Semifinais da Eurocopa terão briga por posse de bola e de "zebras"
Wembley, sede das semifinais da Eurocopa 2020 (FA / Divulgação)

Realizadas na terça (06) e na quarta-feira (07), as semifinais da Eurocopa 2020 unem quatro equipes bem diferentes entre si. Apesar disso, os treinadores das seleções focaram no que cada equipe tem em comum. 

Na terça-feira, o duelo será Espanha x Itália. No dia seguinte, Inglaterra x Dinamarca. As duas partidas acontecem no estádio de Wembley, em Londres, às 16h (Horário de Brasília).

Duelo de gigantes

Ao todo, são cinco edições da Copa do Mundo e quatro da Eurocopa vencidas em campo. Uma das seleções manteve o que historicamente costuma fazer; a outra viveu uma mudança que chamou muita atenção. 

O toque de bola sempre foi característica da Fúria espanhola e não foi diferente nesta edição da Eurocopa. Segunda colocada do Grupo E, atrás da Suécia e à frente de Eslováquia e Polônia, os ibéricos venceram Croácia e Suíça nas fases eliminatórias. Já a Squadra Azzurra liderou o Grupo A, à frente de País de Gales, Suíça e Turquia, passando por Áustria e Bélgica adiante. 

Luis Enrique, técnico espanhol, destacou qual é, para ele, o principal confronto técnico da peleja. "Somos os líderes na posse de bola. Mas eles também têm atuado desta forma e mostrado que podem desfrutar da posse de bola. Essa é a primeira batalha a conquistar amanhã. Eles também podem jogar sem a bola, mostraram isso. Mas são mais fortes com a bola", pontuou.

Buscando elogiar os espanhóis, Roberto Mancini, treinador italiano, também falou sobre o cotejo. "Sabemos que não será tão fácil, que temos que fazer um bom jogo, porque a Espanha é um grande rival. Estamos na semifinal da Eurocopa e é muito pouco provável que se enfrente uma equipe de pouca qualidade", finalizou.

Surpresas?

O dia seguinte terá o confronto de duas seleções que nem todos esperavam ver na semifinal da competição - e, a bem da verdade, não costumam chegar longe em torneios internacionais. Nada disso, entretanto, impediu que Inglaterra e Dinamarca chegassem a uma das fases mais agudas do certame. No caso dos nórdicos, um grande susto motivou ainda mais os atletas: logo na estreia, no jogo contra a Finlândia, Christian Eriksen, meia e principal jogador do elenco, teve um mal súbito e foi ressuscitado ainda no gramado. 

A Inglaterra foi a líder do Grupo D, à frente de Croácia, República Tcheca e Escócia, passando pro Alemanha e Ucrânia nos mata-matas. A Dinamarca ficou na segunda posição do Grupo B, atrás da Bélgica e à frente de Finlândia e Rússia.

Semifinalista também na Copa do Mundo 2018, Gareth Southgate destacou a evolução que o English Team teve com o comando do treinador. “O que é interessante no nosso caso é que não estaremos totalmente satisfeitos se apenas chegarmos às semifinais, enquanto há três anos, embora a decepção tenha sido muito importante depois, houve um sentimento que foi um grande progresso”, pontuou o treinador

Kasper Hjulmand, técnico da Dinamáquina, contou como motivou os atletas na decisiva aprtida contra os tchecos. "Mostrei aos jogadores uma fotografia de Wembley de quando fomos lá jogar em outubro na Liga das Nações. Disse que íamos voltar lá. É mágico! Estamos profundamente gratos a todos os que nos apoiam. Não nos sobrou muita energia", comentou.

VAVEL Logo