Chile vence com pênalti polêmico, elimina Bolívia e sobrevive na Copa America Centenário

Roja respira na competição e joga a classificação contra o Panamá na última rodada; La Verde, por outro lado, é eliminada com pênalti polêmico e apenas cumpre tabela na última rodada

Chile vence com pênalti polêmico, elimina Bolívia e sobrevive na Copa America Centenário
Foto: Hector Ratamal/Getty Images
Chile
2 1
Bolívia
Chile : Bravo; Isla (Fuenzalida 76'), Medel, Jara, Beausejour; Vidal, Hernández, Aranguiz; Sánchez, Pinilla (Vargas 57’), Orellana (Puch 67’).
Bolívia: Lampe; Saavedra, Eguino, Zenteno, Gutiérrez, Bejarano; Smedberg-Dalence, Meleán, Castro (Campos 57’); Arce (Ramallo 54’), Duk (Veizaga 79').
Placar: 1-0, min. 46, Vidal. 1-1, min. 57, Campos. 2-1, min. 90+10, Vidal.
ÁRBITRO: Jair Marrufo. Amarelos: Eguino 4’, Campos 77', Hernández 78', Gutiérrez 90+9', Veizaga 90+9'
INCIDENCIAS: partida válida pela segunda rodada da fase de grupos da copa américa centenário, realizado no gillette stadium, em foxborough, massachussets, estados unidos.

Na noite desta sexta-feira (10), o Chile entrou em campo para enfrentar a Bolívia pela segunda rodada da Copa América Centenário, em jogo válido pelo grupo D da competição. Apesar da seleção chilena muito tentar, conseguiu a vitória com um pênalti controverso nos acréscimos da segunda etapa por 2 a 1. Vidal marcou os dois gols da Roja e Campos fez para a Verde em uma bela cobrança de falta. 

Com a vitória, o Chile vai a três pontos na competição e fica com igualado com Argentina e Panamá que jogam logo mais. A Bolívia, por sua vez, continua com nenhum ponto ganho e é eliminada precocemente do torneio. A Roja joga a classificação na próxima terça-feira (14) contra os panamenhos às 21h, enquanto que a Verde completa tabela contra os argentinos duas horas mais tarde. 

Em primeiro tempo fraco tecnicamente, equipes não saem do zero

Como manda o figurino, as equipes conseguiram manter nos primeiros minutos uma calma ofensiva de maneira a estudar o adversário. Apesar desta postura, o Chile conseguiu ter mais posse de bola e buscar mais o gol, mas nos primeiros 10 minutos não teve lance de perigo para nenhum dos lados. O mais perto que conseguiu chegar de alguma oportunidade foram alguns passes em profundidade que não foram concretizados.

Até os 25 minutos, nenhuma das equipes havia chutado diretamente ao gol, visto que a Bolívia se fechava bem nessa fase do jogo e o Chile não conseguiu penetrar na defesa do adversário até o momento. Algumas cabeçadas e cruzamentos mal sucedidos chegaram a assustar a defesa boliviana. O contra-ataque foi a melhor arma da seleção vestida de verde e em um deles, a equipe conseguiu causar um susto quando Castro recebeu pela direita, avançou e conseguiu cruzamento para Duk, porém a defesa chilena conseguiu afastar.

Aos 37 minutos, Saavedra corta errado para o meio e, da entrada da área, Hernández conseguiu emplacar um chute com força de primeira, mas a bola acabou subindo mais do que o meia queria, passando longe da meta. Dois minutos mais tarde, Zenteno salvou o que seria o primeiro gol do Chile no jogo: depois de uma jogada atrapalhada das duas partes, a bola acabou sobrando para Alexis Sánchez chutar sem goleiro para o gol, porém o zagueiro boliviano se posicionava em cima da linha pra tirar dali.

Chile consegue abrir o placar, mas toma empate em belo gol boliviano na segunda etapa

Logo no primeiro minuto do segundo tempo, o Chile finalmente conseguiu chegar ao seu gol. Com 35 segundos, a Bolívia saiu errada, Vidal tabelou com Pinilla e acabou a jogada chutando ao gol, tirando do goleiro Lampe, abrindo o placar em Boston. No minuto seis, foi a vez do centroavante chileno tentar uma jogada de efeito, virando uma bicicleta depois de cruzamento, porém a bola passa à direita do arqueiro oponente. Três minutos depois, Sánchez conseguiu o cruzamento para Orellana ganhar no alto, mas mandar para fora.

Apesar de não ter atacado tanto quanto o adversário no jogo, Campos empatou a partida com uma bela cobrança de falta, no contrapé do goleiro Bravo, no minuto 15 da segunda etapa. Aos 27 minutos, Sánchez cobrou falta na entrada da área por cima da barreira e viu Lampe fazer nova defesa. No rebote, Puch finalizou muito fraco, deixando nas mãos do goleiro boliviano.

No minuto seguinte, depois de cruzamento de Isla, Alexis novamente tentou chutar, dessa vez deitado dentro da área, porém a bola acabou batendo em Vidal no meio do caminho, desviado a bola e mandando para fora o que poderia ser o segundo gol do Chile. Com 33 no relógio, novamente o camisa 17 apareceu para chutar com força nova falta, mas essa o arqueiro encaixou. Aos 41 o time chileno ficou mais uma vez próxima de desempatar a partida, mas de novo havia um zagueiro em cima da linha para afastar o chute do Sánchez depois de defesa de Lampe. 

Aos 54 minutos, Vidal cobrou um pênalti muito controverso e marcou o gol da vitória do Chile. Contudo, no minuto seguinte, a Bolívia apareceu com Ramallo pelo meio numa jogada ao estilo 'abafa', porém o chute foi para fora.