Convocados por Dunga, Renato Augusto e Gil vivem situações opostas em suas equipes na China

Meia se destaca na má fase do Beijing Guoan, enquanto zagueiro tem dificuldades no Shandong Luneng

Convocados por Dunga, Renato Augusto e Gil vivem situações opostas em suas equipes na China
Renato Augusto e Gil em entrevista coletiva para os jogos contra Paraguai e Uruguai (Fotos: Rafael Ribeiro/CBF)

"Sem dúvida nos preocupa pela distância, tempo de atividade dessas equipes, mas é uma situação de mercado. Tínhamos preocupação no início com a Europa, depois Ucrânia e Rússia, agora a China. Depende dos jogadores, eles têm de fazer algo diferente dos outros pensando na Seleção e em competitividade. Tem que conviver com a cobrança. Se cometer um erro, vamos analisar diferente a um erro cometido por quem atua na Europa. Tem que estar preparado para ouvir as críticas. Precisa fazer algo a mais, e principalmente, quando tiver jogo da Seleção, ter um ou dois dias a mais de liberação para estar em condição de jogar em alto nível."

A frase foi dita pelo técnico Dunga sobre a convocação de Renato Augusto e Gil para os jogos contra Paraguai e Uruguai, pelas Eliminatórias de 2018. Destaques do Corinthians em 2015, os jogadores se transferiram para Beijing Guoan e Shandong Luneng, respectivamente. As duas idas na China pareciam afastar mais dois bons jogadores da Seleção comandada por Dunga. Mas o treinador deu o seu voto de confiança nos atletas. Em suas palavras, eles teriam uma cobrança diferente das enfrentadas pelos demais, e um erro seria analisado de forma diferente.

Na prática, vê-se que é bem diferente. É bem verdade que Renato Augusto tem sido o destaque da fraca campanha do Beijing Guoan até o momento. O time comandado por Alberto Zaccheroni agoniza na décima-quinta e penúltima posição da tabela, com apenas uma vitória em sete jogos. O meia brasileiro é o décimo jogador que mais deu passes na Super Liga Chinesa e o maior passador do Beijing Guoan, foram 412 em sete jogos.

Renatin
Renato Augusto organiza o Beijing Guoan na derrota para o Jiangsu Suning (Foto: Sina Sports)

Renato Augusto também é o terceiro no "keypass", passes para oportunidades de gol, com 19 e o terceiro em quantidades de cruzamentos, com 51. O meia fez apenas um gol em 20 chutes, sendo seis no gol. Em resumo, o camisa 21 organiza o meio do Beijing Guoan. Embora a equipe não venha aproveitando as oportunidades criadas. Guoan fez apenas cinco gols até agora.

Já Gil tem encontrado dificuldades na China. Nos últimos dois jogos, o Shandong Luneng jogou em casa contra Guangzhou R&F e depois contra Tianjin Teda. Em ambos, o time saiu na frente e sofreu a virada no segundo tempo. Sendo que no jogo contra o R&F, a equipe levou dois gols em um intervalo de dois minutos.

O time comandado por Mano Menezes tem a segunda pior defesa da competição, com 16 gols sofridos até agora. O sistema defensivo do Shandong não tem ajudado, mas esperava se muito mais do zagueiro da Seleção. O brasileiro foi contratado para ser o ponto seguro da defesa chinesa, o que não vem acontecendo. Gil já teve algumas falhas na temporada até agora, como o escorregão logo na primeira rodada na derrota para o Jiangsu Suning e no primeiro gol na derrota para o Guangzhou R&F.

Gil sai jogando na derrota para o Shijiazhuang Ever Bright (Foto: Sina Sports)
Gil sai jogando na derrota para o Shijiazhuang Ever Bright (Foto: Sina Sports)

Renato Augusto teve bom desempenho contra o Uruguai, até fazendo um gol. Contra o Paraguai, não teve grande destaque, assim como toda a equipe. Já Gil, teve oportunidade apenas contra o Paraguai graças à ausência de David Luiz. O sistema defensivo brasileiro permitiu dez finalizações em 90 minutos e foi muito criticado por esta partida.

Os dois jogadores estão na lista para a disputa da Copa América Centenário, em junho nos Estados Unidos. Pelo trabalho que Dunga vem apresentando, ambos têm grandes chances em serem titulares na competição. O que pode ser comprovado a partir da seguinte frase do treinador, ainda na convocação para os jogos contra Uruguai e Paraguai.

"No meu cargo tenho que tomar decisões difíceis sempre. Recentemente tiveram rendimento altíssimo, não podemos esquecer isso. Tiveram na última convocação um rendimento muito bom, seria injusto tirá-los só porque foram pra China. Cabe a eles confirmarem que fizemos a melhor opção. A coerência da comissão técnica falou mais alto."