Rússia
volta a vencer em Eurocopa após nove anos, recupera-se no grupo B e complica
Finlândia
Foto: Divulgação/Uefa

A Rússia voltou a vencer na Eurocopa após nove anos (ou seis jogos). O jejum foi quebrado contra a Finlândia nesta quarta-feira (16) pela segunda rodada do grupo B: 1 a 0. Com o estádio em São Petersburgo recebendo 50% da capacidade máxima de torcedores, Miranchuk foi quem levou alegria à arquibancada marcando o único gol do jogo.

Surpresa na competição e fazendo sua primeira participação, a seleção finlandesa entrou em campo com a classificação bem encaminhada. Isso porque venceu, na primeira rodada, a Dinamarca por 1 a 0 e já ficou em segundo lugar na tabela, atrás apenas da Bélgica por dois gols a menos em saldo.

Já a seleção russa foi para o confronto com um ambiente oposto. Como perdeu, na estreia, para a Bélgica por 3 a 0 e ficou na lanterna, precisava da vitória para seguir com chance de avançar de fase.

Escalações

Markku Kanerva postou seu time no 3-5-2. Hradecky no gol. Na zaga, uma linha de 3: Toivio, Arajuuri e O'Shaughnessy. Nas laterais, Raitala pela direita e Uronen pela esquerda. No meio, Schuller e Kamara mais recuados, com Lod avançado. E, no ataque, Pohjanpalo e o camisa 10 Pukki.

Stanislav Cherchesov optou pelo esquema tático 4-3-3. No gol, Safonov. Mario Fernandes na lateral-direita, Kuzyaev na esquerda, enquanto Diveyev e Dzhikiya formaram a dupla de zaga. No meio-campo, Zobnin, Barinov e Ozdoev. E, à frente, Miranchuk e Golovin pelas pontas, com o artilheiro Dzyuba centralizado na área.

Primeiro tempo de ataque contra defesa

A expectativa para o jogo era de ataque russo contra defesa finlandesa. E a primeira etapa foi de expectativa concretizada. A Rússia chegou a ter 80% de posse de bola, número gasto principalmente no campo de ataque. Porém tal superioridade poderia (e deveria, pela necessidade) ser mais convertida em chances de gol, mas faltou qualidade ofensiva para tanto. Além disso, a marcação recuada da Finlândia montou a barreira pela qual os russos tiveram dificuldade de passar.

Só que, logo aos dois minutos, quem balançou a rede foram os finlandeses. Em roubada na saída de bola após forte pressão, a Finlândia arrancou pela ponta-direita, cruzou na área e Pohjanpalo cabeceou para o fundo do gol. Mas o lance foi checado e anulado pelo VAR por impedimento. O autor do gol anulado foi o destaque finlandês, dono das principais (e raras) chegadas do time. E, do lado russo, Dzyuba era quem mais ameaçava, chegando a acertar uma bola na trave.

A Finlândia, como não conseguia ficar com a bola, tentava surpreender no passe longo para Pukki. Apesar dos três zagueiros, sua defesa não passa confiança dentro da área, deixando os adversários de posicionarem e trocarem passes. Nenhuma das duas equipes conseguia puxar contra-ataques de qualidade. Até que, aos 46, Miranchuk tabelou com Dzyuba na entrada da área, invadiu e bateu no meio dos marcadores encontrando o ângulo do goleiro adversário para abrir o placar com um lindo gol pela Rússia. Números parciais: 67% de posse e 6 a 2 em finalizações, ambos favoráveis aos russos.

Segunda etapa traz diferentes posturas e mais qualidade ofensiva

A partida foi outra no segundo tempo. Com o gol tomado, a Finlândia resolveu, finalmente, ir para cima para pelo menos deixar tudo igual e seguir bem na tabela. Logo aos três minutos, Pukki teve a chance de empatar finalizando para fora após boa enfiada de bola. Mas a Rússia também voltou mais objetiva no ataque e chegou perto do segundo gol em algumas oportunidades. Aos nove, as finalizações já tinham passado para 8 a 5 a favor dos russos. Os meio-campistas finlandeses adiantaram seus posicionamentos e passaram a chegar na área.

Ambas as equipes também estavam mais ligadas no meio quanto a roubadas de bola, conseguindo subidas em velocidade na sequência. As posturas se inverteram, e a Finlândia adiantou a marcação, também tentando trocar passes para povoar o campo ofensivo, enquanto a Rússia recuou e ficou mais atenta para contra-ataques.

Contudo o camisa 10 Pukki, responsável pelas melhores oportunidades do time na etapa final, foi substituído, e as chances do empate diminuíram. Os russos, então, ficaram mais perto do segundo gol, principalmente com o meia Zhemaletdinov, que entrou bem. Mas foi só: 1 a 0 Rússia. Números finais: 56% de posse e 14 a 11 em chutes, ambos favoráveis aos russos.

Classificação e próximos compromissos

Com a vitória necessária, a Rússia ultrapassou a própria Finlândia e agora ocupa a segunda posição com três pontos. Mesma pontuação dos finlandeses, em terceiro pelo critério de desempate do confronto direto, e da Bélgica, na liderança e que ainda joga na rodada.

O próximo compromisso da seleção finlandesa é contra a Bélgica na segunda-feira (21) às 16h. Já a russa volta a campo também na próxima segunda às 16h, quando enfrenta a Dinamarca.

VAVEL Logo