Hungria supera Áustria e estreia com vitória na Euro 2016

Magiares saem na frente na primeira etapa e, com um a mais em campo, sacramentam triunfo na segunda metade do jogo

Hungria supera Áustria e estreia com vitória na Euro 2016
Foto: Georges Gobet/AFP/Getty Images
Áustria
0 2
Hungria

Na tarde desta terça-feira (14), a Hungria venceu a Áustria por 1 a 0 na abertura do Grupo F da Eurocopa 2016. Os gols que deram a vitória aos húngaros na estreia da competição foram marcados por Szalai Stieber. A partida teve como palco o Stade de Bordeaux e foi marcada por um feito histórico: aos 40 anos e 74 dias de idade, o goleiro Gábor Király tornou-se o jogador mais velho a atuar na Euro.

Com o resultado, os Magiares ocupam provisoriamente a ponta da chave, com três pontos somados. O grupo também é integrado por Portugal e Islândia, que se enfrentam a partir das 16h. A Hungria volta a atuar no próximo sábado (18), quando encara os islandeses a partir das 13h. Três horas mais tarde, a Áustria mede forças com os lusos.

O primeiro minuto de jogo nem tinha se completado e a trave já havia balançado. Aos 30 segundos, Alaba achou espaço de fora da área e arriscou. O chute não saiu com força, mas a bola fugiu do alcance de Király e carimbou o poste. A  resposta húngara também veio de longa distância, mas a conclusão de Kleinheisler foi facilmente defendida por Almer.

Recordista da tarde, Király não foi poupado. Quando o cronômetro marcava 35 minutos, Dragovic lançou Janko, que prontamente ajeitou de cabeça para Junuzovic. Na entrada da área, o camisa 10 enquadrou o corpo e arrematou firme, mas o arqueiro caiu no canto e fez a defesa. Pouco antes, Szalai havia completado sem a direção desejada o cruzamento de Dzsudzsak.

Foi no contra-ataque que os austríacos quase saíram na frente. Aos 40, Arnautovic tabelou com Junuzovic, invadiu a área e cruzou rasteiro na direção de Harnik, que corria livre na segunda trave. Quase na risca da pequena área, o meio-campista se esticou todo, perdeu o equilíbrio e uma boa oportunidade de abrir o placar. Na última chance do primeiro tempo, Dzsudzsak recebeu de Kleinheisler e, de fora da área, finalizou à direita do arco.

Passado o intervalo, a Áustria adiantou as linhas e esboçou uma presença mais contundente no campo de ataque. Em determinados momentos, os dez jogadores de linha se posiocionavam além da linha divisória do gramado. Os Magiares, por sua vez, quase inauguraram o marcador com Dzsudzsak, que disparou um míssil do meio da rua e parou na ação providencial de Almer.

Até então ineficiente, o lançamento longo rendeu bons frutos aos húngaros. Foi depois de uma bola esticada que, aos 17 minutos, Szalai tabelou com Dzsudzsak e ficou cara a cara com Almer. Na saída do arqueiro, o atacante esticou o pé e foi parar nos braços da torcida: 1 a 0. A situação austríaca ficou ainda mais complicada com a expulsão de Dragovic. Aos 20, o zagueiro acertou a canela de Kadar e recebeu o seu segundo cartão amarelo na disputa.

Com superiodade numérica, a Hungria arquitetou algumas chances de aumentar a vantagem, mas não as converteu em gols. O golpe de misericórdia veio aos 43. Em rápido contragolpe, Stieber se viu com muito espaço pela frente, ingressou na área e, de frente para a meta, encobriu Almer na saída do arqueiro e selou a vitória.