demissão por precaução. A nota divulgada no site do clube deixou claro que sanções e procedimentos disciplinares serão aplicados por causa das atitudes causadoras de prejuízo ao clube marselhês.

"O Olympique de Marseille anunciou a demissão de André Villas-Boas por precaução. Esta decisão protetora tornou-se inevitável devido à repetição recente de ações e atitudes que prejudicam seriamente a instituição e seus funcionários que a defendem diariamente. Os comentários feitos em uma entrevista à imprensa, em particular sobre Pablo Longoria, diretor responsável pelo futebol, são inaceitáveis. O seu investimento excepcional não pode ser posto em causa e, pelo contrário, foi saudado por todos durante esta janela de transferências de inverno marcada por uma crise sem pretendentes. Eventuais sanções serão aplicadas a André Villas-Boas na sequência de procedimentos disciplinares", informou.

A saída de Villas-Boas pode repercutir aqui no Brasil. Vislumbrado com os recentes sucessos de Jorge Jesus e Abel Ferreira, treinadores portugueses que conquistaram as duas últimas Libertadores da América por Flamengo e Palmeiras, respectivamente, o São Paulo estaria interessado em um técnico lusitano para comandar a equipe na próxima temporada. Na época em que o Tricolor Paulista era comandado por Juvenal Juvêncio, o agora ex-técnico do OM esteve no radar, mas o interesse não avançou. Porém, de acordo com informações do portal Goal, o treinador não pretende assumir nenhum clube no Brasil no momento. Ele pretende resolver essa situação com o OM na França, e quer outra oportunidade na Europa.

Enquanto as partes tentam se resolver, os jogadores da equipe francesa terão que mudar o ambiente da equipe com uma vitória, algo que não ocorre há quatro rodadas. Na nona colocação com 32 pontos ganhos, o Olympique de Marseille entra em campo às 17 horas desta quarta-feira (3) para enfrentar o Lens no Stade Bolaert-Delelis, em Lens/FRA, pela 23ª rodada da Ligue 1 2020-21.

VAVEL Logo