Suspeito de planejar ataques terroristas durante a Euro é preso por inteligência ucraniana

Serviço de segurança nacional prendeu em maio ultranacionalista portando arsenal potente com explosivos e até rifles; homem estaria insatisfeito com a política de imigração na França

Suspeito de planejar ataques terroristas durante a Euro é preso por inteligência ucraniana
Vídeo mostra homem sendo detido no momento que entrava no carro com o arsenal (Foto: Serviço de Segurança Ucraniano)

Depois dos ataques terroristas ocorridos durante o ano passado na França, o país que será sede da Eurocopa 2016 vive novo momento de tensão com a realização do torneio. Procurando mudar o sentimento de medo que corre pelas cidades francesas, uma megaoperação está sendo realizada por todo o continente europeu na busca de possíveis suspeitos e, nesta segunda-feira (6), foi anunciado pela polícia ucraniana que um homem francês ultranacionalista chamado Grégoire Moutaux, foi preso em maio portando 125 kgs de explosivos, 100 detonadores, três lança-granadas, mais de 5000 balas e cinco rifles AK-47.

O suspeito, que foi preso enquanto tentava passar pela fronteira para ir à Polônia, contou à polícia que não planejava fazer ataques em eventos ligados diretamente à Euro, mas sim em mesquitas, sinagogas, pontes, estradas de ferro e prédios públicos totalizando 15 ataques. O homem tinha ligações com grupos extremistas de direta, no entanto, e queria protestar contra a política de imigração da França praticando terrorismo.

“A operação durou quase seis meses dos quais documentamos cada movimento do suspeito”, disse o chefe da operação Vassil Hrytsak em entrevista dada na capital ucraniana, Kiev. “A princípio nós pensamos que estivesse ligado à uma clássica organização terrorista, mas nós acabamos tropeçando com uma organização francesa que está infeliz com aqueles que estão no poder e planejava organizar uma série de ataques durante a Euro”, acrescentou.

No arsenal do suspeito se encontrava explosivos e rifles AK=47. (Foto: Serviço de Segurança Ucraniano)
No arsenal do suspeito se encontrava explosivos e rifles AK=47 (Foto: Serviço de Segurança Ucraniano)

Já falando sobre como o homem de 25 anos planejava isso tudo, Vassil disse que ele entrou em contato com forças armadas no leste ucraniano e prometeu ajuda-los, contudo, com o tempo, acabou se interessando mais e mais na compra de armas e explosivos.

As autoridades francesas, por outro lado, não têm a confirmação das suspeitas, alegando que não tiveram informações concretas dos encarregados pela operação. O que os franceses sugerem é que Grégoire estava apenas contrabandeando armas para o país. Uma extradição também já foi pedida pela polícia da França.

Para garantir a proteção das pessoas no torneio e evitar que ataques terroristas sejam possíveis, serão disponibilizados pela inteligência francesa mais de 90 mil pessoas para trabalharem na segurança, isso entre soldados do exército, polícias e seguranças.