A lição de humildade que a Islândia mostra para Cristiano Ronaldo na Eurocopa

A tabela mostra um fato interessante: os novatos encerraram a primeira fase com mais pontos, gols e em melhor colocação que o melhor do mundo

A lição de humildade que a Islândia mostra para Cristiano Ronaldo na Eurocopa
Foto: Michael Steele/Getty Images

Quem te viu, quem te vê. A história de hoje pede uma volta no tempo, especificamente para o dia 14 de junho, pela abertura do Grupo F. De um lado, a Islândia, estreante em Eurocopas e que jamais disputou um torneio oficial. Do outro, Cristiano Ronaldo, três vezes eleito o melhor jogador do mundo e dono de centenas de feitos e recordes. Empate por 1 a 1 no placar e atuação fraca do português. Mas, até então, nada de muito importante para ser comentado.

Então, na coletiva de imprensa após o jogo, o camisa 7 voltou a ganhar o noticionário mundial por disparar contra os Islandenses. Segundo ele, uma seleção de menor porte se portar de maneira defensiva para enfrentar o atual vencedor do prêmio de melhor do mundo era uma vergonha e, por isso, nunca serão nada no futebol.

"Eles comemoraram como se tivessem vencido a Eurocopa, alguma coisa assim. Isso é mentalidade pequena. Por isso eles nunca serão nada. Foram só pontapé para a frente. Depois de marcarem o gol, meteram o ônibus atrás e fizeram anti-jogo. Não queriam ganhar", disparou o camisa 7.

Não demorou para tal declaração ser vista de maneira polêmica por tablóides, jogadores e fãs da seleção islandesa. Claro, nada que seja novidade para Cristiano Ronaldo, pois o mesmo carrega declarações polêmicas desde sempre em sua carreira. A ironia passa pelo fato de Portugal e Islândia somarem o mesmo número de títulos no futebol profissional, mesmo com uma sempre estando em todos os torneios e a outra sequer ter participado de um.

Passada a polêmica, duas rodadas depois, o assunto volta à tona com uma bela demonstração de como o futebol é igual para todos. Sim, ambas as seleções se classificaram para o mata-mata, mas a tabela mostra um fato interessante: os novatos encerraram a primeira fase com mais pontos, gols e em melhor colocação que o melhor do mundo.

#
GRUPO F
PT
JG
V
E
D
GP
GC
SG
Hungria 5 3 1 2 0 6 4 2
Islândia 5 3 1 2 0 4 3 1
Portugal 3 3 0 3 0 4 4 0
Áustria 1 3 0 1 2 1 4 -3

Por si só, um fato histórico a ser comemorado, mas não para por aí. Na última rodada, em determinado momento da partida, o placar de 3 a 2 para a Hungria eliminava Portugal do torneio. Cristiano Ronaldo, à se destacar pela atuação monstruosa que teve, anotou o terceiro tento, sendo seu segundo gol, igualou novamente o marcador e classificou sua seleção para a próxima fase. Euforia merecida.

A imagem a seguir mostra o que todos os torcedores já sabiam que iria acontecer. Cristiano Ronaldo, que tanto reclamou da Islândia por comemorar o empate como um título, comemorando o empate contra a Hungria como um título. Irônico, mas principalmente uma maneira de mostrar que todos são iguais perante aos olhos da bola. Multicampeão, ou não.

Cristiano Ronaldo comemora seu gol contra Hungria (Foto: AFP)
Cristiano Ronaldo comemora seu gol contra Hungria (Foto: AFP)

E o que há de errado nisso? Nada. Nem a Islândia, por comemorar seu resultado contra uma seleção que tem o três vezes melhor do mundo. Nem Cristiano Ronaldo, que tem todo direito de extravassar após a brilhante partida que fez e salvar sua seleção novamente.

Portugal enfrentará a Croácia, no sábado (28), pelas oitavas de final. Já a Islândia terá a Inglaterra pela frente, na segunda-feira (30), no outro lado da chave. Ou seja, dificilmente as seleções voltarão a se encontrar na Europa. Mas, fica a lição. Não se critica uma seleção de menor porte sobre algo absolutamente normal, principalmente se for fazer o mesmo rodadas depois.