Goleiro Bravo avalia derrota do Chile na estreia: "Não foi um jogo ruim"

Pela Copa América Centenário, Argentina derrota Chile por 2 a 1, em jogo movimentado na Califórnia

Goleiro Bravo avalia derrota do Chile na estreia: "Não foi um jogo ruim"
(Foto: Getty Images)

Em Santa Clara, nos Estados Unidos, Argentina e Chile do grupo D se enfrentaram nesta segunda-feira (6) pela estreia da Copa América Centenário onde a seleção chilena saiu com a pior. Argentina venceu a partida por 2 a 1.

Com a sofrida derrota, o goleiro Bravo, do Chile declarou: "Foi uma derrota, não dá uma boa sensação, e ainda jogamos bem. (...) Temos experiência nesses torneios e vamos manter a calma. Não foi um jogo ruim. (...) Pagamos um preço alto por um descuido, mas vamos melhorar".

Vidal, Sanchez e Vargas desperdiçaram grandes chances para chegar ao empate. Ao ser questionado sobre o desempenho individual de alguns jogadores em campo, e se os gols tomados foram culpa de alguém, Bravo respondeu ríspido: "Nós não acusamos ninguém, se perdemos, perdemos todos, e se ganhamos, ganhamos todos. Somos uma equipe, trabalhamos juntos e trabalhamos muito bem". 

Sobre a dificuldade do ataque chileno de acertar um chute a gol, o goleirão chileno falou: "Nós não marcamos o primeiro gol o que poderia ter deixado os jogadores mais calmos".

No entanto, a partida foi bem equilibrada. Apenas na segunda etapa foi que a seleção chilena sentiu cansaço físico e abriu espaços para a seleção da Argentina fazer dois gols. Mas o Chile descontou com Fuenzalida aos 48' do segundo tempo.

O primeiro gol da Argentina foi de Di Maria, que, ao comemorar o gol, levantou uma camiseta com escritas em homenagem à avó que morrera neste mesmo dia. A camiseta continha as escritas "querida vovó, sentiremos saudades".

Quando foi questionado sobre o assunto de ter perdido a avó e mesmo assim querer jogar, entrar em campo e ainda fazer gol, Di Maria falou: "Ninguém sabia da história, então foi muito emocionante. Às vezes nos criticam sobre coisas que acontecem dentro do campo, mas ninguém sabe o que acontece, ninguém sabia de nada, e criticam, mas ai acontece essas coisas". 

O destaque da noite para Argentina mencionou não ter contado ao técnico Martino sobre a avó por medo de que tal não o colocasse para jogar e disse: "Bom, eu queria jogar, era uma orgulho pra ela me ver junto à seleção. Ela queria me ver na seleção, ela gostaria de me ver jogar".

Sobre a partida, Di Maria declarou: "Bom, há muitos anos fazemos as coisas bem, e esse é um ótimo ano pra fazerem as coisas acontecerem... Estou contente com essa vitória. Nós sabíamos que esse jogo ia ser bom pra conseguir um triunfo".