Betis bate o Valência nos pênaltis e conquista a Copa do Rei pela terceira vez
Divulgação / Betis

Festa Verdiblanca! O Betis venceu o Valência nas cobranças das penalidades e se consagrou tricampeão da Copa do Rei de 2022. Em uma partida disputada, Borja Iglesias coloca o time de Sevilha na frente do marcador, Hugo Duro empatou ainda no primeiro tempo e nas cobranças de pênaltis Musah perdeu e Miranda converteu para levar o seu time a conquistar a taça pela terceira vez na história. 

  • Borja inaugura o placar para o Betis e Hugo Duro deixa tudo igual na primeira etapa

Com o Estádio Olímpico de La Cartuja lotado para a grande final da Copa do Rei, sendo a maioria da torcida do Betis, o time de Sevilha se sentiu em casa e aos 11 minutos chegaram à abrir o placar. Em jogada pela direita, Fekir recebeu e fez um ótimo cruzamento para o Borja Inglesias que de cabeça estufou as redes, 1 a 0.

A partir dos 20', o Valencia equilibrou as ações e logo conseguiu o empate. Em um lance pelo meio Kouroma fez um passe vertical encontrando o Hugo Duro sozinho, ele de frente para o gol deu de cavadinha e deixou o placar igual, 1 a 1. O Betis ainda mandou uma bola na trave aos 40 minutos. Em jogada de Canales pela direita, ele cortou para o meio e chutou no poste direito do goleiro Mamadashvili, mas ficou nisso, igualdade no marcador nesse primeiro tempo. 

  • Tudo equilibrado na segunda etapa e na prorrogação com isso o jogo vai para os pênaltis

A segunda etapa começou com o Valência mais presente no campo de ataque e criando chances para desempatar. A primeira com o Foulquier pela direita, o meia tentou cruzar, mas ele mandou direto para o gol e o goleiro espalmou. Na jogada seguinte, Gaya recebeu na grande área, ele chutou em cima do goleiro e no rebote o Hugo Duro perdeu o gol vazio.

O Betis equilibrou as ações e quase ia desempatando aos 22', Juanmi fez toda jogada pelo meio, ele passou de toda defesa, levou para dentro e arriscou, a bola bateu na trave. A partir de então só deu os Verdiblancos e o goleiro Mamardashvilli apareceu duas vezes. A primeira com Ferkir que chutou e o arqueiro tirou com o pé, já a segunda com o Borja que recebeu na esquerda e de novo o goleiro valenciano defendeu evitando o título adversário. Cláudio Bravo também apareceu em uma conclusão de Soler que interveu, mas terminou nisso mesmo, empate no tempo normal.

Na prorrogação, o jogo caiu de produção, talvez por causa do cansaço e os dois times não produziam como antes. Somente o Betis que aventurava no ataque, mas sem criatividade, então só restou  as penalidades para ver quem ficaria com a taça.

  • Musah desperdiça o seu pênalti e o Betis fica com o troféu da Copa do Rei

Na cobrança das penalidades, os dois times começaram muito bem. Soler, Racic, Guedes e Gaya, cobraram perfeitamente para o Valência. No lado do Betis, William José, Joaquin, Guardado e Tello também converteram. Mas na quarta série de pênaltis, Musah mandou a bola muito longe, então só restou o lateral-esquerdo Miranda decidir o título e ele não perdoou, cobrou no canto esquerdo, dando a taça para o Verdiblancos e com isso conquistando a Copa do Rei que não vinha há 18 anos.

Foto: Divulgação/Bétis
Foto: Divulgação/Bétis

Maiores campeões da Copa do Rei:

31 - Barcelona

23 - Athletic Bilbao

19 - Real Madrid

10 - Atlético de Madrid

8 - Valência

6 - Real Zaragoza

5 - Sevilla

4 - Espanyol e Real Unión de Irún

3 - Real Sociedad e Bétis.

VAVEL Logo