Barcelona dá show, bate recorde e conquista primeira vitória contra Wolfsburg
Foto: Divulgação/Uefa

O Barcelona faz, vive e reescreve a história. As Culés quebraram o próprio recorde de público em uma partida de futebol feminino. Embaladas por 91.648 torcedores no Camp Nou, as comandadas de Jonatan Giráldez venceram, pela primeira vez, o Wolfsburg, por 5 a 1, pelo jogo de ida das semifinais da Women's Champions League.

Dos três confrontos anteriores, as Lobas saíram com o resultado positivo, nas temporadas 2013-14 (dois jogos) e 2019-20 (um jogo por conta da pandemia), além de ter sofrido a maior goleada competição, dentro de 90 minutos 

Atropelo blaugrana

As Lobas pressionaram bastante a saída de bola. No entanto, as Culés, conseguiram enfiar Alexia Putellas pela direita. A capitã buscou Jenni Hermoso, a zaga rebateu e ela emendou no rebote. Schult segurou firme. Com menos de cinco minutos, Rolfö cobrou belíssima falta, encontrou Aitana livre, que saiu na cara do gol, e tocou na saída da arqueira. Depois de bela assistência, a sueca quase ampliou. A camisa 16 gingou na esquerda, levou para o meio e mandou com perigo rente à trave.

A ideia de sufocar as mandantes começou a falhar com o tempo. Os espaços eram contratados e as transições bem realizadas, dando indícios de acabar com o retrospecto das alemãs. Crnogorcevic ganhou de . A atacante ganhou de Janssen, enfiou Graham Hansen no meio da zaga, que acelerou, invadiu a área, e deixou Wedemeyer no chão para acertar o canto de Schult.

Em uma das poucas chances, as comandadas de Tommy Stroot chegaram, e muito bem. Huth recebeu sem nenhuma marcação, bateu cruzado. Paredes salvou em cima da linha. A bola voltou para a camisa 10, que finalizou no rebote. Paños defendeu com uma das mãos, cedendo escanteio.

Aos 30, Putellas deixou Crnogorcevic em boa posição. A atacante chutou da ponta, mas a goleira saiu do gol para abafar. Dois minutos depois, em triangulação envolvendo Torrejón, Aitana e Patri, a lateral avançou e cruzou rasteiro. Hermoso teve apenas o trabalho de ampliar na reta da pequena área. A goleada foi construída ainda na reta final do primeiro tempo. Putellas foi acionada pelo meio e chutou na saída de Schult. A redonda resvalou na goleira, beijou a trave e a meia não titubeou ao encher o pé para balançar as redes.

Foto: Divulgação/Uefa
Foto: Divulgação/Uefa

Um pé em Turim

O domínio Culé seguiu. Os times mal esquentaram e Crnogorcevic deixou o seu ao aproveitar o rebote de Paredes, em cobrança de escanteio, e saiu para comemorar com a torcida. No entanto, o VAR confirmou o impedimento. Na contramão, Roord tentou surpreender de longe. Faltou calibrar a força e Paños defendeu com tranquilidade.

Aos 57’, Huth recebeu em velocidade, a goleira espanhola saiu do gol e deu uma cavadinha, mas a bola saiu por cima do travessão. O meio-campo perfeito para o Barça criar suas articulações, devido aos espaços cedidos do time da Baixa Saxônia. Patri encontrou Rolfö, que trabalhou com Putellas. A camisa 11 bateu de primeira, tirando tinta da trave.

Quando tinha espaços para contra-atacar, o Wolfsburg era lento nas tomadas de decisões. A defesa tinha tempo para preencher os espaços e realizar os desarmes, principalmente com Mapi León. Depois das tentativas, veio o sucesso. Wassmuth tocou para Roord entre Torrejón e Paredes, ficou cara a cara com a goleira, e diminuiu a vantagem. 

Jonatan Giráldez colocou gás novo no time ao trocar Hermoso e Crnogorcevic por Oshoala e Claudia Pina. Na sua primeira jogada, Pina carimbou o travessão. Aos 80, Mariona enfiou na medida para Oshoala, que parou na boa defesa de Schult. A nigeriana teve outra de frente ao gol, mas, novamente, a alemã levou a melhor. 

Pina ganhou na corrida pelo lado esquerdo, encontrou  Putellas no meio, que acabou sendo derrubada por Janssen dentro da área. La Reina deslocou a goleira e marcou seu décimo gol em nove jogos da UWCL.

VAVEL Logo