Arteta agradece torcida e valoriza confiança do elenco após vitória no clássico de Londres
Foto: Divulgação/Arsenal FC

A rivalidade centenária entre Arsenal e Tottenham ganhou mais um capítulo no último final de semana, quando os Gunners venceram por 3-1 o Dérbi do Norte de Londres no Emirates Stadium pela Premier League.

"Foi uma vitória contundente ainda mais pela maneira como construímos, desde o começo com determinação, energia, intensidade e ritmo com e sem a bola. A conexão entre os jogadores que permitiu isso. Eles acreditam no que estamos fazendo e fizerm um primeiro tempo incrível. O ambiente que a torcida criou fez este dia especial. Esta vitória é para eles, que nos apoiaram mesmo nos momentos difíceis, seria impossível fazer o que estamos construindo sem eles, então fico feliz por podermos retribuir dessa forma. É especial quando você sente que eles acreditam e ficamos realmente felizes com o que vimos", declarou o técnico Mikel Arteta.

Foto: Divulgação/Arsenal FC
Foto: Divulgação/Arsenal FC

Tottenham e Arsenal chegaram pressionados. O time de Arteta perdeu três vezes nas primeiras quatro rodadas e ocupou a lanterna da Premier League. A reação veio neste mês, com três vitórias consecutivas, mas a aposta em jovens jogadores no setor ofensivo gerou uma certa incerteza. Desta vez, Odegaard, de 22 anos, Saka, de 20, e Smith-Rowe, de 21, corresponderam.

"Sofremos com muitas lesões, desfalques por Covid, tivemos problemas para recuperar jogadores, às vezes nove ou 10 ausências em um só jogo. Tivemos que aceitar a realidade que estávamos na parte debaixo da tabela, voltar a certas coisas que poderíamos fazer melhor e acreditar no que fazemos, até porque a torcida abraçou a equipe e esteve do nosso lado o tempo todo, o que no futebol é raro em momentos assim. Conversamos e as coisas começaram a melhorar", completou o espanhol.

A partida começou eletrizante e certamente os milhares de torcedores que foram ao estádio mal poderiam imaginar que o clube que perdeu os dois primeiros clássicos na temporada e sequer balançou as redes contra Chelsea e Manchester City fizesse 3-0 ainda no primeiro tempo. 

Em menos de 10 minutos, Aubameyang obrigou Lloris a espalmar para escanteio um chute que quase entrou no canto esquerdo. Aos 12 não teve jeito: Odegaard carregou pelo meio e tocou para Bukayo Saka na direita, o garoto viu Smith-Rowe no meio da área e o camisa 10 abriu o placar. 

Cerca de 20 minutos depois, o garçom deixou o placar ainda mais elástico após um contra-ataque mortal que começou com um erro de Harry Kane. O maior artilheiro da história do clássico pisou na bola, Saka aproveitou o vacilo e partiu em velocidade pela direita, tabelou com Odegaard e só parou quando colocou a bola na rede. Antes disso ele ainda deu um drible seco e deixou Kane deitado no gramado.

"No café da manhã nós conversamos sobre como seria incrível marcar um gol no clássico. Quando ele abriu o placar, eu olhei e lembramos disso, depois quando eu fiz o meu ele veio até mim e tive uma sensação inesquecível, principalmente com toda aquela atmosfera no estádio. Compartilhar isso ao lado dele foi demais. Já sabíamos o quanto isso mexe com a torcida, mas posso dizer que é tão importante para eles quanto para nós. Ver aquela multidão e todo muito aplaudindo significa muito para nós", comemorou Saka.  

Foto: Divulgação/Arsenal FC
Foto: Divulgação/Arsenal FC

Aubameyang também deixou o dele ao concluir uma jogada de pé em pé que começou no campo de defesa. "Os jogadores mais experientes deram um exemplo de liderança. O Auba estava sendo criticado, conversamos com ele, é um cara que trabalha arduamente em prol da equipe e os jovens que saíram da base foram criados aqui como torcedores do clube, então sentem o que significa um dérbi", completou o treinador. 

O Tottenham voltou do intervalo com Emerson Royal e Skipp e a tentativa de Nuno Espírito Santo aumentou o poderio ofensivo do time, tanto que três das quatro finalizações certas dos Spurs foram na etapa final. Uma delas entrou, um chute de Son aos 34 minutos, mas a reação foi tardia. 

Apesar da quarta vitória consecutiva com direito a apresentação de gala no clássico, Arteta viu pontos que podem ser mais trabalhados. "Tem alguns aspectos que podemos fazer melhor, principalmente em alguns lances do segundo tempo, a forma como trabalhamos a bola no último terço, chutar mais no gol, ou em alguns momentos defendemos, mas eles nos atacaram às vezes com seis ou sete jogadores na última linha, era difícil controlar", admitiu.

Classificação e próximos jogos

Como ganhou três seguidas no Campeonato Inglês, o Arsenal deu um salto na tabela e subiu para o 10º lugar, com nove pontos, e agora está mais perto do G-6 do que da zona de rebaixamento, que atualmente tem Leeds, Burnley e Norwich. 

Em contrapartida, o Tottenham chegou ao quinto jogo sem vencer - a última vez que somou três pontos foi há quase um mês, em 29 de agosto, quando fez 1-0 no Watford.

Único invicto, o Liverpool está no topo da Premier League com 14 pontos, seguido por Manchester City, Chelsea, Manchester United e Chelsea.

Os Gunners voltam a campo apenas no sábado (2), quando enfrentam o Brighton fora de casa. Já os Spurs jogam neste meio de semana, quando recebem o NS Mura (Eslovênia) pela Uefa Conference League.

VAVEL Logo