Técnico do Haiti exalta Seleção e fala sobre confronto: "Brasil é sempre Brasil"

O técnico Patrice Neveu e o meia Jean Marc Alexandre exaltaram a Seleção e falaram sobre suas expectativas para o jogo

Técnico do Haiti exalta Seleção e fala sobre confronto: "Brasil é sempre Brasil"
Patrice Neveu, técnico do Haiti (Foto: Divulgação/Concacaf)

A seleção do Haiti chega para enfrentar o Brasil em clima de euforia e uma ponta de esperança de surpreender os pentacampeõs mundiais. Um dia antes da partida, o técnico Patrice Neveu e o meia do Fort Lauderdale Strikers, Jean Marc Alexandre, falaram com a imprensa e expressaram suas expectativas para o duelo.

O Haiti faz sua primeira participação na Copa América e já na segunda rodada encara a Seleção Brasileira que, mesmo não vivendo seus melhores dias, continua sendo exaltada por eles. "É um grande evento para nós jogar com o Brasil, um grande desafio. Mas daremos a torcida um grande jogo", disse o treinador. 

Jean Marc Alexandre também comemorou a oportunidade, mas reforçou que, em campo, o objetivo é apenas a vitória. "É uma honra. Todos os jogadores estão vivendo esse momento. Nos lembramos de sentar na frente a TV e assistir o Brasil. É emocionante, mas somos atletas e competitivos. Quando entrarmos em campo, queremos ganhar". 

Com Neymar fora, o time canarinho perde sua maior estrela. Para Patrice, isso não muda o peso da partida. "Acredito que, para o Brasil, ter seus melhores jogadores é importante. Mesmo que não estejam lá, é um time feito de vencedores. Estamos aqui para enfrentá-los. Estamos esperando um Brasil muito forte".

Os haitianos chegaram muito perto de conquistar 1 ponto contra o Peru, isso porque no último lance do jogo Belfort apareceu livre, na cara da meta peruana, mas finalizou para fora. O treinador lamentou o lance. "Claro que ficamos desapontados depois do jogo contra o Peru. Tivemos uma boa partida, mas deveríamos ter marcado no último minuto. Agora jogamos contra o Brasil, sabemos que precisamos trabalhar forte".

"É uma grande oportunidade de colocar o Haiti nos holofotes. Vamos dar nosso melhor, como demos contra o Peru. Enfrentar o Brasil vai ser difícil, como qualquer outro", comentou o meia.

Em 2004, as Brasil e Haiti fizeram o Jogo da Paz, partida realizada em Porto Principe, capital do país. O objetivo era promover o desarmamento e este foi um episódio marcante para Jean Marc. "Me lembro de conhecer o Ronaldo pela primeira vez e ele me disse que foi um jogo memorável. Lembro de assistir na TV e o ônibus não se movia por causa dos torcedores. O jogo trouxe paz ao país. Foi um dia importante para o Haiti e para o futebol". 

"Temos chance de ganhar. Se não achássemos que temos chance, nós estaríamos aqui. Brasil continua sendo Brasil, um dos melhores times do mundo. Mas podemos ganhar", disse o jogador.

"Podemos ter um bom resultado. Ganhar seria um pouco ousado, mas podemos. Brasil é sempre Brasil. Vi os tempos de Pelé, hoje é diferente, mas continua um grande time", completou Patrice Neveu.